Príncipe Andrew vira centro de escândalo sexual

Jamie J Gray / Flickr

O Príncipe André de Inglaterra

O príncipe Andrew do Reino Unido comunicou nesta quarta-feira (20/11) que decidiu se afastar da vida pública após o agravamento da controvérsia em torno de seu envolvimento com o milionário americano Jeffrey Epstein, acusado de criar uma rede de exploração sexual de menores nos Estados Unidos.

Andrew, que é filho da rainha Elizabeth 2ª, nega acusações de que teria mantido relações com uma adolescente de 17 anos, que lhe teria sido apresentada por Epstein, e de participar de uma orgia promovida pelo milionário. O americano, acusado de uma série abusos contra menores de idade, se suicidou na prisão em agosto deste ano enquanto aguardava julgamento.

Em 2015, a jovem Virginia Giuffre disse ter sido forçada a manter relações sexuais com Andrew em Londres, Nova York e em uma ilha particular no Caribe, entre 1999 e 2002, período em que afirma ter sido mantida como “escrava sexual” pelo milionário.

O escândalo envolvendo Andrew, de 59 anos, se agravou após uma entrevista concedida por ele à emissora britânica BBC, na qual muitos consideraram insatisfatórias as suas explicações sobre seu envolvimento com Epstein.

Na entrevista, Andrew negou que a tivesse conhecido Giuffre há quase duas décadas em Londres em uma boate, dizendo que estava com a família naquele momento. As explicações foram consideradas pouco convincentes pela imprensa britânica.

Em vez de jogar luz sobre as acusações, a entrevista concedida por Andrew gerou novos questionamentos e levou empresas a retirarem apoio a organizações e entidades de caridade associadas ao príncipe e a um esquema promovido por ele para ajudar jovens empreendedores do ramo da tecnologia.

“Ficou claro para mim nos últimos dias que as circunstâncias relacionadas à minha antiga associação com Jeffrey Epstein se tornaram uma enorme perturbação para o trabalho da minha família”, disse o príncipe em comunicado divulgado pelo Palácio de Buckingham.

“Assim sendo, pedi à Sua Majestade para me afastar dos serviços públicos no futuro próximo, e ela me concedeu sua permissão”, disse o Duque de York.

“É claro que estou apto a contribuir com quaisquer órgãos legais em suas investigações, caso seja requisitado a fazê-lo.” “Continuo a me arrepender inequivocamente de minha infeliz associação com Jeffrey Epstein”, dizia o comunicado.

“Seu suicídio deixou muitas perguntas sem resposta, em particular para as vítimas. Expresso minha profunda simpatia para com todos aqueles que foram afetados e que aguardam alguma espécie de conclusão.”

Advogados acusaram o príncipe de demonstrar pouca compaixão

Entretanto, os advogados do milionário acusaram o príncipe de demonstrar pouca compaixão para com as vítimas de abuso. A advogada Lisa Bloom, que representa cinco vítimas de Epstein, disse que Andrew deve falar com todos os que investigam as alegações, inclusive com ela própria.

“Todos os que trabalham com o príncipe Andrew devem se prontificar a dar informações e provas, e os documentos devem ser entregues – e-mails, mensagens, calendários, registros telefônicos e de viagem – para que possamos investigar isso a fundo”, afirmou.

Ela disse que não descarta a possibilidade de que o príncipe seja intimado a depor em juízo. “Acreditamos que ninguém está acima da lei e que todos devem responder se possuírem informações relevantes, e ele claramente possui informações relevantes”.

Andrew, o oitavo na linha de sucessão ao trono britânico, já havia deixado sua função de embaixador itinerante dos negócios de seu país em 2011, após se tornar alvo de críticas por sua associação com Epstein, logo após a prisão do americano em 2008 por ofensas sexuais a menores de idade.

Na entrevista à BBC, divulgada em 16 de novembro, o príncipe disse não se arrepender de sua amizade com Epstein, devido às “oportunidade que recebeu de aprender” sobre negócios e às pessoas que conheceu, mas classificou seu último encontro com o milionário, em 2010, de “decisão equivocada”.

Andrew sempre afirmou ter conhecido Epstein em 1999, através da então namorada do milionário, a socialite Ghislaine Maxwell. O príncipe disse ter se encontrado com Maxwell neste ano, antes de Epstein ser preso e acusado de tráfico sexual, e que o milionário não foi tema da conversa.

O príncipe ressaltou diversas vezes durante à entrevista à BBC que ele e Epstein não eram “tão próximos assim” e que o americano foi convidado para eventos no Castelo de Windsor e em Sandrigham na condição de acompanhante de Maxwell, e não como um amigo seu.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Governo argentino é alvo de roubo de 10 anos de arquivos administrativos

O governo da Argentina foi alvo de um ataque por meio de um ransonware e está com cerca de 10 anos de dados públicos sequestrados desde do dia 25 de novembro. Em entrevista, a ministra da …

Lausanne, na Suíça, é a melhor cidade pequena do mundo

A cidade de Lausanne, na Suíça, foi considerada a melhor cidade pequena do mundo pela influente revista britânica “Monocle”. A publicação fez uma lista com as 25 melhores cidades pequenas do mundo, com população …

Esse organismo unicelular toma "decisões" complexas mesmo sem um cérebro

Um organismo unicelular de água fresca chamado Stentor roeseli demonstra comportamento inteligente. Ele foi descoberto em 1906, e quando estimulado no microscópio, essa criatura com formato de trompete conseguiu tomar decisões consideradas complexas para um …

Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos

Decisão deixará o país de fora dos Jogos Olímpicos de 2020 e da Copa do Mundo de Futebol de 2022. Agência Mundial Antidoping (Wada) conclui que Moscou manipulou dados laboratoriais de seus atletas. A Rússia está …

Pessoas em situação de rua viram guias turísticos na Irlanda

Olha só que iniciativa maravilhosa. Na Irlanda, o projeto ‘Secret Street Tours’ treina pessoas em situação de rua para usar seu conhecimento sobre a cidade para serem guias de turistas em tours pela cidade de …

Cientistas finalmente criam neurônios artificiais

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores da Universidade de Bath (Inglaterra) realizou um feito inédito: conseguiu reproduzir a atividade biológica de neurônios usando chips de silicone. E o que é ainda melhor: esses “neurônios artificias” requerem …

Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo

A Huawei oficializou, nesta quinta-feira, 5, uma plataforma de auxílio aos desenvolvedores para publicarem e divulgarem seus aplicativos para os dispositivos da companhia. Chamada Huawei Ability Gallery, trata-se de uma expansão do ecossistema da App Gallery, …

Metrô de Paris ficará em greve até segunda-feira contra reforma da Previdência

A greve dos metroviários de Paris contra o projeto de reforma da Previdência francesa foi prorrogada até segunda-feira (9). Nas assembleias-gerais realizadas pela categoria na manhã de quinta-feira (5), primeiro dia da paralisação, quase todos os …

"Operação Maleta Verde", o escândalo que atinge governo e oposição na Venezuela

Com semblante mais sério que de costume, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela pelos Estados Unidos, pelo parlamento da União Europeia e por vários países da América Latina, dirigiu-se a jornalistas reunidos em …

Sarampo causou mais de 140 mil mortes em 2018

De acordo com OMS, maioria das vítimas tinha menos de cinco anos de idade e não havia sido vacinada. No ano passado, foram registrados quase 10 milhões de casos da doença no mundo. O sarampo causou …