Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos

Decisão deixará o país de fora dos Jogos Olímpicos de 2020 e da Copa do Mundo de Futebol de 2022. Agência Mundial Antidoping (Wada) conclui que Moscou manipulou dados laboratoriais de seus atletas.

A Rússia está banida dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 e de todos os grandes eventos esportivos mundiais por um período de quatro anos, anunciou nesta segunda-feira (09/12) a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).

O Comitê Executivo da Wada tomou essa decisão ao concluir que Moscou adulterou dados laboratoriais ao utilizar evidências falsas e apagar arquivos ligados aos resultados positivos de testes antidoping, que poderiam ter identificado o uso de substâncias ilegais em seus atletas.

O período de punição inclui também os Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, em 2020, e a Copa do Mundo de Futebol de 2022 no Catar. A decisão de banir a Rússia dessas competições foi consenso entre os membros do comitê. “A lista completa de recomendações foi aceita em unanimidade“, disse um porta-voz da entidade.

A Rússia está no centro do escândalo envolvendo doping por parte de seus atletas desde 2015, quando um relatório de uma comissão independente criada pela Wada alertou para provas de dopagem em grande escala e pediu que a Federação Russa de Atletismo fosse banida da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) por desrespeitar códigos antidoping.

Vários atletas russos tiveram que ficar de fora dos últimos Jogos Olímpicos, e o país não pôde participar das últimas Olimpíadas de Inverno de 2018, como punição pelos casos de acobertamento promovido pelo Estado aos casos de doping nos Jogos de Inverno de 2014, na cidade russa de Sóchi. Os atletas russos puderam competir individualmente, sem representar oficialmente a bandeira de seu país.

A decisão divulgada nesta segunda-feira foi recomendada pelo comitê de análise de compliance, em resposta aos dados laboratoriais fornecidos neste ano por Moscou à entidade.

Uma das condições para a readmissão da agência antidoping russa Rusada – suspensa em 2015 em razão do escândalo, mas readmitida no ano passado – teria sido a entrega de cópias autênticas dos dados de laboratório, que acabaram sendo comprovados como adulterados.

A partir de agora, a Rusada perde novamente as suas credenciais. Caso a agência apele contra as sanções impostas pela Wada, o caso será encaminhado à Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Assim como na última edição dos Jogos de Inverno, a punição permite que atletas russos não envolvidos nas fraudes em testes de doping participem dos principais eventos internacionais, mas sem representar sua bandeira e sem a execução do hino nacional.

Autoridades russas afirmam que a punição é injusta e falam em supostas tentativas dos países ocidentais de deter a Rússia. O ministro russo dos esportes, Pavel Kolobkov, atribuiu no mês passado as discrepâncias nos dados de laboratório a questões técnicas.

A vice-presidente da Rusada, Margarita Pakhnotskaya, afirmou que a decisão da Wada “já era aguardada” e que não foi surpresa ter sido tomada em consenso entre os integrantes do comitê, uma vez que nenhum de seus membros expressou qualquer apoio à Rússia.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Antártida: geleira está se tornando o cânion mais profundo do mundo e isso é péssimo

Recentemente cientistas anunciaram a descoberta de algo absolutamente desconhecido e sem precedentes: um cânion de gelo com 3,5 quilômetros abaixo do nível do mar, confirmado como nada menos que o ponto mais profundo da superfície …

OMC prevê cenário sombrio para o comércio global e Brasil será bastante atingido

Sob o impacto da pandemia do novo coronavírus, a Organização Mundial de Comércio (OMC) prevê um cenário sombrio para o comércio global este ano. A expectativa é de uma queda vertiginosa que pode chegar …

COVID-19 deve ter pico no Brasil em abril e maio, dizem Mandetta e especialistas

A previsão de disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no país não é nada animadora para os próximos meses. Isso porque ainda estamos em uma fase intermediária da infecção, que deve ter seus momentos de pico em …

Esse novo tratamento alivia a depressão em 90% dos pacientes

De acordo com uma nova pesquisa americana, um tratamento com estimulação magnética transcraniana pode ser muito eficaz para pessoas com depressão severa: em um experimento, foi capaz de aliviar os sintomas em 90% dos pacientes. Normalmente, …

Israel: ministro que definiu Covid-19 como ‘castigo divino a gays’ está com coronavírus

Aos 71 anos, Yaakov Litzman, ministro da Saúde de Israel e também líder do partido ultra-ortodoxo “Judaísmo Unido da Torá”, testou positivo para Covid-19. O diagnóstico foi divulgado nesta terça-feira (7) pela imprensa local e chamou …

Saúde de Boris Johnson preocupa britânicos, mas governo garante que premiê passa bem

O Reino Unido acompanha com preocupação a degradação do estado de saúde do primeiro-ministro Boris Johnson, que anunciou publicamente ter sido contaminado pelo novo coronavírus há dez dias. Depois de ser hospitalizado no domingo (5), …

Cortes na ciência comprometem resposta à covid-19 no Brasil

A fila de 16 mil testes para covid-19 no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, expõe a vulnerabilidade de um país que escolheu não investir em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos últimos anos. A …

Organismo marinho de 47 metros de comprimento descoberto na Austrália

Pesquisadores conseguiram captar imagens de vídeo fascinantes de um organismo "de outro mundo" nas águas ao largo da costa ocidental da Austrália. Segundo comunica a Newsweek, uma equipe a bordo do RV Falkor, o principal navio …

Detectadas pela 1º vez estrelas binárias capazes de produzir ondas gravitacionais

Astrônomos do Centro de Astrofísica de Harvard & Smithsonian detectaram pela primeira vez anãs brancas compostas por duas estrelas binárias. As anãs brancas compostas por duas estrelas binárias possuem um núcleo orbital capaz de gerar uma …

Epidemia do coronavírus ainda não chegou ao pico e se agrava na França, diz ministro

O pico da epidemia do novo coronavírus ainda não foi atingido na França, disse nesta terça-feira (7) o ministro da Saúde, Olivier Véran. Devido ao número significativo de pacientes que ainda são hospitalizados diariamente …