Igreja Ortodoxa rompe com Constantinopla: maior cisma do Cristianismo em 1.000 anos

A Igreja Ortodoxa Russa decidiu nesta segunda-feira (15), durante o Sínodo que realiza em Minsk, em Belarus, romper todos os vínculos com o Patriarcado de Constantinopla, anunciou o arcebispo metropolitano Hilarion.

“O Santo Sínodo decidiu romper toda comunhão eucarística com o Patriarcado de Constantinopla”, disse Hilarion, segundo a agência de notícias russa “Interfax”.

O arcebispo metropolitano disse que esta foi uma “decisão obrigatória” e que o Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa não podia escolhar outra, devido à “lógica das últimas ações do Patriarcado de Constantinopla”.

No último dia 11, o Sínodo da Igreja de Constantinopla anulou o decreto que subordinava a Igreja Ucraniana à Russa desde 1686 com a intenção de “garantir a Autocefalia à Igreja da Ucrânia”. A Autocefalia é o estado com o qual o bispo-chefe de uma igreja não se reporta a outro superior que tenha autoridade sobre outras igrejas.

Também foi suspenso o anátema que existia desde 1991 sobre sacerdote Filaret, o líder da Igreja Ortodoxa Ucraniana, que foi excomungado por Moscou por autoproclamar uma igreja independente do Patriarcado Russo após a dissolução da União Soviética.

Assim que soube da decisão, Filaret afirmou que convocará um concílio para consumar a unificação de todos os ortodoxos ucranianos, estimados em mais de 30 milhões, sob uma só igreja com capital em Kiev.

Hoje, Hilarion ressaltou que as decisões do Patriarcado de Constantinopla são “ilegais e canonicamente irrelevantes”.

“A Igreja Ortodoxa Russa não aceita esdas decisões e não as acatará. O cisma continua sendo o cisma e os líderes cismáticos continuam sendo líderes cismáticos. A Igreja que reconhece e dialoga com os cismáticos se exclui do âmbito canônico”, disse o religioso.

Hilarion afirmou que o Patriarcado de Moscou acredita que o Patriarcado de Constantinopla revogará suas decisões sobre a Ucrânia. “Esperamos que a razão se imponha e que o patriarca de Constantinopla modifique a sua atitude para a realidade eclesiástica existente”, acrescentou.

Além disso, Hilarion destacou que a Igreja Ortodoxa Russa não retomará laços com Constantinopla enquanto essas “decisões ilegais” vigorarem.

Os ortodoxos russos consideram que o patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I, é o líder dos ortodoxos, mas “não como o Papa em Roma”, já que a Igreja Ortodoxa não é como a católica, na qual o pontífice “decide tudo sozinho”.

Atualmente, na Ucrânia existem três igrejas ortodoxas: a que era ligada a Moscou, majoritária; outra ligada ao Patriarcado de Kiev; e uma terceira, que se tornou independente da Rússia em 1920 e que se autoproclamou Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana.

Ciberia // EFE / ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A Igreja Ortodoxa e a Igreja Católica romperam com o Cristianismo muito antes desses mil anos. Elas não são cristãs só porque o dizem. E isso não depende de interpretação.
    Quando uma pessoa passa por outra andando na rua, qual é dificuldade para SABER que está vendo um ser humano?
    Basta a qualquer pessoa de boa vontade ler a Bíblia para saber qual sistema religioso é de Cristo e qual não é.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Variante da Covid-19 no Brasil faz Reino Unido banir viajantes da América Latina e Portugal

O governo britânico proibiu, nesta quinta-feira, as chegadas de todos os países da América do Sul e do Panamá, além de Portugal, em resposta à nova variante da Covid-19, descoberta no Brasil. A decisão …

CEO do Twitter defende banimento de Trump da rede social

Jack Dorsey diz que medida resulta do “fracasso” da plataforma em mediar diálogo saudável e admite que pode abrir “precedente perigoso”. Proibição veio após presidente dos EUA insuflar apoiadores que invadiram Capitólio. O CEO da rede …

O zumbido de fundo do universo pode ter sido ouvido pela primeira vez

Baseado no que sabemos sobre ondas gravitacionais, o Universo deve estar cheio delas. Cada par de buracos negros ou estrelas de nêutrons e colisão, cada supernova com núcleo em colapso — até mesmo o próprio …

Monocultura da soja destruiu mais de 30% do cerrado brasileiro entre 2004 e 2017, alerta WWF

Os 24 principais focos de desmatamento no mundo provocaram a perda de uma superfície equivalente ao tamanho do Paraguai em menos de uma década, aponta um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na …

Coreia do Sul eleva capacidades de combate para conter ameaça norte-coreana

A Coreia do Sul planeja elevar suas capacidades militares para conter as ameaças de mísseis de curto alcance dos norte-coreanos, declarou o Ministério da Defesa sul-coreano. A declaração ocorreu após os norte-coreanos prometerem elevar o arsenal …

Como a vacinação em massa salvou a Escócia em 1950

Em 2021, haverá uma campanha de vacinação em massa como nenhuma outra realizada no mundo. Hoje se trata de parar o covid-19, mas, em meados do século passado, um programa de vacinação se tornou a …

Em provocação a Biden, Kim Jong-un avisa que vai reforçar arsenal nuclear da Coreia do Norte

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, afirmou que vai reforçar o arsenal nuclear de seu país, em discurso de encerramento do congresso do partido no poder, anunciou nesta quarta-feira (13) a imprensa oficial, a uma …

Bolsonaro sabota combate à covid-19, diz relatório da Human Rights Watch

Estudo anual da Human Rights Watch sobre direitos humanos no mundo reserva capítulo com duras críticas ao governo brasileiro e diz que ele agiu deliberadamente para minar políticas contra a pandemia. O presidente Jair Bolsonaro agiu …