Naufrágio do século XVI é encontrado na Flórida, mas seu tesouro pertence à França

(dr) Global Marine Exploration, Inc.

A flor-de-lis francesa gravada no canhão do século XVI descoberto em naufrágio em Cape Canaveral, Florida.

Um naufrágio do século XVI, sobrevivente de uma das primeiras viagens europeias à América, foi descoberto na costa da Florida.

O achado guarda tesouros que valem milhões de dólares, mas uma juíza americana determinou que a empresa que o descobriu não tem o direito de manter os valiosos artefatos.

Isso porque eles podem pertencer a uma pequena frota de navios franceses liderados pelo explorador Jean Ribault, que navegou para estabelecer uma colônia na Florida entre 1562 e 1565.

Em maio e junho de 2016, a empresa de recuperação marinha Global Marine Enterprises (GME) localizou três canhões ornamentados de bronze do naufrágio, cada um valendo mais de US$ 1 milhão, além de um monumento de mármore que carrega o brasão de armas do rei de França agora considerado “inestimável”.

Internet Archive / Flickr

O monumento de mármore com o brasão de armas do rei da França era transportado na nau de Ribault

A empresa tinha permissão do Estado da Florida para explorar sete áreas do fundo do mar perto de Cabo Canaveral.

Durante a disputa legal, a GME argumentou que invasores espanhóis saquearam os canhões e artefatos da antiga colônia francesa em Fort Caroline, na Florida, em 1565. Logo, tais objetos estavam a bordo de um navio espanhol, provavelmente com destino a Cuba, quando o navio afundou na costa da Florida.

A juíza Karla Spaulding deu propriedade do naufrágio e seus valiosos artefatos para a nação da França, no entanto. A corte determinou que eles provavelmente estavam sendo levados na nau capitânia de Ribault, La Trinité, que afundou durante uma tempestade na Florida em 1565.

Além dos três canhões de bronze e do monumento, os mergulhadores da GME também encontraram 19 canhões de ferro, 12 âncoras e outros objetos enterrados sob cerca de um metro de areia.

Poucos meses depois da descoberta, a nação da França reivindicou os restos do naufrágio em uma corte dos EUA, alegando que eles vieram da nau capitânia de Ribault.

A França, que foi apoiada em seu processo pelo Estado da Florida, alegou que o naufrágio do La Trinité está protegido por um direito soberano, reconhecido na lei dos EUA, que impede o resgate não autorizado de navios. O tribunal aceitou esse argumento. Não se sabe se a GME entrará com um recurso contra a decisão do tribunal.

A decisão judicial foi bem recebida pelo St. Augustine Lighthouse & Maritime Museum, organização que administra um programa de arqueologia marítima. No passado, eles procuraram os destroços da “frota perdida” de Ribault.

De acordo com comunicado do museu, “essencialmente, esta decisão permite que a escavação do naufrágio seja organizada pelo Estado da Florida, em cooperação com os franceses”. Os cientistas esperam fazer parte do projeto para preservar os tesouros descobertos.

Este naufrágio é o mais significativo encontrado nas águas da Florida”, disse a diretora executiva do museu, Kathy Fleming.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Roraima volta a pedir ao STF limite de entrada de venezuelanos

O governo de Roraima voltou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão temporária de entrada de imigrantes em território brasileiro para tentar conter o perigo de conflitos e o “eventual derramamento de sangue …

Aumento do Judiciário compromete orçamento de 13 Estados

Metade dos 26 estados ligou o alerta orçamentário: o aumento que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concederam a si mesmos – ainda depende de aprovação no Senado – pode inviabilizar a folha de …

Universidade de São Paulo abre inscrições para curso gratuito sobre Harry Potter

O universo de Harry Potter continua conquistando gerações. Desde o lançamento do primeiro romance em 1997 (A Pedra Filosofal), foram mais de 450 milhões de cópias vendidas, traduções para 73 idiomas e o surgimento de …

Polícia catalã abate homem que invadiu delegacia aos gritos de “Alá é grande”

O homem de 29 anos, de origem argelina, foi abatido, na manhã desta segunda-feira (20), depois de ter tentado invadir uma delegacia catalã armado com uma faca aos gritos de “Allahu Akbar”. Segundo o El País, …

Juiz solta empresário filmado agredindo a esposa; imagens fortes

O juiz Fabiano Ribeiro abriu mão da fiança e permitiu que o empresário Giorgio Alan Bortolin dos Santos, preso em flagrante após ser filmado por uma câmera de segurança agredindo a própria mulher, responda ao …

“Bola de fogo” 40 vezes mais brilhante que a Lua cheia atravessa os EUA

Uma bola de fogo cruzou o céu do estado norte-americano do Alabama durante a noite de sexta-feira (17). A NASA divulgou um vídeo, no qual mostra o objeto sobrevoando a cidade, com um feixe de …

Com curso gratuito, USP quer meninas cientistas

Meninas que sonham ser cientistas contam agora com o incentivo de um grupo de pesquisadoras e cientistas de São Paulo. É o projeto “Meninas com Ciência-2ª edição SP: de mulheres cientistas para meninas que sonham”, …

Ministra neozelandesa pedala até hospital para dar à luz

Titular do Ministério para Mulheres que estava grávida de 42 semanas brincou que escolheu bicicleta porque não havia "espaço suficiente no carro”. A ministra para Mulheres da Nova Zelândia deu à luz ao seu primeiro bebê …

Japão terá robôs "inteligentes" nas salas de aula para ensinar inglês

O Governo de Japão planeja introduzir nas salas de aula robôs com inteligência artificial (IA) capazes de falar inglês durante as aulas desta matéria, para ajudar as crianças a melhorar sua destreza oral, uma das …

Empresário britânico doa R$ 5 milhões para campanha contra o Brexit

O empresário britânico Julian Dunkerton, cofundador da marca de roupas Superdry, anunciou neste domingo (19) que apoia financeiramente a organização People's Vote, que milita pela realização de um novo referendo sobre o Brexit. A doação do …