Grande mistério da Lua é finalmente desvendado; e a culpa é toda nossa

Os astronautas que tiveram a sorte de visitar a Lua foram surpreendidos por um enigma durante sua breve estadia: a superfície estava mais quente do que esperavam.

Segundo o IFLScience, os cientistas conseguiram agora desvendar o mistério e, como em qualquer boa história, o desfecho do problema acabou com uma grande reviravolta.

Durante as missões Apollo 15 e 17, no início dos anos 70, foram colocadas sondas no antigo solo vulcânico para verificar como a Lua estava esfriando. Um fenômeno muito importante porque, afinal de contas, o esfriamento do interior da Terra é a razão pela qual temos continentes, montanhas, vulcões e terremotos.

A Lua é uma esfera morta e tem sido assim há milhões de anos. Seu vulcanismo desapareceu há muito tempo e certamente nunca conseguiu desenvolver placas tectônicas. Ainda assim, está constantemente esfriando e a NASA queria saber quanto.

Ao perfurar alguns buracos no solo lunar, os astronautas dos dois programas espaciais montaram seus termômetros de alta tecnologia e anotaram as leituras. Porém, não foi uma tarefa fácil, uma vez que tinham de ter em conta as alterações devido à luz solar e ao aquecimento criado pela própria perfuração.

As leituras a longo prazo indicam, de acordo com o Instituto Lunar e Planetário (LPI), que o fluxo de calor superficial da Lua está entre 18% e 24% da Terra. No entanto, algo estava errado: as sondas de calor registraram um aquecimento gradual dos locais onde a missão Apollo pousou muito depois de as medidas originais. Não ficou claro o porquê, mas não poderia ser por causa de um processo interno que liberaria mais calor.

Infelizmente, se tratou de um erro humano. Depois dessas experiências terem terminado em 1977, parecia que os cientistas só tinham arquivado os dados de 1971 a 1974. O restante acabou perdido.

Portanto, uma equipe de cientistas da Universidade de Tecnologia do Texas, nos EUA, decidiu fazer algumas pesquisas e, em 2010, conseguiu localizar as fitas de dados perdidas em um enorme centro de arquivos da agência federal.

Ao recuperar de forma cuidadosa os dados para analisar a temperatura no final dos anos 70, os cientistas obtiveram uma melhor compreensão das mudanças: o aumento da temperatura foi detectado pelas sondas mais rasas, antes de ser registrada por aquelas mais profundas.

Ao perceber que era uma causa relacionada com a superfície, a equipe cruzou suas descobertas com imagens tiradas da superfície da Lua no momento em que foram feitas.

No artigo publicado no Journal of Geophysical Research, a equipe explicou que as “imagens da Lunar Reconnaissance Orbiter Camera sobre os dois locais de pouso mostram que o rególito lunar (material geológico solto e fragmentado que cobre a rocha sólida recente) nos caminhos dos astronautas ficou mais escuro”, o que diminuiu sua refletividade.

“Sugerimos que, como resultado das atividades dos astronautas, o aquecimento solar pelo rególito aumentou ligeiramente, e isso resultou no aquecimento observado”, uma vez que mais luz solar foi absorvida na superfície.

Assim, o aumento da temperatura não estava relacionado com nenhum fenômeno estranho, não passando de um erro. Conclusão: a culpa foi nossa (e só nossa).

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Como escreveria o zuera never ends, “haisduiaqehaiuhaiudhiauheiasdoahsduh”, seres humanos sem noção, mal sabem dos mistérios da vida terrestre e atolam a população mundial com mentiras, de tempos em tempos uma nova teoria surge sobre a viagem a lua, cineastas estes “caras”.

DEIXE UMA RESPOSTA:

Chefe da agência alemã para refugiados é demitida

Em meio a impasse com Merkel sobre imigração, ministro do Interior afasta Jutta Cordt da presidência do Bamf. Denúncias de irregularidades em concessões de refúgio a migrantes abalaram a credibilidade do órgão. Em meio a escândalos …

Trump ameaçou enviar 25 milhões de mexicanos ao Japão

Donald Trump disse ao primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que poderia enviar 25 milhões de mexicanos para seu país e fazê-lo perder uma eleição. Segundo o Wall Street Journal, em uma das várias declarações estranhas que …

Novo malware supostamente ligado à Coreia do Norte é descoberto

O Departamento de Segurança dos Estados Unidos descobriu um novo malware cuja suspeita é de que tenha sido lançado pela Coreia do Norte. A CNN noticiou nesta sexta-feira (15) uma nova variação de um programa …

Ciência secreta explica o perigoso comportamento das multidões

Às vezes, fazer parte de uma multidão é mais do que desconfortável: pode ser letal. No ano passado, esmagamentos causados pela aglomeração de pessoas provocaram mortes em lugares como um estádio angolano de futebol, uma …

Corpo de adolescente desaparecida é encontrado em São Paulo

A Polícia Civil de Araçariguama encontrou o corpo da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos. A jovem estava desaparecida desde o dia 8 de junho e foi localizado por volta das 13h deste sábado …

Israel irá reabastecer o Mar da Galileia, onde Jesus andou sobre as águas

O Mar da Galileia, onde segundo a Bíblia Jesus teria andado sobre a água, será reabastecido com água do mar dessalinizada. A decisão foi tomada recentemente pelas autoridades locais. O resgate do Mar da Galileia acontece …

Harvard é processada por dar piores notas a alunos asiáticos

Uma investigação recente concluiu que a raça é levada em consideração na hora de a Universidade de Harvard atribuir notas e aceitar candidatos. Nesta sexta-feira (15), um grupo de estudantes vai processar a Universidade de Harvard …

Partidos receberão R$ 1,7 bilhão para campanha eleitoral

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta sexta-feira (15) que o montante total do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será de R$ 1,716 bilhão. Criado no ano passado para regulamentar o repasse de recursos …

Para economizar gasolina, brasileiros criam gerador de hidrogênio

Alguns brasileiros estão construindo o próprio gerador de hidrogênio, capaz de nos ajudar a economizar gasolina. Um chaveiro de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, Vitor de Moura, 31 anos, começou a pesquisar formas …

Uma família brasileira precisa de 225 anos para deixar de ser pobre

Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) estima que, no Brasil, podem ser necessárias nove gerações para crianças nascidas em uma família de baixa renda (os 10% mais pobres da população) alcançarem …