Manifestantes russos se reúnem em apoio ao líder da oposição detido, Alexey Navalny

Yuri Kochetkov / EPA

Protestos para a libertação de Navalny, na Rússia

Neste sábado milhares de cidadãos russos enfrentaram o frio do inverno para protestarem contra a prisão do líder da oposição Alexey Navalny.

Navalny, que voou da Alemanha de volta para a Rússia em 17 de janeiro, depois de se recuperar de uma suposta tentativa de envenenamento, foi rapidamente preso ao desembarcar e, neste momento, está em prisão preventiva na penitenciária Matrosskaya Tishina, em Moscou.

As autoridades russas o acusam de violar os termos de sua liberdade condicional em um caso anterior de peculato e ele deve permanecer sob custódia até 15 de fevereiro.

Apesar da detenção de Navalny, sua equipe conseguiu, em 19 de janeiro, realizar o lançamento de uma nova investigação anticorrupção: um longa-metragem no Youtube, que descreve um luxuoso palácio próximo a Gelendzhik no sul da Rússia, supostamente construído para o presidente russo.

O vídeo, que atualmente possui cerca de 80 milhões de visualizações, adicionou combustível ao incêndio provocado pela prisão de Navalny e seu apelo ao público para se juntar aos protestos de domingo.

As redes sociais reagem primeiro

Embora o retorno de Navalny à Rússia e sua subsequente detenção tenham causado protestos nas plataformas das redes sociais mais populares – Facebook, Twitter e VKontakte – também repercutiu entre os usuários mais jovens em plataformas mais novas como o TikTok. Os usuários publicaram vários vídeos do TikTok encorajando outros a se unirem aos manifestantes e divulgando dicas de segurança.

“Tenho medo por mim, mas tenho ainda mais medo pelo meu país”. Usuários do TikTok convocaram para “uma marcha”, deram conselhos sobre como se comportar neste dia, removeram retratos de Putin das escolas e criaram fancams com os discursos de Navalny.

Enquanto alguns vídeos são de natureza humorística, uma boa parte é sincera ao expressar suas opiniões, e os mais populares acumularam centenas de milhares de visualizações.

A censura continua

Em resposta à enxurrada de conteúdo relacionado ao protesto, e a pedido do procurador-geral, a agência federal de monitoramento e censura da internet da Rússia, Roskomnadzor, exigiu, em 20 de janeiro, que o TikTok removesse “todo o conteúdo do site da rede social que convoque menores para participarem de eventos ilegais de protesto em massa”.

A solicitação não especifica a quais eventos eles estavam se referindo. Exigências similares foram feitas para outras plataformas de rede social. O Ministério da Educação russo advertiu os pais em uma postagem no VKontakte para evitar que seus filhos compareçam aos protestos, ecoando as preocupações sobre a segurança dos eventos.

Na corrida pelos protestos de sábado, a Roskomnadzor informou que as plataformas de redes sociais, ameaçadas com multas de até 4 milhões de rublos (US$ 54.000), começaram a remover postagens contendo “apelos para que crianças participem de eventos ilegais em massa” em resposta às suas demandas.

Protestos são transmitidos em todo o país

As manifestações começaram cedo no extremo oriente da Rússia e em vários fusos horários do país. Em Yakutsk, no leste da Sibéria, os manifestantes enfrentaram temperaturas de até -50°C.

Vários meios de comunicação e outros usuários têm monitorado a participação nas manifestações em diferentes cidades russas. As estimativas para Moscou, que geralmente atrai as maiores multidões, variaram de 15 mil (de acordo com a mídia local Znak) a 40 mil (estimativas da Reuters).

Os primeiros números do comparecimento total está acima de 110 mil, mas provavelmente serão atualizados depois.

Comentaristas notaram a escala das manifestações de sábado, tanto em termos de participação quanto em termos de números de cidades em toda a Rússia – mais de 120 – que viram os protestos nas ruas. As primeiras pesquisas também mostraram que cerca de 40% dos que se juntaram aos manifestantes participaram pela primeira vez.

O nível de atividade nas regiões, que geralmente são mais “calmas”, e o número de novos integrantes, podem potencialmente sinalizar um maior engajamento civil, mas neste estágio é muito cedo para prever o quanto essa onda de protestos será sustentável.

Os ativistas da oposição russa convocaram para mais ações de protestos nos próximos dias.

// GV

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …