Dia histórico na Índia: lei com mais de 150 anos é revogada e homossexualidade deixa de ser crime

A Suprema Corte da Índia voltou, nesta quinta-feira (6), a descriminalizar o homossexualidade no país, ao revogar uma sentença de 2013 que validava uma lei britânica de mais de 150 anos que pune os atos “contra a natureza” e criminalizava com penas de prisão as relações entre pessoas do mesmo sexo.

Os cinco juízes que compõem a Corte, liderada pelo presidente do Supremo indiano, Dipak Misra, decidiram declarar suas sentenças individualmente, onde todos concordaram em anular a validade do artigo 377 do Código Penal indiano que criminaliza as relações homossexuais.

“O artigo 377 é arbitrário. A comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Transexuais e Bissexuais) possui os mesmos direitos que os demais. A visão majoritária e a moralidade geral não podem ditar os direitos constitucionais”, afirmou o juiz Misra, ao ler sua sentença.

O presidente do Supremo, que redigiu a sentença com o juiz J Khanwilkar, acrescentou que “a discriminação com base na orientação sexual é uma violação da liberdade de expressão”.

Na sentença de 2013, o Supremo tinha ratificado a validade do artigo 377 do Código Penal indiano, que estabelece sentenças de prisão para “qualquer pessoa que voluntariamente tenha relações carnais contra a ordem da natureza”.

Esta norma, uma antiga lei britânica que data da era vitoriana e tem mais de 150 anos de existência, tinha sido derrubada em 2009 pela Corte Superior de Nova Déli, por considerá-la inconstitucional.

O procedimento que revisou a validade do artigo 377 começou no dia 10 de julho, e no dia seguinte o governo conservador do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, disse que não recorreria da decisão que fosse tomada pelo mais alto tribunal sobre a constitucionalidade da norma.

O polêmico artigo do Código Penal indiano proíbe “relações carnais contra a ordem da natureza com qualquer homem, mulher ou animal”, o que foi interpretado como sexo homossexual.

A decisão final da Justiça não implica na revogação da norma que continua a punir os atos sexuais com animais, mas dita jurisprudência para a legalização da homossexualidade, ao excluir as relações entre pessoas de quaisquer fatos “contra a natureza”.

O juiz D.Y.Chandrachud, que fez parte dos cinco magistrados da Corte, já tinha ditado uma sentença no mês passado, onde declarou a privacidade um direito fundamental dos cidadãos e a orientação sexual como um atributo essencial da privacidade, o que fez prever uma sentença favorável hoje.

Além disso, Chandrachud afirmou hoje que o tratamento da homossexualidade como uma doença tem um impacto na saúde mental dessas pessoas. “A história deve um pedido de desculpas para as pessoas (da comunidade) LGBT pelo ostracismo e discriminação” sofrida, sentenciou a juíza Indu Malhotra em sua sentença.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Um acelerador de partículas cósmico, muito mais poderoso do que o LHC foi descoberto no espaço

Cientistas rastrearam uma partícula fantasma para uma estrela despedaçada e descobriram um gigantesco acelerador de partículas cósmico. A partícula subatômica, chamada de neutrino, foi lançada em direção à Terra depois que a estrela condenada chegou muito …

Mulher de 'El Chapo' Guzmán é presa nos EUA acusada por narcotráfico

Foi presa nesta segunda-feira (22/02) nos Estados Unidos Emma Coronel Aispuro, 31, mulher de Joaquín "El Chapo" Guzmán, ex-líder do cartel de drogas mexicano Sinaloa. Aispuro, que tem cidadania mexicana e americana, foi presa no aeroporto …

Gana é o primeiro país do mundo a receber vacinas do programa Covax, da OMS

Gana recebeu nesta quarta-feira o primeiro lote mundial de vacinas financiadas pelo programa Covax, que proporciona aos países de renda baixa e média as primeiras doses de fármacos antiCovid. Os imunizantes foram enviados de …

Variante da Califórnia parece ser mais contagiosa e resistente a vacinas, aponta estudo

Um novo estudo confirma que a mutação do SARS-CoV-2 na Califórnia, EUA, é mais contagiosa e mais resistente a vacinas, embora a escala de sua ameaça ainda não esteja clara. Uma variante descoberta pela primeira vez …

Cheirinho de carro novo? Estudo alerta para risco de câncer em odor favorito de muitos

Um estudo publicado por pesquisadores da Universidade da California Riverside mostrou que o cheiro de carro novo, tão amado por todo mundo que acaba de comprar o seu veículo, pode ser um risco para saúde. Mas …

STJ anula quebra do sigilo de Flávio Bolsonaro no caso das "rachadinhas"

Ministros apontaram falta de fundamentação do juiz de 1ª instância. Decisões da próxima semana determinarão chance de o processo contra o senador ir adiante ou voltar ao início. A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça …

Troca de comando na Petrobras: Bolsonaro repete interferência de Dilma na estatal?

As ações da Petrobras derreteram depois que o presidente Jair Bolsonaro decidiu mudar o comando da empresa. Na noite de sexta-feira (19/02), Bolsonaro anunciou o general da reserva Joaquim Silva e Luna para substituir o …

Uruguai, último país da América do Sul a receber vacinas, começa imunização em março

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, informou nesta segunda-feira (22) que as primeiras vacinas contra a Covid-19 chegarão nesta quinta-feira ao país, o único na América do Sul que ainda não possui doses …

Cada ponto brilhante neste novo mapa cósmico é um buraco negro supermassivo

A equipe internacional sinterizou um conjunto tão impressionante quanto inédito de sinais de rádio emitidos por buracos negros supermassivos. Se tivéssemos um telescópio capaz de mostrar quaisquer objetos do universo, independentemente de quão distantes eles estão, …

Desvendado enigma de inscrição na obra "O Grito" de Edvard Munch

Uma frase escrita sobre uma das obras de arte mais conhecidas do mundo foi, durante um século, motivo de conjeturas e controvérsias entre os especialistas de arte em todo o mundo. Uma análise com escâner infravermelho, …