O que o caso da menina de 10 anos estuprada mostra sobre violência e machismo no Brasil

Elza Fiúza / ABr

Desde 1940, o Código Penal permite o aborto em caso de estupro. Ainda assim, o recente caso da menina de 10 anos vítima de estupro mostra como fazer cumprir um direito das mulheres pode não ser simples.

Moradora do Espírito Santo, a criança foi vítima de abusos praticados por um tio e começou a reclamar de dores no abdômen. Após a fonte do incômodo ser diagnosticada como uma gravidez, o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes se negou a cumprir o direito legal da vítima em interromper sua gravidez. A criança, então, precisou viajar para Recife para conseguir realizar o aborto.

Antes disso, todavia, ela e sua família foram vítimas de assédio por parte de militantes antiaborto e a família recebeu visita de assessores da ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, e do deputado estadual Lorenzo Pazolini (Republicanos). De acordo com reportagem da revista piauí, o objetivo foi demover a criança e sua família de seu desejo de interromper a gravidez.

“Apesar do aborto ser permitido no Brasil desde 1940, ele não foi um direito que de fato saiu do papel por resistência de grupos ultraconservadores que se aliam para impedir a implementação plena dos direitos das mulheres no Brasil. E, em situações de crise, são os primeiros direitos a serem negociados”, afirma em entrevista à Sputnik Brasil a doutoranda em direito pela Universidade de Victoria, no Canadá, Tamara Gonçalves.

Integrante do Comitê Latino Americano e Caribenho pela Defesa dos Direitos da Mulher, Gonçalves destaca que, em 2016, o Brasil tinha 250 serviços de saúde especializados em violência contra mulher e que apenas 37 destes locais realizavam aborto legal quando foi realizado o levantamento. Para a pesquisadora, essa dificuldade em acessar o aborto legal é uma prática deliberada.

Enquanto viajava rumo ao Recife, a menina vítima do abuso que ganhou manchetes no Brasil teve seu nome e endereço divulgados pela extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter e ex-assessora de Damares.

O hospital onde ela realizaria o aborto também foi revelado por Giromini e o local foi cercado por manifestantes que tentaram impedir que a menina tivesse acesso ao seu direito. Ainda de acordo com a revista piauí, a movimentação forçou a menina e a sua avó a entrarem na unidade hospitalar pelo porta-malas de um carro.

A presidente do Movimento Brasil sem Aborto, Lenise Garcia, não acredita que houve abuso por parte dos ativistas que cercaram o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, em Recife, “porque se tratava de salvar uma vida”.

Ela avalia que o único excesso cometido foi a divulgação da identidade da garota vítima de violência sexual. Para Garcia, a menina poderia levar à gravidez “se não a termo, até o momento em que se pudesse fazer uma cesárea”.

“A minha avaliação é a seguinte: ela acabou sendo duplamente vítima. Foi vítima do estupro e depois foi vítima do aborto, do modo como foi feito. Sem dúvida, a primeira vítima a criança de 5 meses que morreu, mas outra criança de 10 anos também é vítima nessa situação toda”, diz a presidente Movimento Brasil sem Aborto à Sputnik Brasil.

Maior parte das vítimas conhece o abusador

O Brasil registrou 180 estupros por dia em 2018, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Este número, contudo, é apenas uma fração do real já que pesquisa do Ministério da Justiça de 2013 indicou que apenas 7,5% das vítimas de violência sexual notificam as autoridades.

As crianças são o grupo mais afetado por este tipo de violência sexual: 26,8% de todas as vítimas de estupro tinham no máximo 9 anos e 53,6% das vítimas, no máximo 13 anos. Além disso, 75,9% das vítimas conhecem o abusador, seja ele um parente, companheiro ou amigo.

Em entrevista à Sputnik Brasil, a socióloga e cientista política Jacqueline Pitanguy ressalta que 21.172 bebês nasceram de crianças entre 10 e 14 anos em 2018, de modo que a criança do Espírito Santo que mobilizou os holofotes do Brasil teve acesso ao tratamento que muitas outras pessoas não recebem.

Para ela, “o Brasil está se guiando hoje pelo espelho retrovisor, está indo para trás” e se alinha a um movimento global de governos de “direita e extrema-direita” que luta contra os direitos das mulheres.

A pesquisadora destaca que o aborto da menina é legal e previsto na lei, mas ainda assim virou um tema controverso porque existem “extremistas em espaços de governo e na sociedade civil”.

“O corpo da mulher historicamente sempre foi submetido, sempre foi um objeto de negociação e sempre foi, digamos assim, um troféu de domínio patriarcal sobre a vontade da mulher”, diz Pintaguy.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

O Yellow Submarine da vida real está disponível para aluguel no Airbnb

O Submarino Amarelo nasceu em uma simpática canção de Paul McCartney de 1966, virou um longa de animação estrelado pelos Beatles em 1968, e agora, passadas mais de cinco décadas, se transformou em uma apartamento …

"O Iraque estará sempre comigo", diz papa ao fim de visita histórica ao Oriente Médio

O Papa Francisco concluiu sua histórica visita ao Iraque neste domingo (7) com uma missa diante de milhares de fiéis no norte do país devastado pelos jihadistas, conclamando os cristãos que ainda estão no …

Por que iceberg do tamanho do Rio de Janeiro que se desprendeu da Antártida anima cientistas?

Um iceberg gigante de cerca de 1.270 km² (a cidade do Rio de Janeiro tem 1.255 km²) quebrou e se desprendeu da Antártida, gerando euforia na comunidade científica. Na sexta-feira (26/2), instrumentos na superfície da plataforma …

Coronavírus: Por que vacinação sem lockdown pode tornar Brasil 'fábrica' de variantes superpotentes

O cenário atual no Brasil, que combina início da vacinação com transmissão descontrolada da covid-19, pode tornar o país uma "fábrica" de variantes potencialmente capazes de escapar por completo da eficácia das vacinas. Esta é …

Esquema de venda de vacinas falsas da COVID-19 é descoberto pela Interpol

Na última quarta-feira (3), autoridades da África do Sul apreenderam centenas de vacinas falsas da COVID-19, esquema que já havia sido alertado pela Interpol devido às disputas pelo imunizante no mundo inteiro. No país africano, foram …

Egito descobre cemitério de 2 mil anos com 600 cães e gatos

Pesquisadores poloneses encontraram cerca de 600 restos mortais de animais em um cemitério de dois mil anos, no Egito. De acordo com os cientistas, os corpos encontrados na necrópole são de gatos (cerca de 90% deles), …

Nova superterra encontrada pode dar pistas sobre vida fora do Sistema Solar

Um novo exoplaneta detectado orbitando uma estrela relativamente perto do nosso Sistema Solar, pode potencialmente ajudar a resolver enigmas sobre vida alienígena. Um exoplaneta com uma massa 2,8 maior do que a da Terra designado Gliese …

China anuncia meta de crescimento econômico mais modesta na abertura do Congresso Nacional do Povo

A reunião anual do Congresso Nacional do Povo da China foi aberta nesta sexta-feira (5), em Pequim, com o tradicional discurso do primeiro-ministro do país, Li Keqiang. O líder anunciou um objetivo de crescimento …

Análogo de Buraco negro de laboratório se comporta como Stephen Hawking previu

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia Technion-Israel tentaram confirmar duas das previsões mais importantes de Hawking, que a radiação hawking surge do nada e que não muda de intensidade ao longo do tempo, o que significa …

SP concentra 40% dos feminicídios com 200 mortes, diz estudo do Observatório de Segurança

A Rede de Observatórios da Segurança publicou seu relatório de dados sobre a violência contra a mulher do ano de 2020. O boletim, que traz números de cinco estados (SP, RJ, PE, CE e BA), mostrou …