Torre de crânios humanos revela segredos macabros dos sacrifícios astecas

Arqueólogos mexicanos continuam a desenterrar crânios humanos na região onde ficava o centro da civilização Asteca, em Tenochtitlán, atual Cidade do México. E as análises nesses crânios revelam a brutalidade desses sacrifícios.

Os primeiros vestígios desses sacrifícios humanos foram descobertos em 2015, mas no ano passado, os arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) conseguiram, finalmente, ter um vislumbre da chamada torre de crânios que aterrorizou os conquistadores espanhóis quando eles chegaram ao local, em 1519.

A descoberta tem ajudado a desvendar os segredos macabros dos sacrifícios humanos feitos pelos Astecas no chamado Templo Maior de Tenochtitlán.

Até agora, os arqueólogos recolheram cerca de 180 crânios completos e milhares de fragmentos, informa a revista Science.

A análise a esses vestígios arqueológicos revelou marcas de cortes que indiciam que lhes retiraram a pele, depois da morte, e também marcas de decapitação “uniformes”.

A publicação atesta que os sacerdotes astecas removiam os corações ainda batendo das vítimas sacrificadas. Os corpos eram depois decapitados e, em seguida, eram removidos a pele e os músculos das cabeças dos cadáveres.

Posto isto, abriam grandes buracos nas laterais dos crânios para os colocarem em um poste de madeira. Só depois eram empilhados na chamada tzompantli, nome que os conquistadores espanhóis deram à torre de crânios, que ficaria localizada perto do altar em homenagem a Huitzilopochtli, o deus asteca do Sol, da guerra e dos sacrifícios humanos.

As amostras isotópicas e de DNA retiradas dos crânios permitiram apurar que as vítimas apresentavam “boas condições de saúde”, antes de terem sido sacrificadas, conforme revela a Science.

Também foi possível medir que três quartos dos crânios analisados pertencem a homens, com idades entre 20 e 35 anos, e 20% pertencem a mulheres, enquanto 5% são de crianças.

As vítimas nasceram em diferentes locais da Mesoamérica, mas as amostras recolhidas indiciam que teriam passado um longo período em Tenochtitlán antes de serem sacrificadas, como reporta a publicação.

Essas novas informações são a prova dos assustadores relatos feitos pelos conquistadores espanhóis da época, que ficaram aterrorizados com a imagem da torre de crânios.

Dois anos depois de terem chegado a Tenochtitlán, os espanhóis destruíram a cidade e construíram sobre suas ruas, enterrando os vestígios dos sacrifícios humanos dos astecas.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Argélia expulsa 390 pessoas (incluindo grávidas e crianças); e as envia para o deserto

Neste domingo (15), a Argélia expulsou 391 pessoas em condições precárias, incluindo crianças e grávidas, para o deserto do Níger. A Organização Internacional para as Migrações (OIM) indicou que as pessoas expulsas, oriundas de países da …

Presidente eleito do México quer cortar o próprio salário pela metade

Andres Manuel Lopez Obrador, o presidente eleito do México, disse que quer receber cerca de metade do salário que seu antecessor recebia, assim que assumir o cargo em dezembro. “O que nós queremos é que o …

Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem restituição do IR

O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote de restituições do Imposto de Renda é feito nesta segunda-feira (16). A consulta ao segundo lote foi aberta no último dia …

STF suspende resolução da ANS sobre coparticipação em planos de saúde

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, suspendeu temporariamente nesta segunda-feira (16) a Resolução Normativa 433, de 28 de junho de 2018, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) da Agência Nacional de …

Trump e Putin na Finlândia: "Nosso relacionamento nunca foi pior"

Os presidentes dos EUA e da Rússia realizam, nesta segunda-feira (16), em Helsinque, sua primeira cúpula bilateral, sob o espectro da ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016 e ainda da situação na Ucrânia …

Após 25 anos em queda, mortalidade infantil volta a subir no país

O índice de mortalidade infantil voltou a aumentar no Brasil, pela primeira vez, desde 1990. Segundo dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade de 2016 ficou em 14 óbitos infantis a cada mil …

Cinco meses de intervenção no Rio: chacinas aumentam e apreensão de arma diminui

O Observatório da Intervenção, do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, divulgou nesta segunda-feira (16) um balanço dos cinco meses de intervenção federal no Rio de Janeiro. A conclusão? “Muito …

Feminicídio: funcionária do Ministério dos Direitos Humanos é assassinada

Uma funcionária terceirizada do Ministério dos Direitos Humanos foi assassinada neste sábado (14), em Santa Maria, região administrativa do Distrito Federal a cerca de 26 quilômetros do centro de Brasília. A 33ª Delegacia de Polícia …

Mergulhador manda Elon Musk enfiar submarino onde dói mais; empresário reage: "Pedófilo"

Elon Musk, o multimilionário da Tesla, se envolveu em uma troca de insultos no Twitter com um dos mergulhadores que participaram do resgate dos 12 adolescentes da Tailândia, chegando mesmo a chamá-lo de “pedófilo”. O CEO …

Brasil é ouro na Olimpíada Internacional de Matemática

Um estudante brasileiro conquistou medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) em Cluj-Napoca, na Romênia. Pedro Lucas Lanaro Sponchiado, de 17 anos, é de São Paulo. Desde 2012 o Brasil não conseguia um …