Vacinação obrigatória contra Covid-19 divide opiniões e alimenta rumores na Indonésia

Enquanto em parte do mundo a população espera na fila para ser vacinada, a Indonésia avança com uma política de imunização na contramão do resto do planeta. Além de ter dado prioridade para os mais jovens, o governo decidiu que a vacinação é obrigatória, sob pena de sanções. Mas a medida não agrada a todos, inclusive entre os médicos.

As primeiras doses de vacina anti-Covid foram administradas na Indonésia em 13 de janeiro no próprio presidente, Joko Widodo. A aplicação da injeção foi feita no palácio presidencial, diante das câmeras, e transmitida ao vivo pela televisão.

O objetivo da operação era mostrar que a vacina chinesa CoronaVac, única disponível por enquanto no país, era segura. O chefe de Estado também se vangloriou de ser o pioneiro no uso de um produto 100% “halal”, ou seja, que respeita as tradições do Islã, algo importante no maior país muçulmano do mundo.

Mas isso não parece ter tranquilizado a população. Segundo pesquisas de opinião recentes, 52% dos indonésios hesitam em se vacinar. No entanto, eles não têm muita escolha, pois quem se recusar corre o risco de levar uma multa ou ver seus benefícios sociais suspensos.

É uma péssima ideia, que no final vai dar uma arma suplementar aos antivacinas”, se irrita o epidemiologista indonésio Dicky Budiman, entrevistado pela RFI.

Medo de chip injetado no organismo

O médico lembra que entre os que hesitam em se vacinar, boa parte alega que prefere esperar para ver os resultados da campanha. E o fato de tornar a imunização obrigatória vai suscitar novas questões. “As pessoas vão desconfiar e se perguntar por que são obrigadas. Isso vai alimentar as teorias do complô”.

Se o médico teme o impacto negativo da obrigatoriedade sobre a imagem da vacina é porque a campanha já foi alvo de várias fake news. “Algumas pessoas já dizem que as vacinas que usam o método RNA vão injetar um chip no organismo”, conta.

“Sempre houve ideologias extremistas. Digo isso baseado na minha experiência com as vacinas contra a poliomielite”, explica o médico. Segundo ele, “quanto mais se obriga a vacinar, mais surgem ideias radicais e violentas”.

No Vaticano, quem recusa vacina pode ser demitido

Em dezembro, pouco antes do início da campanha global, a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconizou que a vacinação ocorresse de forma voluntária. A indicação foi seguida à risca em boa parte do planeta, tranquilizando os mais céticos.

Em alguns países como na França, conhecida por sua resistência às vacinas em geral, até os líderes políticos tiveram que participar da campanha de pelo “livre arbítrio da vacina”. Logo que os primeiros opositores à imunização começaram a se manifestar, o governo se sentiu obrigado a dizer, claramente, que o procedimento não seria obrigatório.

Em outros lugares a situação é mais ambígua. No Vaticano, por exemplo, os empregados que se recusam a ser vacinados são sancionados. Segundo um decreto publicado nessa quinta-feira (18), as penas podem ir até a demissão do cargo.

As autoridades do Estado do Vaticano alegam que a decisão de punir os que rejeitam o produto foi tomada na esteira de uma lei em vigor desde 2011, segundo a qual um candidato em um processo de recrutamento para trabalhar na Santa Sé poderia ter sua contratação anulada se não aceitasse se vacinar. “Se recusar, pode constituir um risco para os outros”, ressalta o texto.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …