Trump acredita que Rússia hackeou o partido Democrata

Nesta quarta-feira (11), parece que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, finalmente revelou ao público que acha que a Rússia estava por trás dos ataques hackers e da publicação de emails do Comitê Nacional Democrático e de Hillary Clinton.

“Acho que foi a Rússia, mas acho que também fomos hackeados por outros países e outras pessoas”, disse o novo presidente em sua primeira coletiva de imprensa nos últimos 169 dias.

Depois disso, ele citou uma brecha semelhante, que ocorreu em 2014 na China. “E posso dizer que até perdemos 22 milhões de nomes, fora tudo o que foi invadido recentemente, mas os hackers não ganharam muito com isso”, conta.

As agências de inteligência norte-americanas acabaram desclassificando um relatório que surgiu no início do mês, que dizia que a Rússia era a principal suspeita por trás dos ataques, que acabaram jogando no ventilador uma série de decisões e disputas dentro do partido de Hillary Clinton.

O que surpreendeu na coletiva desta quarta-feira é que, durante meses, Donald Trump defendia que a Rússia não estava envolvida nas invasões, e, no seu tradicional estilo, vivia repetindo que os ataques deveriam ter sido executados por “alguém sentado em sua cama e que pesasse mais de 180 kg”.

Trump também citou alguns relatórios que clamavam que a Rússia tentou invadir os arquivos do partido Republicano, mas nenhum deles traz provas disso.

“Acho, francamente, que eles se eles tivessem hackeado o Comitê Nacional Republicano, teriam feito o mesmo que fizeram com Hillary e seus colegas de partido”.

O republicano também descartou um relatório publicado nesta terça-feira (10) pelo BuzzFeed (e já retirado do ar), que incluía documentos não-oficiais tratando de que supostos agentes da inteligência russa tinham informações comprometedoras a respeito de Donald Trump.

Vladmir Putin, por sua vez, havia negado a veracidade do fato, e Donald Trump diz acreditar nele, apesar do contexto histórico nada favorável entre as duas potências. Mesmo assim, Trump seguiu defendendo uma boa relação entre os EUA e a Rússia para combater o Estado Islâmico.

“Não sei se vou me unir a Vladimir Putin”, concluiu o presidente eleito. “Espero que sim. Mas há boas chances de que não. Mas se eu não fizer isso, será que vocês acreditariam mesmo que Hillary seria mais dura com ele do que eu? Alguém nesta sala realmente acredita nisso? Dá um tempo!”, finalizou.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …