Procuradoria francesa acusa Air France por queda de avião em 2009

Caroline et Louis Volant / Flickr

Equipes de socorro recolhem destroços do voo Air France Rio-Paris AF447

Dez anos após a queda do voo AF447, que partiu do Rio de Janeiro com destino a Paris, a Procuradoria da capital francesa acusou a companhia aérea Air France pelo acidente, que provocou a morte dos 228 ocupantes, e recomendou que a empresa vá julgamento devido ao caso, segundo revelou a imprensa local nesta quarta-feira (17/07).

Os procuradores concluíram que a Air France estava ciente dos problemas técnicos nos instrumentos chaves de medição do modelo do avião que caiu, mas falhou em informar ou treinar pilotos sobre como atuar diante desses problemas.

A Procuradoria recomendou que a empresa seja julgada por “homicídios involuntários, por imprudência, falta de atenção, negligência e descumprimento de uma obrigação de prudência imposta por lei ou regulamento”.

O inquérito considerou que a companhia aérea “foi negligente e imprudente” ao não informar devidamente os pilotos sobre procedimentos a serem adotados em caso de anomalias nas sondas que permitem controlar a velocidade do aparelho após vários incidentes semelhantes que tinham ocorrido no mês anterior ao acidente.

No relatório, os procuradores disseram que a negligencia e falta de treinamento causaram um caos no cockpit.

A Procuradoria solicitou ainda o arquivamento do processo contra a fabricante Airbus por falta de provas. A empresa havia alertado um ano antes do acidente sobre a possível leitura incorreta de sensores externos. Tanto a Airbus como a Air France foram acusadas em março de 2011 por homicídios involuntários.

De acordo com as conclusões do Escritório de Investigação e Análise (BEA) emitidas em 2012, o acidente em pleno Atlântico aconteceu depois que o gelo bloqueou as sondas de medição da velocidade do avião, o que fez com que os pilotos desconhecessem esse dado quando atravessavam uma zona de turbulências.

Nesse momento, não foi aplicado o protocolo adequado e elevaram o curso do aparelho até que este perdeu a horizontalidade, deixou de planar e se colocou em situação de queda livre. Uma circunstância que os pilotos não souberam ler, pois acreditaram que estavam subindo quando na realidade perdiam altura.

A BEA concluiu que a tripulação estava mal preparada e não reagiu corretamente ao congelamento dos sensores de velocidade.

O Airbus A330 da Air France, que partiu do Rio de Janeiro com destino a Paris, caiu no Oceano Atlântico em 31 de maio de 2009. As caixas-pretas do avião só foram localizadas quase dois anos após o acidente.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mal de Parkinson pode 'começar' antes do nascimento, diz estudo

Um novo estudo investigando a origem da doença de Parkinson jogou células do cérebro de pacientes em um verdadeiro "túnel do tempo". O objetivo foi identificar, especificamente em pacientes com manifestação precoce do Parkinson — diagnosticados …

Neste hotel os hóspedes dormem em bolhas na selva em meio a elefantes resgatados

Paraíso dos amantes de natureza e belas praias, a Tailândia já figura como destino preferido dos aventureiros há alguns anos. Com hospedagens para todos os gostos e bolsos, o país também possui diversas reservas ambientais …

Jamais pediria ajuda a Trump, diz Bolsonaro sobre brasileiros deportados

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (26/01), em visita de Estado à Índia, que "jamais" pediria ao líder americano, Donald Trump, para que brasileiros deportados por terem entrado ilegalmente nos Estados Unidos recebessem tratamento …

Destroços de navio de centenas de anos são encontrados na Polônia

Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma ponte destruída da 2ª Guerra Mundial em um rio polonês. Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma …

Por que cientistas estão determinados a provar que Einstein estava errado

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Bolsonaro faz apologia à ignorância, afirmam historiadoras no jornal Le Monde

  O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta segunda-feira (27) traz um texto de meia página criticando a política cultural em vigor atualmente Brasil. Assinado por duas historiadoras francesas e uma brasileira, …

OMS considera elevado risco global de coronavírus

A Organização Mundial da Saúde admitiu nesta segunda-feira (27/01) um erro na avaliação de risco global do novo coronavírus, que surgiu na China, e disse que o nível correto é elevado. Anteriormente, ele havia sido …

Quem é Vanessa Nakate, ativista negra cortada de foto com Greta em Davos

O tema era o meio-ambiente, mas o debate sofre o futuro da humanidade ganhou outros vultos quando a jovem ativista climática de Uganda, Vanessa Nakate, descobriu que havia sido cortada pela agência de notícias Associated …

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …