Médica cria cirurgia reconstrutiva para mutilação genital feminina

(dr) Penn Medicine

A médica Ivona Percec, professora de cirurgia na divisão de Cirurgia Plástica e cirurgiã do Centro de Aparência Humana Penn Medicine, nos EUA

A médica Ivona Percec, professora de cirurgia na divisão de Cirurgia Plástica e cirurgiã do Centro de Aparência Humana Penn Medicine, nos EUA

Uma médica criou uma cirurgia reconstrutiva que pode aumentar a função sexual e ajudar a curar as feridas emocionais e psicológicas o que traz esperança para milhões de mulheres que sofreram a violência da mutilação genital.

A pesquisadora Ivona Percec é professora de cirurgia na divisão de Cirurgia Plástica e cirurgiã do Centro de Aparência Humana Penn Medicine, nos EUA. Ela usou a nova técnica com sucesso em três pacientes, e apresentou os resultados em um artigo publicado este mês no jornal de cirurgia estética Aesthetic Surgery Journal.

“Nosso procedimento é simples, mas eficaz e pode ajudar as vítimas a restaurar seu senso físico e psicológico de bem-estar”. A especialista usa seu conhecimento em outras técnicas reconstrutivas para restaurar a aparência e função da genitália feminina mutilada.

Três mulheres com idades entre 30 e 3, que tinham imigrado recentemente para os Estados Unidos, vindas da Serra Leoa, foram submetidas à cirurgia reparadora. Elas eram casadas, mas não tinham dito aos seus maridos que tinham sido submetidas à MGF quando crianças.

“Essas mulheres ficaram envergonhadas por terem sido submetidas a esse procedimento, em particular desde que se mudaram para os Estados Unidos”, diz Percec, “todas eles foram capazes de ter relações sexuais, mas sem prazer – geralmente com dor.”

Com um acompanhamento médio de quase um ano, as pacientes relataram melhora da função sexual e diminuição do constrangimento com seus parceiros. As três mulheres disseram que recomendariam este procedimento a outras que sofreram a MGF.

“Como as nações ao redor do mundo trabalham para eliminar este costume, os cirurgiões plásticos podem desempenhar um papel importante na recuperação física, emocional e psicológica das mulheres em todos os lugares”.

A mutilação genital feminina é reconhecida internacionalmente como uma violação dos direitos humanos.  “A mutilação genital feminina é uma violação dos direitos básicos de mulheres e crianças”, afirma Percec. Pode ter consequências a longo prazo, incluindo dor intensa, transtorno de estresse pós-traumático, cistos, infecções recorrentes e até morte.

A Organização Mundial de Saúde define a mutilação genital feminina (FGM) como “qualquer procedimento que altere intencionalmente ou cause danos aos órgãos genitais femininos por razões não médicas e sem benefícios para a saúde”.

Estima-se que 200 milhões de mulheres tenham sido submetidas a FGM em todo o mundo, geralmente entre a primeira semana de vida e adolescência, e muitas vezes por seus cuidadores.

É um ritual cultural em partes da África, Oriente Médio e Ásia para incentivar a fidelidade sexual feminina.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Por que as drogas psicodélicas estão mais perto do mercado convencional

O aumento da permissão de uso de psicodélicos como terapia promete transformar a forma como vemos o extraordinário. Foi em 1971 que Rick Doblin usou LSD pela primeira vez. Era uma tarde de sábado na Flórida, em …

Covid-19: EUA autorizam 3ª dose da vacina da Pfizer para idosos e grupos de risco

Os Estados Unidos autorizaram nesta quarta-feira a aplicação de uma terceira dose da vacina contra a covid-19 da Pfizer para maiores de 65 anos, pessoas com alto risco de contrair uma forma grave da …

Ministério da Saúde recua e volta a recomendar vacinação de adolescentes

O Ministério da Saúde recuou nesta quarta-feira (22/09) e voltou a recomendar a vacinação de adolescentes sem comorbidades contra a covid-19, uma semana após ter recomendado a suspensão. "Concluímos que os benefícios da vacinação de adolescentes …

Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para covid-19 durante a viagem a Nova York, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, e ficará em isolamento na cidade, comunicou nesta quarta-feira (21/09) a Presidência da …

Vulcão em erupção nas Canárias: o cenário 'desolador' enfrentado por moradores afetados pelo Cumbre Vieja

Juan Vicente Rodríguez ainda não chegou às lágrimas, mas ele garante que no final "todos vão acabar chorando". Morador da ilha canária La Palma, Rodríguez observa nas redondezas os rios de lava do vulcão Cumbre Vieja …

Anistia Internacional acusa empresas farmacêuticas de deixar países pobres sem vacinas anticovid

A ONG Anistia Internacional divulgou um relatório nesta quarta-feira acusando os grandes grupos farmacêuticos que produzem vacinas contra a Covid-19 de alimentar uma crise de direitos humanos sem precedentes. Por essa razão, a entidade …

Descobrem na Espanha dezenas de pegadas de espécie extinta de elefantes

Paleontólogos descobriram em Huevla, na Espanha, em um sítio da época do Pleistoceno Superior, trilhas e rastros de elefantes recém-nascidos e juvenis atribuídos a elefantes de presas retas (Palaeoloxodon antiquus). Os elefantes de presas retas são …

Na ONU, Bolsonaro defende ineficaz "tratamento precoce"

O presidente Jair Bolsonaro usou nesta terça-feira (21/09) seu discurso de abertura da 76ª Assembleia-Geral das Nações Unidas para defender o desacreditado "tratamento precoce" promovido pelo seu governo, que consiste num coquetel de drogas ineficazes …

Turismo em reservas naturais federais no Brasil triplica em 13 anos

Cerca de 15 milhões de turistas visitaram reservas ambientais federais no Brasil em 2019, uma alta de 300% nos últimos 13 anos. Se por um lado esse aumento reflete um maior interesse dos brasileiros em …

Presidente do Conselho da UE acusa EUA de "falta de lealdade" após ruptura de contrato com a França

O presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel, acusou nesta segunda-feira (20) os Estados Unidos de falta de lealdade depois que a Austrália cancelou um amplo contrato com a França para comprar submarinos …