Pessoas mais altas têm maior risco de desenvolver câncer

Pessoas altas têm um risco maior de desenvolver câncer porque têm mais células para que a doença se espalhe, informa um estudo internacional recente.

O estudo, publicado na quarta-feira passada nos Proceedings of Royal Society B, sugere que o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer é mais provável em pessoas altas. Por quê? A resposta é simples: pessoas altas têm mais células e, portanto, maior probabilidade de essas células se tornarem cancerígenas.

A pesquisa, que aponta para as mesmas conclusões de estudos anteriores, indica que, para um aumento de 10 centímetros acima da média da altura usada como referência (1,70m para homens e 1,60m para mulheres), há um risco 10% maior de a pessoa em questão desenvolver câncer.

Os dados foram recolhidos através de quatro estudos de grande escala. cada estudo tinha, pelo menos, 10 mil casos de câncer para cada sexo, tendo sido analisados 18 tipos de câncer distintos.

Entre os 18 tipos de câncer analisados, quatro – no pâncreas, no esófago, no estômago e na boca/faringe – não mostraram nenhum tipo de aumento com a altura. Já no que diz respeito aos tumores específicos de cada sexo, apenas um – o câncer do colo do útero – mostrou não ter qualquer relação com a altura das pacientes.

No fundo, esclarecem os cientistas, as pessoas de maior estatura têm um maior risco de desenvolver melanoma porque têm uma proporção maior de células e mais pele do que pessoas de estatura média.

Leonard Nunney, da University of California Riverside e principal autor do estudo, disse à AFP que “isso significa que o risco extra que essas pessoas têm não pode ser reduzido”.

Apesar de a altura ser determinada pelos genes, Nunney adianta, porém, que o ambiente durante a infância também tem um efeito e, assim, um impacto associado ao risco de câncer.

O ambiente e os fatores genéticos atuam durante a infância e ambos têm um forte efeito sobre a altura adulta. Não há razão para acreditar que seus efeitos sobre o risco de câncer sejam diferentes, já que o vetor é o número de células”, esclareceu.

A obesidade é também apontada como um fator que aumenta o risco individual de câncer, mas entre a obesidade e a altura há uma diferença. A obesidade aumenta o tamanho das células, mas não cria muitas mais.

“Portanto, a causalidade de um aumento no risco de câncer relacionado à obesidade é diferente daquela do efeito da altura”, acrescenta o pesquisador.

Ainda assim, o cientista argumenta que as pessoas altas não devem ficar alarmadas porque a altura não é o único, nem sequer o principal fator para o desenvolvimento da doença. “O efeito é estatístico e relativamente pequeno para a maioria das pessoas.”

Ciberia // BBC / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Nuvem monstruosa de poeira do Saara é observa da espaço vindo em direção a Amazônia

  Todo os anos o deserto do Saara, lá do lado oposto do Oceano Atlântico, sopra uma nuvem tão gigantesca de poeira em direção as Américas que foi apelidada de Godzilla. É a maior destas nuvens em …

Oi? Kanye West compara vacina para COVID-19 com "a marca da besta"

Em nova polêmica, o rapper norte-americano Kanye West fez uma série de revelações sobre como ele enxerga uma possível vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Durante entrevista concedida para a revista Forbes, o cantor também comentou …

Comentarista da CNN Brasil insinua que gays são promíscuos e ‘têm chance muito maior de ter Aids’

A CNN Brasil convidou o comentarista Leandro Narloch para falar sobre ao vivo sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de liberar a doação de sangue por parte de homens homossexuais e mulheres transsexuais, …

China detecta rastros de coronavírus em pacotes de alimentos do Equador

A China anunciou nesta sexta-feira (10/07) a suspensão das importações de alimentos do Equador após encontrar rastros do novo coronavírus em embalagens de camarão. Os vestígios foram encontrados em contêineres com pacotes de camarão branco do …

Pesquisadores se deparam com '1º colar' humano de 160.000 anos

Fósseis de conchas de amêijoas de 160 mil anos encontradas em cavernas de Israel são os primeiros exemplares de conchas usadas como adorno no corpo humano, defendem pesquisadores. Há cerca de 160 mil a 120 mil …

A China diz ter identificado uma nova doença muito mais mortal do que o Covid-19

A embaixada da China no Cazaquistão alertou sobre uma nova pneumonia desconhecida que seria ainda mais mortífera do que o coronavírus (Sars-CoV-2) causador Covid-19, de acordo com o South China Morning Post (SCMP). “A taxa de …

The Sims ganhará reality show para premiar jogadores em US$ 100 mil

A longeva franquia The Sims, onde gamers gerenciam todos os aspectos da vida de avatares virtuais, vai ganhar um reality show. Veiculado pela emissora norte-americana CBS, a atração se chamará “Spark’d” e deve ir ao ar …

Nudes de 100 anos encontrados dentro de parede são avaliados em milhares de dólares

O senso comum sugere que as gerações passadas eram mais conservadoras que as atuais, especialmente no que diz respeito à sexualidade. Basta escavarmos um pouco a memória – ou as paredes de nossas casas – para …

Presidente interina da Bolívia testa positivo para covid-19

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira (09/07) que foi infectada pelo novo coronavírus e que iniciará um período de quarentena. "Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante …

Após Bolsonaro tirar máscara em entrevista, ABI entra com ação contra presidente no STF

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) apresentou nesta quinta-feira (9) uma queixa criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, depois que ele tirou a máscara em uma entrevista em que anunciou …