Pedras com 5 mil anos podem ser os mapas mais antigos do mundo

Bornholms Museum / Facebook

"Pedra Solar" com 5000 anos descoberta em Vasagard, Dinamarca

“Pedra Solar” com 5000 anos descoberta em Vasagard, Dinamarca

Arqueólogos dinamarqueses descobriram mais de 200 pedras cobertas de gravuras de linhas e quadrados que podem ter sido os primeiros mapas do mundo, usados há cinco mil anos.

Estas pedras planas foram descobertas em escavações num local sagrado com cinco mil anos que é conhecido como Vasagard, em Bornholm, uma ilha dinamarquesa situada no Mar Báltico.

Nesse lugar, que é alvo de escavações desde a década de 1990, foram encontradas mais de 200 pedras quebradas, cobertas de gravuras de linhas e quadrados, que os arqueólogos acreditam terem sido uma espécie de mapas simbólicos antigos.

Chamadas de “pedras do sol” ou “pedras solares”, estes objetos com padrões de linhas direitas são associados pelos pesquisadores às crenças de uma religião neolítica que venerava o sol, há cerca de cinco mil anos, conforme nota o site Live Science.

O arqueólogo Flemming Kaul, curador e pesquisador de pré-história do Museu Nacional da Dinamarca, explica que estas pedras milenares podem ter sido mapas simbólicos de paisagens e que terão sido, provavelmente, usadas em rituais pelos agricultores da Idade da Pedra, com o intuito de influenciar magicamente o sol e a fertilidade das suas terras.

Bornholms Museum / Facebook

"Pedra Solar" com 5.000 anos descoberta em Vasagard, Dinamarca

“Pedra Solar” com 5.000 anos descoberta em Vasagard, Dinamarca

“Há uma pedra em particular que parece ser bastante complicada e concordamos todos que parece uma espécie de mapa – não um mapa no nosso sentido moderno, mas um mapa estilizado“, sublinha Flemming Kaul em declarações ao Live Science.

Apresentando linhas e quadrados que parecem campos, cercas e plantas, o arqueólogo diz que vê “algumas semelhanças com as gravuras rupestres dos Alpes no norte de Itália, datadas do mesmo período de tempo e que são interpretadas como paisagens simbólicas”.

Este dado não significa, porém, que houvesse contato entre os povos que viviam na Escandinávia e os que habitavam outras zonas da Europa, há cinco mil anos, conforme constata o pesquisador.

Contudo, pode ser sinal de que havia ideias comuns e uma espécie de “tendência de desenvolvimento europeu geral”, também num “sentido espiritual ou religioso”, aponta Kaul.

“As imagens do sol devem ter algo a ver com o culto solar – e temos muitas outras indicações europeias disso, tal como Stonehenge na Inglaterra, por volta da mesma altura, e sepulturas de passagem na Irlanda que estão orientadas em função do nascer-do-sol do solstício de Inverno”, acrescenta o arqueólogo.

Do leque de pedras descobertas na Dinamarca, a mais detalhada tem cerca de cinco centímetros de largura e foi quebrada em três partes, uma das quais ainda não foi encontrada, conforme constata o Live Science.

Kaul descreve a pedra como “muito complexa”, com “diferentes tipos de campos e algo que parecem plantas”, e conclui que pode simbolizar “uma colheita como a cevada” e que terá sido usada num ritual religioso algures entre 2900 e 2700 a.C..

Os arqueólogos publicaram detalhes científicos sobre a descoberta na revista científica dinamarquesa Skalk.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Superterra gelada vizinha do nosso planeta pode abrigar vida primitiva

Edward Guinan e Scott Engle, cientistas da Universidade de Villanova, no estado norte-americano da Pensilvânia, anunciaram que pode existir vida primitiva em GJ 699b, a Superterra gelada que orbita a estrela de Barnard, localizada a apenas …

China faz história: pela primeira vez, nasce uma semente de algodão na Lua

A missão espacial chinesa conseguiu fazer brotar uma semente de algodão na Lua, informou nesta terça-feira (15) a imprensa estatal, em um feito inédito, alcançado pelo Chang'e 4, a primeira sonda a pousar no lado …

Submarinos russos serão equipados com “torpedos do Juízo Final”

Os submarinos das frotas do Norte e do Pacífico da Marinha russa deverão brevemente contar com 32 drones nucleares Poseidon, conhecidos como “torpedos do Juízo Final”, capazes de destruir completamente cidades costeiras. Segundo revela o portal Russkoe …

Universidade egípcia expulsa aluna por abraçar o noivo (fora do campus)

A aluna abraçou o noivo quando o rapaz a pediu em casamento, mas o gesto, que não aconteceu no interior do campus, foi o suficiente para a jovem ser expulsa pela universidade. A universidade egípcia de Al …

Escultura “McJesus” provoca protestos em Israel

Uma escultura representando a figura de Ronald McDonald (da cadeia de fast food McDonald’s) crucificado, em uma exposição de arte em Israel, está provocando protestos da minoria cristã árabe no país. Centenas de cristãos árabes pediram …

Há uma espiral misteriosa na atmosfera de Vênus

A nave espacial não tripulada Akatsuki, do Japão, encontrou gigantescas estruturas espirais na atmosfera de Vênus, formadas por ventos polares e pela rápida rotação do planeta. A atmosfera de Vênus ganha atenção de astrônomos há quase …

Tem “barriga de cerveja”? Seu cérebro pode estar encolhendo

Uma equipe de pesquisadores britânicos concluiu que quem acumula mais gordura na zona do abdômen apresenta uma maior probabilidade de redução do cérebro e de aparecimento de demência. Com a linha da cintura em expansão, surgem …

Até os antigos egípcios faziam tarefa de casa

Uma tarefa de casa, escrita por uma criança do Antigo Egito, ficou preservada desde o segundo século a.C. – e as palavras podem parecer familiares até nos dias de hoje. Uma lição antiga preservada em uma …

Dinamarca avança com plano ambicioso de criar 9 ilhas na costa de Copenhague

O governo dinamarquês e a prefeitura de Copenhague, em conjunto com um gabinete de arquitectura e planejamento urbano, vão avançar com um ambicioso plano de criar nove ilhas na costa da capital do país. Um grandioso …

(cv) Euronews

Submarino alemão da Primeira Guerra Mundial aparece na costa da França

Os destroços de um submarino alemão da Primeira Guerra Mundial emergiram em uma praia de Wissant, no norte da França. Há décadas enterrada na areia, a carcaça enferrujada da embarcação naufragada em 1917 agora pode …