Cientistas identificam a última refeição de um monstro marinho do tempo dos dinossauros

Todd Marshall / Universidade de Edimburgo

Conceito artístico do parente de ictiossauro descoberto na Escócia

Os ictiossauros, “primos” dos golfinhos dos mares da época mesozoica, comiam grandes lulas e peixes, assim como seus sucessores contemporâneos: as baleias, revelam cientistas britânicos em um artigo publicado na revista Historical Biology.

“Entre as costelas deste ictiossauro, conseguimos encontrar muitos espinhos que cobrem os tentáculos de lulas antigas. É muito surpreendente que tenhamos conseguido descobrir o que comeu pela última vez uma criatura que viveu na Terra há cerca de 200 milhões de anos”, diz Dean Lomax da Universidade de Manchester, no Reino Unido.

“Outros ictiossauros comiam peixe nos primeiros dias de vida, por isso a descoberta é interessantíssima”, acrescenta o paleontólogo.

Os répteis marítimos da época mesozoica são em muitos aspectos um enigma para os paleontólogos, pois seus restos mortais dificilmente são conservados, devido às particularidades do ambiente em que viviam.

Contudo, durante as últimas décadas, cientistas conseguiram revelar muitos detalhes que mudaram radicalmente teorias antes aceitas, como, por exemplo, sobre a comida e o estilo de vida destas criaturas.

Por exemplo, há três anos, um grupo de cientistas revelou que os ictiossauros surgiram na Terra antes mesmo de viverem no mar. Além disso, revelou-se que pliossauros, principais abutres marítimos do período cretáceo, possuíam problemas de saúde como câncer e artrite reumatoide.

Outras peculiaridades da sua anatomia indicam semelhanças entre ictiossauros e mamíferos marítimos contemporâneos dos nichos que foram libertados depois da morte dos gigantescos pangolins há 65,5 milhões de anos.

A equipe de Dean Lomax desvendou mais um segredo dos monstros marítimos da época dos dinossauros ao estudar os restos do menor ictiossauro na história da ciência, Ichthyosaurus communis, que atingia 70 centímetros de comprimento na fase adulta.

Heinrich Harder / Wikimedia Commons

Ictiossauro, dinossauro primo dos golfinhos

Este mamífero marítimo foi uma das primeiras descobertas deste ramo na história da ciência – os fósseis foram encontrados por Mary Anning, a primeira paleontóloga, em placas de giz na costa sul da Inglaterra e registrados ainda em 1822.

Em 2015, Nigel Larkin, analisou os fósseis destes animais guardados no museu da Universidade de Birmingham, limpando-os e catalogando-os. Um dos fósseis pequenos atraiu a atenção do cientista por conter inserções fora do habitual, levando-o a pedir ajuda a Lomax, especialista na esfera de paleontologia de dinossauros.

Segundo Lomax, Larkin tinha encontrado um fóssil único – esqueleto verdadeiro de um Ichthyosaurus communis recém-nascido que morreu depois de ter comido uma lula do início do período Jurássico, por volta de 200 milhões de anos atrás.

A descoberta, segundo paleontólogos, é importantíssima para a ciência, já que nunca tinha sido encontrado ou analisado ictiossauros primitivos que comiam algo além de peixe.

Consecutivamente, a existência de mais opções na dieta dos ictiossauros indica que estes mamíferos marítimos começaram a explorar os mares e ocupar nichos ecológicos diferentes já no início de sua evolução, conclui o artigo na revista Historical Biology.

Ciberia // Sputnik News / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Novo vírus infecto-contagioso explode na China e outros países já estão em alerta

O misterioso vírus que surgiu na China nos últimos dias de 2019 acaba de chegar aos Estados Unidos. As autoridades americanas confirmaram que um homem vindo da China está infectado com o vírus, que é …

Davos assiste choque entre Greta Thunberg e Trump sobre o clima

A 50ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos começou nesta terça-feira (21) na Suíça dominada pelos debates sobre as mudanças climáticas. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem ativista sueca Greta Thunberg foi convidada a …

China proibirá plástico não biodegradável

País asiático quer reduzir o uso de produtos como talheres e sacolas descartáveis em 30% até 2025. Plano prevê proibições escalonadas em hotéis, restaurantes e serviços de entrega do comércio eletrônico em áreas urbanas. As autoridades …

Inteligência artificial está sendo usada para combater extinção de pinguins

Uma tecnologia de inteligência artificial está sendo determinante no combate à extinção de pinguins no mundo. A ferramenta está sendo utilizada pela Gramener, empresa membro Intel AI Builder, que, a partir de imagens de regiões …

Criaram um escape room baseado em La Casa de Papel

As empresas Fever Originals, Atresmedia e Enigma Exprés criaram um escape room na Espanha baseado em “La Casa de Papel“. Mais de 80 mil pessoas participaram da primeira temporada do desafio. Vestidos com os uniformes e …

Guaidó desafia proibição de deixar Venezuela e inicia giro internacional em busca de apoio

O opositor venezuelano Juan Guaidó voltou a desafiar a proibição de deixar o país. O autoproclamado presidente interino viajou para a Colômbia, antes de seguir para Bélgica e Suíça. Ele pretende participar do Fórum …

FMI prevê melhora para economia brasileira, apesar da redução do crescimento mundial

O Fundo Monetário Internacional reduziu nesta segunda-feira (20) sua expectativa de crescimento global para este ano. A instituição é mais otimista sobre a situação do Brasil, que deve crescer nos próximos anos. O FMI disse …

Harry diz estar triste por deixar deveres reais

O príncipe Harry falou neste domingo (19/01) de sua tristeza por ser obrigado a desistir de seus deveres reais em um acordo com a família real britânica, dizendo não haver outra opção se ele e …

Ultrassom destrói células cancerosas

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia e do Instituto de Pesquisa Beckman da Cidade da Esperança desenvolveram uma técnica de ultrassom direcionado de baixa intensidade que mata células cancerígenas sem afetar as células saudáveis …

Robôs são maior ameaça à humanidade que mudança climática, segundo especialista

Especialista em inteligência artificial acredita que robôs podem ser hackeados por terroristas, além de outros problemas, tornando-os potencialmente perigosos para o homem. Se por um lado a tecnologia pode ajudar o homem em suas tarefas do …