Quadro de Monet é arrematado por valor recorde de mais de US$ 110 milhões

Sotheby's

Meules, pintado por Claude Monet

Valor é 44 vezes maior do que o atingido na última vez que a pintura havia ido a leilão, em 1986, e marca recorde do artista e do Impressionismo. Preço final foi o dobro do estimado por especialistas da Sotheby’s.

Uma pintura da série “Meules“, do pintor francês Claude Monet, marcou um novo recorde do artista e do Impressionismo ao ser vendida por mais de US$ 110 milhões (mais de R$ 438 milhões) em um leilão realizado em Nova York nesta terça-feira (14/05).

Pintada no inverno de 1890 na casa de Monet em Giverny, na região francesa da Normandia, a peça é considerada um dos ícones do Impressionismo. Ela havia sido avaliada pelos especialistas da casa de leilões Sotheby’s em cerca de US$ 55 milhões, preço que foi superado em poucos segundos.

O leilão durou oito minutos e teve a participação de seis licitantes. A obra alcançou um preço de martelo de US$ 97 milhões, valor que chega a US$ 110,7 milhões — o dobro da estimativa — depois de adicionados impostos e comissões.

O valor final equivale a 44 vezes o preço que a obra havia alcançado na última vez em que havia ido a leilão, na Christie’s, também em Nova York, em 1986. Naquele ano, o colecionador anônimo que trouxe a pintura para ser leiloada nesta terça-feira comprou a obra por apenas US$ 2,5 milhões.

O exemplar é um dos poucos da série “Almiares”, de Monet, que foram colocados em leilão neste século e que ainda é propriedade privada – das 25 obras, 17 estão em instituições públicas, como o Museu Metropolitano de Arte (Nova York), Museu de Orsay (Paris), e o Instituto de Arte (Chicago).

O quadro da série “Meules” foi inicialmente adquirida pela família Palmer de Chicago, diretamente do representante de Monet na década de 1890. Outra pintura da série foi vendida em novembro de 2016 por US$ 81,4 milhões. Em maio de 2018, durante uma venda da Christie’s, a obra de Monet “Nympheas en fleur” foi vendida por US$ 84,6 milhões.

Outro protagonista do leilão desta terça-feira foi “Femme au chien”, de Pablo Picasso, cujo valor foi estimado entre US$ 25 milhões e US$ 30 milhões, e que acabou sendo vendido por US$ 54,9 milhões.

Pintado em 1962, o trabalho é um retrato de seu cachorro Kaboul e sua segunda esposa, Jacqueline Roque, com quem foi casado até sua morte, em 1973, e é o trabalho de Picasso depois de 1960 que alcançou o maior preço em um leilão.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …

Cientistas explicam por que não se consegue parar a pandemia

Cientistas turcos descobriram que a quantidade de vírus SARS-CoV-2 no organismo de pacientes assintomáticos é mais alta do que nos que apresentam sintomas, o que diferencia radicalmente o novo coronavírus de outros patógenos e explica …

Al-Ahly venceu Liga dos Campeões da CAF

A equipa egípcia do Al-Ahly arrecadou o troféu da Liga dos Campeões da Confederação Africana de futebol pela nona vez ao derrotar o outro clube egípcio, o Zamalek, por 1-2. A final 100% egípcia decorreu no …

Monolito misterioso achado no deserto dos EUA desaparece

O misterioso monolito de metal que causou grande especulação após sua descoberta em um deserto no estado americano de Utah, nos EUA, aparentemente desapareceu, segundo funcionários locais. O escritório de administração fundiária do estado de Utah …

Parlamento iraniano assina texto que impede inspeção de centrais nucleares

A proposta é uma represália ao assassinato do cientista Mohsen Fakhrizadeh, chefe do Departamento de Pesquisa e Inovação do Ministério da Defesa, nesta sexta-feira (27). O governo iraniano responsabilizou Israel pelo crime, dizendo que …