“Tsunami cerebral” no momento da morte pode ser reversível

(dr) UTSWIM

À esquerda, um cérebro vivo; à direita, o cérebro, sem fluxo sanguíneo, depois da morte

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram observar os “tsunamis cerebrais” que acontecem no cérebro no exato momento em que a morte se torna irreversível, analisando o fenômeno em pacientes terminais enquanto morriam no hospital. Afinal, irreversível pode ser uma ideia muito relativa.

Talvez nunca poderemos de fato saber o que realmente acontece na hora de nossa morte, mas um grupo de cientistas da Universidade Charitée, em Berlim, junto com uma equipe da Universidade de Cincinnati, nos EUA, decidiram desenvolver um estudo pioneiro sobre o tema, monitorando o sistema nervoso e o cérebro de pacientes terminais durante seus falecimentos.

A pesquisa, liderada pelo cientista Jens Dreier e publicada em janeiro na revista Annals of Neurology, foi realizada com a devida autorização das famílias dos pacientes, vítimas em geral de acidentes de carro, AVCs ou paradas cardíacas – pessoas que não tinham mais salvação.

O propósito da pesquisa não era somente o de compreender o funcionamento cerebral na hora da morte, mas também de possivelmente salvar vidas no futuro. Trata-se do primeiro estudo a realmente documentar a sequência de eventos cerebrais durante a morte.

A equipe de pesquisadores queria ter mais detalhes sobre o que acontece com o cérebro dos humanos, algo que ainda estava cheio de enigmas. Para isso, à medida que o paciente terminal piorava, os cientistas monitoraram sua atividade neurológica usando dezenas de eletrodos.

De maneira geral, os neurônios funcionam com íons carregados, o que cria desequilíbrios elétricos entre eles e seu ambiente – isso permite que pequenos choques, ou sinais, sejam criados. Para os autores do estudo, a manutenção desse sistema fica mais difícil quando a morte está chegando.

Para se alimentar, essas células “bebem” oxigênio e energia química da corrente sanguínea. Quando o corpo morre e o fluxo de sangue que chega ao cérebro para, os neurônios – privados de oxigênio – tentam uma de suas últimas saídas: acumular os recursos que sobraram, dizem os pesquisadores.

O que sabíamos até então sobre morte cerebral era a partir de pesquisas com animais e, ainda que a nova pesquisa revele que a morte para nossos cérebros seja similar à morte em animais, o cérebro humano naturalmente traz especificidades e complexidades peculiares – e incríveis.

Uma das primeiras descobertas é do esforço enorme que os neurônios realizam a fim de tentarem manter-se vivos – e, diante da falta de oxigênio e energia química pela ausência de fluxo sanguíneo, os neurônios se silenciam, a fim de acumularem e salvarem os recursos que lhes restam.

A energia é utilizada não para enviar sinais, como normalmente fazem, mas sim para manter cargas elétricas internas, mantendo o cérebro “vivo” a espera de um novo fluxo sanguíneo – que infelizmente não virá. Esse fenômeno incrível foi batizado de “depressão não dispersa”, pois acontece no cérebro como um todo.

Em seguida, no entanto, o inevitável: uma grande liberação dessa energia térmica, conhecida como “despolarização da difusão” ou “tsunami cerebral”, que leva à destruição das células. Conforme os níveis de oxigênio caiam nos pacientes monitorados, caia também as atividades cerebrais.

É então que a morte chega.

“A despolarização expansiva marca o início das mudanças celulares tóxicas que eventualmente levam à morte, mas não é o ponto chave da morte por si só, pois essa despolarização é reversível até certo ponto, com a restauração do suprimento de energia”, diz Jens Dreier.

Os resultados da pesquisa parecem apontar que a morte cerebral pode ser reversível. Mas, como diz Dreier, a morte é um fenômeno complexo para o qual não há respostas fáceis.

Ciberia // Hypeness / BBC / Science Alert

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mandetta diz à CPI que Bolsonaro ignorou a ciência no combate à covid-19

Ex-ministro afirma que presidente queria alterar bula da cloroquina para que fosse indicada no tratamento contra o coronavírus. Falta de unidade nas ações do governo confundiu população e afetou combate à doença, avalia. O ex-ministro da …

Vacina EpiVacCorona tem eficácia de mais de 90%, segundo desenvolvedor

Especialista do centro desenvolvedor da EpiVacCorona informou que os estudos aleatórios em grupos imunizados mostram uma eficácia de mais de 90%. Os anticorpos contra o novo coronavírus, após a vacinação com o imunizante russo EpiVacCorona, se …

Covid: 5 motivos que explicam por que Índia recebe mais ajuda do mundo que Brasil

Hospitais em colapso. Pacientes sem vagas nas UTIs. Falta de oxigênio para quem precisa. O cenário devastador que assola a Índia agora durante a pandemia de covid-19 foi o mesmo do Brasil de algumas semanas atrás. …

Google tem sistema para busca de postos de vacinação contra covid

A partir de agora, o Google vai te ajudar a encontrar o lugar mais próximo para você tomar aquela dose tão sonhada da vacina contra a covid-19. A ferramenta se baseia em buscas do tipo ‘como …

Pessoas vacinadas serão isentas de restrições sanitárias na Alemanha

A Alemanha pretende suspender algumas restrições para as pessoas que já foram vacinadas contra o coronavírus. Quem já foi imunizado não será mais obrigado a apresentar um teste negativo para entrar em lojas que …

Com a tecnologia atual não teríamos nenhuma chance contra esse asteróide

Um asteróide fictício vindo em direção a Terra se mostrou mais poderosos que todos os cientistas. Um grupo de especialistas de agências espaciais dos EUA e da Europa participou de um exercício de uma semana liderado …

Divórcio de Bill e Melinda Gates: as dúvidas sobre o destino de fortuna de US$ 124 bilhões

Bill e Melinda Gates anunciaram na segunda-feira (03/05) que vão se divorciar após 27 anos juntos, pondo fim a um dos casamentos mais famosos do mundo dos negócios. Eles se conheceram na década de 1980, quando …

Atraso para tomar 2ª dose não prejudica imunização contra a COVID-19, explica infectologista

Pelo menos nove capitais brasileiras suspenderam a aplicação da segunda dose da vacina contra a COVID-19 fabricada pelo Instituto Butantan, a CoronaVac. Os municípios alegam que as mudanças nas regras do Ministério da Saúde prejudicaram …

Viaduto de metrô desaba no México e deixa mais de 20 mortos

Colapso de estrutura sobre movimentada avenida deixa 70 feridos na Cidade do México. Linha de metrô que trafegava pelo viaduto foi inaugurada há menos de dez anos. Ao menos 23 pessoas morreram e 70 ficaram feridas …

Converse abre loja virtual na famosa Ilha de Lixo do Pacífico

A Converse quer ajudar a limpar a ilha de Lixo do Pacífico por meio de uma campanha de conscientização que uniu criativos de todo o mundo. A marca de calçados juntou um grupo de jovens artistas …