ONU defende ônibus movido a hidrogênio para melhorar mobilidade urbana

(dr) Daniel Guimarães / A2img

-

Um ônibus que não emite poluentes e libera apenas água na atmosfera. No Brasil, a ideia já saiu do papel. A solução sustentável foi apresentada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PnuD) no IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS), realizado na última semana de abril em Brasília.

Ao participar da mesa intitulada Como qualificar o transporte coletivo e atrair novas fontes de recursos, a especialista da agência da ONU, Rose Diegues, lembrou que, em março de 2016, três ônibus movidos a hidrogênio foram incluídos na frota paulista.

Os veículos sustentáveis foram desenvolvidos pelo PnuD em parceria com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) e com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

“São Paulo foi escolhida porque é a cidade com a maior frota de ônibus do Brasil”, explicou Diegues. Os veículos rodaram por pouco tempo, pois apresentam uma tecnologia pré-comercial, com um modelo de negócio que ainda precisa ser implementado no Brasil.

A especialista do PnuD aponta, porém, que a iniciativa foi importante por transferir tecnologia e conhecimentos para a indústria nacional. “Esse projeto deu oportunidade ao mercado brasileiro para se adequar a essa nova tecnologia, que é uma tecnologia do futuro”, afirmou.

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a colocar em circulação regular um ônibus movido a hidrogênio — e o quarto do mundo, junto com Estados Unidos, Canadá e Alemanha.

Também presente no evento, o secretário municipal de transportes de São Paulo, Sérgio Avelleda, apontou que, atualmente, apenas 7% dos veículos responsáveis pelo transporte urbano da cidade são sustentáveis.

O objetivo é chegar a 100%. “Apenas 21% da poluição gerada pelo sistema de transporte em São Paulo é causada pela frota de ônibus. Cerca de 40% é por caminhões, e o restante é pelos carros”, disse o secretário.

Nos últimos 15 anos, a frota de automóveis do Brasil triplicou, e a de motocicletas aumentou cerca de cinco vezes, o que torna fundamental a busca por soluções de mobilidade urbana sustentáveis.

Para mudar esse quadro, a diretora da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do estado do Rio de Janeiro (FETRANSPOR), Richele Cabral Gonçalves, defendeu o investimento em Transporte Rápido por Ônibus, os BRTs. “Cada BRT tira 3 ônibus da rua. Isso leva a ganho de eficiência energética no transporte público”, disse.

Para o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Ailton Brasiliense, investimentos em sustentabilidade devem beneficiar não apenas os grandes centros urbanos, mas principalmente as cidades de médio porte.

“A perspectiva para os próximos 30 anos é que o Brasil ganhe cerca de 40 milhões de habitantes. Essas pessoas não vão morar em São Paulo, Rio de Janeiro ou Salvador. Elas vão viver nas cidades médias e, por isso, precisamos investir na mobilidade urbana dessas cidades”, alertou.

Dados e políticas públicas

O PnuD também moderou outra mesa do Encontro dos Municípios — Estratégias e instrumentalidades de gestão necessárias no enfrentamento das desigualdades.

Realizado na última quinta-feira, o evento contou com a participação do coordenador sênior de pesquisa do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), Rafael Osório. O especialista alertou para a falta de dados de qualidade sobre a situação da população brasileira.

“O município deve e pode produzir dados úteis para o planejamento de políticas públicas”, afirmou Osório. O pesquisador reconheceu que, para as gestões locais, o trabalho estatístico é dificultado pela falta de recursos humanos. “É muito difícil, por exemplo, inserir um grande profissional capacitado no interior do Brasil”, alegou.

Ao longo das atividades do IV EMDS, especialistas concordaram que a escassez de dados confiáveis é um empecilho ao monitoramento da implementação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

“O Brasil teve um processo destacado na formatação da Agenda 2030, que não é apenas uma agenda ambiental, é uma agenda de desenvolvimento sustentável, em três pilares: o social, o econômico e o ambiental. E traz mais um componente, que é o pilar institucional”, disse o secretário nacional de Articulação Social, Henrique Villas, durante o encontro.

“Não chegaremos a lugar algum sem instituições fortes e preparadas ao desafio, tanto de quem gere políticas públicas no âmbito federal como também de quem gere a política pública no âmbito municipal”, acrescentou.

Para o pesquisador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Leonardo Athias, no nível do monitoramento nacional, sabe-se da dificuldade para se ter “dados confiáveis, dados comparáveis e com os mesmos critérios”. Outros desafios incluem a compilação de estatísticas regionais, de acordo com o funcionário da instituição.

// EcoD

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sucesso nas apostas depende do apostador

Se você quer ter lucro nas apostas, precisa fundamentalmente de duas coisas: ter vantagem em relação à casa de apostas e um método de apostas bem rigoroso. Falamos disso porque muitos dos apostadores deixam dinheiro às …

Bezos doará US$ 10 bilhões para combater mudanças climáticas

Dono da Amazon anuncia fundo para financiar pesquisas voltadas a reduzir impactos do aquecimento global. Empresa tem enorme pegada de carbono por uso de combustíveis fósseis no transporte de produtos. O multimilionário americano Jeff Bezos afimou …

Jogador alvo de racismo toma atitude que todo mundo deveria ter e abandona gramado

Na última rodada da Liga Portuguesa, o Porto venceu fora de casa Vitória de Guimarães por 2 a 1. O gol que definiu a partida foi do malinês Marega. O ponta de lança recebeu um …

Ministra da Saúde de Macron vai disputar prefeitura de Paris em batalha de mulheres

O partido presidencial francês e seus aliados centristas encontraram neste domingo (16) na ministra da Saúde, Agnès Buzyn, 58, a sucessora ideal para Benjamin Griveaux. O candidato de Emmanuel Macron ao cargo de prefeito de …

Organização vende suposto DNA de Donald Trump e outros líderes globais

Nesta sexta-feira, uma organização chamada Earnest Project passou a oferecer a chance de possuir amostras de DNA de alguns líderes mundiais e outras celebridades. O grupo alega que coletou clandestinamente itens descartados pelos participantes do Fórum …

Tribunal alemão suspende derrubada de floresta para fábrica da Tesla

Justiça ordena que gigante americana interrompa corte de árvores nos arredores de Berlim enquanto analisa pedido de associação ambiental. Empresa de Elon Musk planeja construir ali sua primeira "gigafábrica" da Europa. Um tribunal na Alemanha determinou …

Satélites podem facilmente ser manipulados por hackers, alerta pesquisador

Talvez você já esteja por dentro da confusão toda em relação aos problemas que os satélites Starlink, da SpaceX, estão causando na comunidade astronômica. Os relativamente poucos satélites lançados (cerca de 240, como parte de um …

Na Índia, campanha faz semáforo voltar ao vermelho se os motoristas buzinarem demais

Se a Índia é um país famoso por sua religiosidade, sua culinária, suas belezas naturais e, sendo o segundo país mais populoso, por ser a maior democracia por eleitorado do mundo, ela também carrega a …

Secularismo e tolerância a minorias predizem a prosperidade de um país

Pesquisadores da Universidade de Bristol e Universidade do Tennesse analisaram dados de quase 500 mil pessoas de 109 países e concluíram que mudanças na cultura geralmente vêm antes da melhora na riqueza, educação e democracia. Os …

Estudo: declínio de abelhas se aproxima da extinção em massa

De acordo com um novo estudo liderado por cientistas da Universidade de Ottawa (Canadá), a probabilidade de uma população de abelhas sobreviver em qualquer lugar diminuiu 30% no curso de uma geração humana. Os pesquisadores sugerem …