Reviravolta no caso da menina indiana de 10 anos que deu à luz após ser violentada

Elza Fiúza / ABr

Na Índia, uma criança de 10 anos ficou grávida depois de repetidos estupros. Os pais nunca contaram que a menina estaria grávida para protegê-la, dizendo apenas que tinha uma pedra na barriga. Agora, sabe-se que o agressor não é o pai da criança.

A investigação sobre o caso da menina de 10 anos que deu à luz na Índia no mês passado, após ter sido impedida de abortar pelo Supremo Tribunal indiano foi reaberta.

Quando se soube que a menina estava grávida, a menina rapidamente identificou o tio como sendo o agressor e o homem na casa dos 40 admitiu ter violado a criança várias vezes durante os últimos meses, segundo a polícia indiana. O indivíduo foi detido e é acusado por crimes contra crianças, informa a BBC.

No entanto, após serem revelados os resultados do teste de DNA, as autoridades colocam a hipótese de a menina ter sido violada por mais de uma pessoa, já que o principal suspeito não é, afinal, o pai da recém-nascida. Por segurança, a polícia irá pedir que o teste seja repetido.

A mãe da menina disse não suspeitar de mais ninguém e a criança será mais uma vez interrogada pelas autoridades, que são acompanhadas por psicólogos.

Quando foi descoberta a gravidez, os pais pediram uma autorização à justiça para a criança fazer um aborto, que foi negada. O caso chegou ao Supremo Tribunal, que também recusou o pedido. Depois de consultar um painel de médicos, o tribunal considerou que terminar a gravidez às 32 semanas seria “muito arriscado“.

Segundo a BBC, a família se recusou a cuidar do bebê, que ficará em um centro de acolhimento até ser adotado.

O caso da menina chamou a atenção de vários meios de comunicação internacionais. Os pais descobriram que a menina estava grávida em julho, quando a levaram ao hospital para entender por que ela sentia tantas dores de barriga.

A menina nunca soube que estava grávida e achava que a barriga estava grande porque tinha lá dentro uma pedra que teria de ser retirada.

Recentemente também na Índia, uma menina de 13 anos que tinha sido violada pelo colega do pai foi autorizada pelo tribunal a pôr fim à gravidez às 32 semanas, fazendo uma cesariana.

A justiça decidiu que continuar grávida aumentaria o trauma da menina e os médicos entenderam que, em um estado tão avançado de gestação, seria melhor fazer uma cesariana, e tentar salvar a criança, do que um aborto.

O bebê, um menino, nasceu na sexta-feira (8), mas acabou morrendo no domingo. “A mãe está bem”, disseram os médicos. A família da menina tinha decidido manter a criança.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Nuvem monstruosa de poeira do Saara é observa da espaço vindo em direção a Amazônia

  Todo os anos o deserto do Saara, lá do lado oposto do Oceano Atlântico, sopra uma nuvem tão gigantesca de poeira em direção as Américas que foi apelidada de Godzilla. É a maior destas nuvens em …

Oi? Kanye West compara vacina para COVID-19 com "a marca da besta"

Em nova polêmica, o rapper norte-americano Kanye West fez uma série de revelações sobre como ele enxerga uma possível vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Durante entrevista concedida para a revista Forbes, o cantor também comentou …

Comentarista da CNN Brasil insinua que gays são promíscuos e ‘têm chance muito maior de ter Aids’

A CNN Brasil convidou o comentarista Leandro Narloch para falar sobre ao vivo sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de liberar a doação de sangue por parte de homens homossexuais e mulheres transsexuais, …

China detecta rastros de coronavírus em pacotes de alimentos do Equador

A China anunciou nesta sexta-feira (10/07) a suspensão das importações de alimentos do Equador após encontrar rastros do novo coronavírus em embalagens de camarão. Os vestígios foram encontrados em contêineres com pacotes de camarão branco do …

Pesquisadores se deparam com '1º colar' humano de 160.000 anos

Fósseis de conchas de amêijoas de 160 mil anos encontradas em cavernas de Israel são os primeiros exemplares de conchas usadas como adorno no corpo humano, defendem pesquisadores. Há cerca de 160 mil a 120 mil …

A China diz ter identificado uma nova doença muito mais mortal do que o Covid-19

A embaixada da China no Cazaquistão alertou sobre uma nova pneumonia desconhecida que seria ainda mais mortífera do que o coronavírus (Sars-CoV-2) causador Covid-19, de acordo com o South China Morning Post (SCMP). “A taxa de …

The Sims ganhará reality show para premiar jogadores em US$ 100 mil

A longeva franquia The Sims, onde gamers gerenciam todos os aspectos da vida de avatares virtuais, vai ganhar um reality show. Veiculado pela emissora norte-americana CBS, a atração se chamará “Spark’d” e deve ir ao ar …

Nudes de 100 anos encontrados dentro de parede são avaliados em milhares de dólares

O senso comum sugere que as gerações passadas eram mais conservadoras que as atuais, especialmente no que diz respeito à sexualidade. Basta escavarmos um pouco a memória – ou as paredes de nossas casas – para …

Presidente interina da Bolívia testa positivo para covid-19

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira (09/07) que foi infectada pelo novo coronavírus e que iniciará um período de quarentena. "Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante …

Após Bolsonaro tirar máscara em entrevista, ABI entra com ação contra presidente no STF

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) apresentou nesta quinta-feira (9) uma queixa criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, depois que ele tirou a máscara em uma entrevista em que anunciou …