‘Síndrome de Havana’: lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como “síndrome de Havana” nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto.

Nas últimas semanas, foram relatados mais de 130 incidentes de lesão cerebral inexplicável, conhecida como “síndrome de Havana”, entre diplomatas, agentes dos serviços secretos e oficiais de defesa dos EUA. O número de casos relatados é cerca de 70 a mais do que o anteriormente reconhecido.

A estranha doença sofrida por diplomatas americanos em Cuba inclui sintomas como dores de ouvido, tontura e sensação de pressão na cabeça.

“Para alguns pacientes, o problema começava com o repentino início de um barulho alto, acompanhando de dor em um ou nos dois ouvidos, em uma área ampla da cabeça, e, em alguns casos, sensação de pressão ou vibração na cabeça, tontura, tinido, problemas visuais, vertigem e dificuldades cognitivas”, explica um relatório da Academia Americana de Ciências após investigação encomendada pelo Departamento de Estado dos EUA.

Três oficiais da Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA, na sigla em inglês) relataram sintomas graves desde dezembro, após missões no exterior, exigindo tratamento no hospital militar Walter Reed, em Washington, de acordo com reportagem do New York Times.

Mark Zaid, que representa alguns dos ex-funcionários afetados pela “síndrome de Havana”, disse que foi contatado por mais pessoas que acreditam ter sido afetadas. “Os números estão definitivamente aumentando”, disse Zaid.

As autoridades dos EUA confirmaram que continua a haver novos casos em análise, mas advertiram que a publicidade dada aos casos anteriores da síndrome levou algumas pessoas a reinterpretar os sintomas que estavam sofrendo e se perguntar se podem ter sido vítimas de alguma forma de ataque que não tinham anteriormente suspeitado. Portanto, o número de novos casos não reflete necessariamente o número de novos incidentes.

Em dezembro, a Academia Nacional de Ciências publicou um relatório dizendo que as lesões cerebrais sofridas por funcionários do governo dos Estados Unidos em Cuba e na China eram provavelmente resultado de alguma forma de energia direcionada.

Cheryl Rofer, ex-química do Laboratório Nacional de Los Alamos, questionou as conclusões do estudo e a alegação das vítimas e de alguns especialistas de que algum tipo de arma de micro-ondas desenvolvida por um adversário seria responsável pela síndrome.

“As evidências de efeitos de micro-ondas do tipo categorizado como ‘síndrome de Havana’ são extremamente fracas”, escreveu Rofer no Foreign Policy, alegando especulações infundadas.

“Nenhum proponente da ideia descreveu como a arma realmente funcionaria. Nenhuma evidência foi oferecida de que tal arma tenha sido desenvolvida por qualquer nação. Alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias, e nenhuma evidência foi oferecida para apoiar a existência desta arma misteriosa”, apontou.

Ciberia // Sputnik

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …