NASA descobriu “Sistema Solar” parecido com o nosso

Durante uma reunião com a imprensa realizada esta quarta-feira, a NASA informou que foram identificados sete planetas do tamanho da Terra em órbita da estrela TRAPPIST-1, localizada a cerca de 39 anos-luz do Sol, na constelação Aquarius.

“Sinto-me entusiasmado por anunciar que o Dr. Michael Gillon e sua equipe usaram o nosso telescópio espacial Spitzer para confirmar que existem realmente sete planetas do tamanho da Terra em órbita da estrela TRAPPIST-1”, informou o dirigente da NASA, Thomas Zubuchen.

Este sistema de exoplanetas é chamado de TRAPPIST-1, devido ao Transiting Planets and Planetesimals Small Telescope (TRAPPIST), localizado no Chile, através do qual os cientistas observaram três planetas, em maio de 2016.

A apenas 40 anos-luz da Terra, o sistema estelar com sete planetas de massa similar ao nosso, três dos quais se encontram na área habitável e poderiam abrigar oceanos de água na superfície, o que aumenta a possibilidade de que esse sistema possa abrigar vida.

O sistema, localizado por um grupo internacional de astrônomos e cujo estudo foi publicado nesta quarta-feira pela revista “Nature”, tem tanto o maior número de planetas do tamanho da Terra como o maior número de mundos que poderiam ter água em estado líquido na superfície.

Os seis planetas mais próximos à estrela, provavelmente rochosos, podem ter uma temperatura na superfície de entre 0 e 100 graus, a faixa na qual pode haver água em estado líquido, e três deles estão na chamada “área habitável”, razão pela qual são candidatos especialmente promissores para abrigar vida.

Os corpos recém-descobertos giram em órbitas planas e ordenadas ao redor de TRAPPIST-1, uma estrela anã ultrafria com um brilho cerca de mil vezes menor que o do nosso sol.

O autor principal do estudo, Michaël Gillon, do Instituto STAR na Universidade de Liège (Bélgica), se mostrou animado com os resultados.

“Trata-se de um sistema planetário surpreendente, não só por termos encontrado tantos planetas, mas porque são todos assombrosamente similares em tamanho à Terra!”, afirmou Gillon.

O novo sistema é relevante para os cientistas por sua proximidade à Terra em termos astronômicos e porque é o primeiro que conta com sete planetas de tamanho similar ao nosso, assim como pelo reduzido tamanho de sua estrela, uma particularidade que simplificará o estudo do clima e da atmosfera desses mundos.

Os sete planetas são 80 vezes maiores em relação à TRAPPIST-1 que a Terra em relação ao sol, motivo pelo qual bloqueiam uma grande quantidade de luz quando transitam na frente da estrela.

Isso facilita para os pesquisadores a tarefa de identificar seus componentes químicos por meio de técnicas de fotometria.

Buscamos uma estrela muito pequena, ao contrário de outros grupos de astrônomos. Isso faz com que os planetas apareçam magnificados”, explicou em entrevista coletiva por telefone Amaury Triaud, pesquisador da Universidade de Cambridge (Reino Unido).

Após uma primeira fase de “reconhecimento”, os cientistas planejam agora iniciar “observações detalhadas para estudar o clima e a composição química dos corpos, com o objetivo de determinar se há vida nele”.

Em alguns anos saberemos muito mais sobre estes planetas e esperamos saber se há vida no prazo de uma década”, previu Triaud.

Em 2010, o grupo de pesquisadores liderado por Gillon começou a esquadrinhar a vizinhança do sistema solar com o TRAPPIST (Telescópio Pequeno para Planetas em Trânsito e Planetesimais), situado no Chile.

A promissora descoberta inicial da estrela TRAPPIST-1 permitiu aos pesquisadores focar o telescópio espacial Spitzer da Nasa (agência espacial americana) em direção a esse ponto durante 20 dias sem interrupção.

A partir dessas observações e das de outros telescópios terrestres recolhidas durante anos, foram recopiladas evidências de 34 trânsitos de corpos em frente à estrela, que os cientistas atribuem às órbitas de sete planetas.

O sistema estelar, no qual os seis corpos interiores têm períodos orbitais de entre 1,5 e 13 dias, fez os astrônomos se lembrarem do que formam Júpiter e suas luas, tanto por suas proporções relativas como pelas órbitas compactas e próximas.

Nos últimos anos, os cientistas acumularam provas que os planetas do tamanho da Terra são comuns na galáxia, mas o trabalho de Gillon e seus colegas indica que são ainda mais abundantes do que se pensava.

Calcula-se que, por cada planeta que se detecta quando transita em frente a sua estrela, há uma multidão de outros corpos similares (entre 20 e 100 vezes mais) que permanecem inobserváveis porque da perspectiva terrestre não cruzam na frente do astro.

// EFE / ZAP

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cannabis tem potencial terapêutico como antibiótico, segundo cientistas

Uma equipe de cientistas da Universidade McMaster, no Canadá, estabeleceu que o canabigerol (CBG) tem potencial no tratamento de bactérias patogênicas. Cientistas da Universidade McMaster no Canadá identificaram um composto antibacteriano gerado pela maconha que poderia …

Escócia será o primeiro país a distribuir absorventes menstruais gratuitamente

O Parlamento autônomo da Escócia deu um passo em direção à gratuidade dos absorventes higiênicos para mulheres - decisão inédita no mundo. A proposta de lei foi votada por 112 deputados e visa lutar contra …

Não precisa sofrer. Carnaval começa cedo em 2021

Com a chegada da quarta-feira de Cinzas, está declarado o fim do Carnaval 2020… Ok, vai… Dá para fazer mais um bota fora na sexta e sábado dessa semana, pois, como sempre, brasileiro dá o …

Coronavírus: antiga vacina pode ter resposta para prevenção contra Covid-19

Novos casos do coronavírus SARS-CoV-2 continuam a se espalhar pelo mundo, mesmo que em velocidade menor de propagação, e sem nenhuma vacina ou medicamento para a prevenção — pelo menos até agora. Já são mais de …

Líderes políticos condenam apoio de Bolsonaro a ato anti-Congresso

Presidente teria compartilhado com aliados convocação para manifestações a seu favor e contra o Legislativo. Lula, FHC, OAB e outras lideranças alertam contra ameaça às instituições democráticas e à Constituição. Líderes políticos de várias correntes e …

A menina de 6 anos que foi presa por se comportar mal na escola nos EUA

Imagens gravadas pela câmera corporal de um policial mostram o momento em que uma criança de seis anos foi presa em uma escola de Orlando, na Florida, em setembro de 2019. As mãos da menina foram …

Achado 'elo perdido' bacteriano fundamental a pensamento e memória do ser humano

Os canais de cálcio que se abrem e fecham em resposta a sinais elétricos no cérebro são essenciais para o pensamento, memória e contrações musculares. A descoberta de um canal de cálcio que é possivelmente um …

Novo estudo aponta Uber e Lyft como responsáveis por aumento de 70% da poluição

Um novo estudo divulgado pela Union of Concerned Scientists nesta terça-feira (25) afirma que as viagens feitas em carros de apps como o Uber e o Lyft foram responsáveis por um aumento de 69% nos …

Brasil tem primeiro teste positivo para coronavírus

Pela primeira vez, o teste em um paciente no Brasil deu positivo para o novo coronavírus causador da doença Covid-19. Segundo divulgou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (25/02), trata-se de um homem de 61 …

Tese diz que ‘Parasita’ se inspirou em filme de Sérgio Mallandro e assusta por coerência

E se toda a inspiração do mago do cinema Bong Joon Ho viesse das grandes pérolas do nosso cinema dos anos 90? O diretor e roteirista de parasita já se declarou um fã da sétima …