Trump terá que indenizar estudantes de sua universidade com US$ 25 milhões

Um juiz dos Estados Unidos deu nesta sexta-feira a aprovação final para um acordo para que o presidente Donald Trump pague uma indenização de US$ 25 milhões a um grupo de pessoas que processou sua universidade por fraude, uma decisão que põe fim ao litígio.

O juiz encarregado de dar o sinal verde ao acordo em um tribunal de San Diego, na Califórnia, foi o magistrado Gonzalo Curiel, que foi alvo de ataques de Trump durante a campanha presidencial de 2016 por ter origem mexicana.

A decisão de Curiel põe fim a sete anos de litígio, evita que a empresa de Trump tenha que ir a julgamento e serve para resolver duas demandas coletivas interpostas pela via civil pelo procurador-geral do estado de Nova York, o democrata Eric Schneiderman, crítico feroz do presidente.

Em uma audiência realizada ontem em um tribunal de San Diego, os advogados dos litigantes disseram que seus clientes, cerca de 3.730 estudantes, poderão receber até US$ 0,90 por cada dólar perdido nos cursos da universidade.

O acordo entre as partes foi conseguido em novembro do ano passado, pouco depois das eleições presidenciais, mas era necessário que o juiz assinasse o pacto, como fez hoje.

Durante a campanha presidencial, Trump prometeu que jamais chegaria a um acordo para resolver os processos contra sua universidade, mas, depois das eleições, anunciou no Twitter que tinha chegado a um pacto porque, como presidente, não teria tempo para lidar com um julgamento.

“Alcancei um acordo no processo contra a Universidade Trump por uma pequena quantidade porque, como presidente, tenho que me concentrar em nosso país“, disse Trump em 19 de novembro.

Os documentos judiciais do caso retratam a Universidade Trump, que abriu em 2005, como um negócio sem escrúpulos que pressionava seus estudantes para que adquirissem cursos sobre negócios imobiliários e finanças com matrículas de quase US$ 35 mil.

O centro teve que mudar em 2010 seu nome para “Trump Entrepreneur Initiative”, pois não contava com uma licença para funcionar como universidade.

Até 80 mil pessoas compareceram aos cursos gratuitos de iniciação da Universidade Trump nos quais os professores pressionavam os estudantes a se matricularem por US$ 9.995 dólares no curso “bronze”, por US$ 19.495 no curso “prata”; e por US$ 34.995 no curso “ouro”, segundo os autos do processo.

Durante a última campanha eleitoral, o caso foi utilizado em várias ocasiões pela candidata democrata Hillary Clinton para atacar Trump e defender que o milionário não merecia ter a confiança dos americanos porque já tinha enganado milhares de pessoas.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Por que o príncipe da Arábia Saudita hackeou celular de Jeff Bezos, segundo investigação da ONU

Uma intriga internacional envolve, desde 2018, o homem mais rico do mundo e uma ditadura ultrafechada acusada de matar seus inimigos com requintes de crueldade. E, agora, o caso está sendo investigado por especialistas em …

Garoto de apenas 6 anos arrecada $270 mil para ajudar animais em incêndios australianos

Nos incêndios que devastaram algumas regiões da Austrália, mais de 1 bilhão de animais morreram. No esforço para salvar os animais resgatados e tentar, o mais rápido possível, lhes oferecer um novo lar, este garotinho …

A descoberta dessa nova célula imunológica pode ser um tratamento “universal” para o câncer

Um novo estudo da Universidade de Cardiff (País de Gales) descobriu um tipo de célula imune que poderia levar a uma “terapia universal” contra o câncer. Estamos falamos de uma célula T equipada com um tipo …

Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios

A privatização dos Correios tem despertado o interesse de diversas empresas estrangeiras de logística. Há algum tempo, Alibaba e Amazon manifestaram desejo em participar do processo de desestatização da estatal brasileira. Agora, a UPS também teria …

Coronavírus. OMS diz que ainda é cedo para decretar urgência internacional

Em uma reunião realizada nesta quinta-feira (23) em Genebra, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, descartou, por enquanto, lançar um alerta de urgência internacional contra o coronavírus que se espalha …

Parlamento britânico valida definitivamente acordo do Brexit

O Parlamento britânico adotou em definitivo o acordo do Brexit, abrindo caminho para a saída do Reino Unido da União Europeia dentro de nove dias. O texto que regula os termos do divórcio, negociado entre o …

Brasil piora em ranking mundial de corrupção

O Brasil caiu uma posição no principal ranking internacional de corrupção, passando da 105ª para a 106ª entre 180 países, segundo o relatório divulgado nesta quinta-feira (23/01) pela ONG Transparência Internacional. O Brasil continua sendo um …

Cidade inteira é colocada em quarentena na China por causa de vírus exótico que se espalha pelo mundo

A China colocou toda a cidade de Wuhan sob quarentena para tentar evitar o contágio do vírus mortal 2019-nCoV, uma nova cepa do coronavírus identificada pouco tempo atrás. O município é o local onde uma epidemia …

Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas

Talvez quem escolhe acreditar no terraplanismo realmente não queira aceitar provas de que a Terra é esférica, mas, de qualquer forma, muita gente continua tentando convencê-los de que acreditam em uma falácia. Dessa vez foi o …

Macron bate boca com policiais israelenses em Jerusalém

O presidente francês, Emmanuel Macron, discutiu nesta quarta-feira com agentes do serviço de segurança de Israel (Shabak) que faziam sua segurança durante uma visita à Cidade Velha de Jerusalém. Macron foi filmado dizendo em …