Inteligência artificial consegue quebrar proteção Captcha

Houve um tempo em que a proteção Captcha era considerada a barreira final para dividir seres humanos e bots no acesso a serviços online. Mas não mais.

Pesquisadores especializados em inteligência artificial desenvolveram uma rede neural que, por meio do reconhecimento de letras e imagens por meio de suas formas, foi capaz de quebrar o sistema e automatizar o acesso a plataformas protegidas pelo recurso.

O trabalho é da Vicarious, empresa de inteligência artificial que pertence a Jeff Bezos, fundador da Amazon, em parceria com Mark Zuckerberg, do Facebook.

Os resultados foram divulgados em um trabalho publicado na revista Science e mostram como o algoritmo conseguiu emular, com sucesso, a resposta do cérebro humano aos elementos visuais exibidos pelo Captcha.

O sistema Captcha, cujo nome significa “Teste de Turing Público Completamente Automatizado para Diferenciar Humanos e Computadores”, na sigla em inglês, é usado amplamente na internet para evitar o acesso de bots a serviços restritos ou páginas de download de arquivos.

Ele exibe um desafio simples para qualquer pessoa, mas complicado para as máquinas: reproduzir, em texto, uma palavra exibida em imagem ou o que aparece em uma fotografia. Introduzido em 1990, o sistema ganhou a internet como uma proteção incrivelmente confiável e chegou a alçar outros voos.

Um projeto, por exemplo, usava verificações do Captcha para auxiliar na transposição de textos escaneados para uma contraparte digital, enquanto uma versão do próprio Google melhora os sistemas de detecção do aplicativo de Mapas pedindo que o usuário identifique elementos como placas, carros ou fachadas de lojas em uma imagem.

Para abordar a questão, a Vicarious desenvolveu o que chamou de Rede Cortical Recursiva, RCN, na sigla em inglês, que imita os processos do cérebro humano ao abordar uma parte dos problemas de cada vez. Com diferentes camadas, essa tecnologia exige menos poder computacional ao analisar os pixels de uma imagem em busca de sua forma.

Com isso, ela seria capaz de reconhecer até mesmo objetos que estejam parcialmente ocultos ou letras escritas de maneira cursiva. O resultado dos testes exibiu um índice de acertos de até 92,5% em alguns sistemas de Captcha, e de no mínimo 57% em outros. É o suficiente para considerar a tecnologia efetivamente quebrada, já que, para a empresa, melhorias não muito complexas reduzirão ainda mais a margem de erro.

(dr) Vicarious

O algoritmo da Vicarious conseguiu quebrar o Captcha moderno com uma taxa de acertos que chega aos 92%

Por mais que sua tecnologia não tenha sido desenvolvida com fins escusos, a própria noção de que ela é possível, bem como a revelação dos achados em uma revista científica, deve levar ao desenvolvimento de soluções por indivíduos não tão bem-intencionados assim, o que vai obrigar as empresas a também trabalharem em alternativas.

Foi o que aconteceu, por exemplo, em 2013, quando a própria Vicarious quebrou o projeto inicial do Captcha com uma taxa de acerto média de 90%. Menos de 4 meses depois da revelação da descoberta, hackers começaram a liberar ferramentas automatizadas para quebrar a proteção. Isso motivou aos avanços na própria tecnologia, que levaram ao formato em vigor até hoje.

Desta vez, por outro lado, os pesquisadores são categóricos: os dias desse sistema como ferramenta de proteção estão contados. Isso porque, como a bola da vez é uma rede neural, acaba sendo mais simples adaptar a inteligência artificial a qualquer tipo de complexidade adicional que seja acrescentada, desde que ela ainda se baseie no reconhecimento de imagens.

A sugestão dos especialistas é o uso da autenticação em dois fatores, que não apenas exige atitude humana, mas também seria mais cômoda aos usuários, dispensando a necessidade de verificações a cada atividade realizada online. Mas esse é um papo para o futuro, cuja aplicação não depende necessariamente da Vicarious.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

OMS considera elevado risco global de coronavírus

A Organização Mundial da Saúde admitiu nesta segunda-feira (27/01) um erro na avaliação de risco global do novo coronavírus, que surgiu na China, e disse que o nível correto é elevado. Anteriormente, ele havia sido …

Quem é Vanessa Nakate, ativista negra cortada de foto com Greta em Davos

O tema era o meio-ambiente, mas o debate sofre o futuro da humanidade ganhou outros vultos quando a jovem ativista climática de Uganda, Vanessa Nakate, descobriu que havia sido cortada pela agência de notícias Associated …

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Morreu Kobe Bryant, um dos maiores astros da NBA

Neste domingo (26), o astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, faleceu em acidente de helicóptero, na cidade de Los Angeles, nos EUA. Autoridades e testemunhas levantam as primeiras hipóteses sobre a causa da queda. O lendário …

Coronavírus terá impacto no PIB chinês e na economia global

A nova epidemia de coronavírus é um balde de água fria na cabeça do mundo. A começar pelos chineses. Em 2003, o último vírus mortal se propagando pelo mundo inteiro – o SARS – …

Abelhas adoram cannabis e este caso de amor pode ajudar a salvar a espécie

Consideradas os seres vivos mais importantes do planeta, as abelhas são animais insubstituíveis, dos quais dependemos para viver. No entanto, nas últimas décadas, devido ao aquecimento global e o uso execessivo de pesticidas, elas estão …

Cientistas finalmente descobriram como capturar o espectro todo da luz solar para gerar hidrogênio

Pela primeira vez, cientistas da Universidade Estadual de Ohio (EUA) desenvolveram uma molécula que é capaz de coletar a energia de todo o espectro da luz solar. O processo, 50% mais eficiente que as atuais …

Você agora pode ouvir a voz de uma múmia de 3 mil anos

Com uso de tomografia computadorizada, impressão 3D e laringe eletrônica, pesquisadores do Reino Unido reconstruíram o trato vocal de uma múmia egípcia. Para a realização do projeto que teve início em 2013, foi preciso combinar medicina, …

Krakatoa, o inferno de Java: a erupção há 137 anos que foi sentida no planeta inteiro

Em 1883, o mundo presenciou um evento natural tão bombástico e violento que pôde ser notado de alguma forma por praticamente todos os habitantes do planeta. A erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, lançou detritos a …