Além dos neandertais, os humanos também cruzaram com outras espécies

Somos o resultado de vários cruzamentos. Um novo estudo revela que nossos antepassados se cruzaram não com uma, mas com duas populações diferentes do homem de Denisova.

Nossos genes apresentam traços dos Neandertais, indicando que, no passado, os Homo sapiens tiveram filhos com esses nossos parentes próximos, dando origem aos Homo neanderthalensis.

Da Grã-Bretanha ao Japão, os genes neandertais estão presentes no genoma de várias pessoas. Rostos largos, queixos pequenos e sobrancelhas salientes são características particulares da espécie, que chegaram até os dias atuais.

Mas nossos genes carregam também marcas dos nossos encontros com diferentes populações do homem de Denisova. O DNA extraído de fragmentos de indivíduos encontrados em uma caverna, no sul da Sibéria, forneceu evidências de que também possuímos traços genéticos desses antigos hominídeos.

Uma equipe de cientistas descobriu agora um terceiro evento de cruzamento interespécie, aumentando assim nossa mistura genética. O novo estudo, publicado recentemente na Cell, utilizou um novo método de análise genética para comparar um genoma inteiro do homem de Denisova.

“É surpreendente que possamos analisar a história humana através dos dados genéticos de humanos atuais e determinar alguns dos eventos que aconteceram no passado”, disse a professora de pesquisa do Departamento de Bioestatística da Universidade de Washington e autora do estudo, Sharon Browning, à CNN.

No estudo, os pesquisadores encontraram dois episódios distintos da mistura do homem de Denisova, acrescentando dados ao que já era sabido sobre a contribuição dos neandertais no DNA dos humanos modernos, escreve o Diário de Notícias.

Na pesquisa, todos os grupos possuíam DNA neandertal. Algumas populações possuíam também traços genéticos que correspondiam a denisovans das Montanhas Altai, mas a principal surpresa estava na existência de um terceiro grupo de genes arcaicos, diferente do DNA neandertal e apenas parcialmente parecido com o DNA dos denisovans das Montanhas Altai.

Por enquanto, a explicação dada pelos especialistas é de que, à medida que os seres humanos ancestrais migraram para o leste, encontraram duas populações diferentes de denisovans. Uma delas, no norte, aparece em pessoas da China, Japão e Vietnã. A outra deixou sua marca genética mais ao sul, em populações do sudeste da Ásia.

“Também fica claro que havia populações distintas de Denisovanos, em vez de uma única população. O fato de que as duas populações terem divergido sugere que elas não se misturavam muitas vezes entre si, talvez devido à separação geográfica”, refere Browning.

Métodos semelhantes aos que foram utilizados neste estudo podem revelar ainda mais misturas genéticas no nosso DNA. Browning e colegas não param por aqui e querem estudar outras populações, para encontrar indícios da mistura de outras espécies.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Opositor belarusso é achado morto na Ucrânia

Ativista Vitaly Shishov ajudava compatriotas a fugir da perseguição do regime de Alexander Lukashenko, considerado o último ditador da Europa. Polícia investiga possível assassinato encenado como suicídio. Um ativista de Belarus foi encontrado morto nesta terça-feira …

Polônia concede visto humanitário a atleta olímpica e alimenta tensões com Belarus

A Polônia concedeu nesta segunda-feira (2) um visto humanitário para a atleta olímpica bielorrussa Krystsina Tsimanuskaya. A jovem afirma que estava sendo obrigada a deixar o Japão após ter criticado sua equipe e temia …

EUA e Reino Unido teriam dado 'luz verde' a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense. Tel Aviv teria recebido "luz verde" de Washington …

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …