Mergulhadores da Dinamarca descobrem submarino raríssimo da 1ª Guerra Mundial

Por trás do achado feito por uma equipe dinamarquesa-polonesa está uma dramática batalha marítima entre o submarino britânico L10 e quatro torpedeiros alemães.

O submarino britânico desaparecido L10 da época da Primeira Guerra Mundial foi achado no fundo do mar, 143 quilômetros ao norte da ilha neerlandesa de Terschelling.

A descoberta foi feita pela companhia dinamarquesa JD-Contractor, que já encontrou nada menos que 37 submarinos afundados nos mares em redor da Dinamarca.

“É um grande achado. É o único submarino do tipo L que afundou durante a Primeira Guerra Mundial. O resto da série L foi desmantelado há muitos anos”, disse o diretor da empresa, Gert Normann Andersen, à emissora dinamarquesa TV Midtvest.

O referido submarino afundou em 3 de outubro de 1918 depois de ter destruído um torpedeiro alemão que estava procurando sobreviventes de outro navio alemão naufragado. Depois chegaram quatro outros torpedeiros alemães, perseguindo e afundando o mais lento L10.

De acordo com Andersen, tanto o submarino como os outros dois navios estão descansando no fundo do mar.

“O L10 afundou com 38 homens a bordo, e há alguns familiares e descendentes que ficarão felizes agora”, relatou.

– Historien har været uforløst indtil nu. Vi er de første i verden, der fortæller, at ubåden ligger der. Stort…

Posted by TV MIDTVEST on Thursday, March 5, 2020

“A história continua por resolver. Somos os primeiros no mundo a dizer a vocês que o submarino está lá” disse um orgulhoso Andersen. “Parabéns à expedição local, com Gert Normann Andersen na vanguarda, que fez uma grande descoberta no fundo do mar“, diz um tweet da emissora TV Midtvest.

A descoberta foi feita pelo navio de pesquisa Vina, que navegou do porto de Thyboron com uma tripulação mista dinamarqueso-polonesa de 26 tripulantes. A principal esperança da missão do projeto polonês, com o nome SANTI Odnalezc Orla, era encontrar o submarino polonês Orzel da Segunda Guerra Mundial, considerado atualmente o mais procurado do mundo.

Foram lançadas seis expedições para localizar o Orzelb sem sorte até à data. Mesmo assim, a tripulação não está nem um pouco desapontada.

“Embora não tenha sido o Orzel que encontramos, é uma grande história. É tal e qual um filme de Hollywood. Um submarino e os dois torpedeiros, e seu destino durante a Primeira Guerra Mundial. Para nós, trata-se de contar uma boa história. Abre outro capítulo e aproxima o passado de todos nós”, disse Tomasz Stachura, líder da equipe do projeto polonês SANTI Odnalezc Orla.

Gert Normann Andersen não descartou a hipótese de também encontrar o submarino neerlandês O13 por acaso. “O Orzel e o O13 são os dois submarinos mais procurados do mundo, mas agora temos de ver o que vamos encontrar. Mesmo que só encontremos um deles, será uma sensação mundial”, disse Gert Normann Andersen.

A equipe de mergulhadores vai tentar resgatar um item do L10 como lembrança, e depois irá para o campo de minas colocado no fundo do mar do Norte pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, onde o O13 deve ter desaparecido em 25 de junho de 1940.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

‘Grande ameaça à saúde pública’: cientistas descobrem mutação resistente a remédio contra a malária

Pesquisadores em Ruanda identificaram uma cepa do parasita causador da malária que é resistente a medicamentos. O estudo, publicado na revista Nature, revelou que os parasitas eram capazes de resistir ao tratamento com a artemisinina, um …

Brasil, um ano no foco da crítica ambiental mundial

Em agosto de 2019, país virou pária ambiental devido a incêndios e aumento do desmatamento. Bolsonaro reagiu com agressividade e insultos. Agora, aumenta a pressão de investidores estrangeiros por uma mudança de rumo. Foi uma catástrofe …

Com medo da Covid-19, Venezuela discrimina venezuelanos que voltam ao país

Várias medidas vêm sendo aplicadas na Venezuela para conter a Covid-19. Um estádio foi transformado em hospital de campanha, blocos de concreto foram colocados nas vias, festas estão proibidas e há um canal de …

Centro Gamalei, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente

O diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei falou sobre os testes da vacina, que será registrada oficialmente na quarta-feira (12). As partículas do coronavírus na vacina da COVID-19 não podem prejudicar …

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …

Emocionante avanço da teoria para a realidade: bizarro efeito quântico é observado

No núcleo toda estrela anã branca — o denso resto de uma estrela que queimou todo seu combustível — existe um fenômeno quântico enigmático: enquanto ganha massa ela reduz de tamanho chegando a um ponto …

Estudo prevê 300 mil mortes por covid até fim do ano nos EUA

Pesquisadores da Universidade de Washington pintam cenário sombrio caso restrições não sejam respeitadas. Enquanto primeiros epicentros registram queda, outros estados americanos divulgam taxas de infecções recordes. A epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos …

Coronavírus: Exportações devem cair mais de 20% na América Latina, diz ONU

As exportações da América Latina e do Caribe podem cair mais de 20% em 2020 devido às consequências da pandemia do coronavírus, que também terá um impacto negativo nas importações, disse uma agência da …

O que é nitrato de amônio, que pode provocar explosões como a de Beirute?

A recente tragédia no país árabe trouxe de novo à tona preocupações sobre o armazenamento do perigoso material, tornando necessário saber como esses incidentes ocorrem para os prevenir. A explosão de nitrato de amônio em Beirute, …

Astrônomos descobrem nuvens gigantes "escondidas" em Vênus há 35 anos

Uma equipe de astrônomos encontrou nuvens venenosas, com gotas de ácido sulfúrico em sua formação, em meio à densa atmosfera de Vênus. Curiosamente, essas nuvens já estavam presente na atmosfera venusiana há pelo menos 35 anos, …