“Zonas mortas” estão sufocando os oceanos (e cada vez mais perto dos humanos)

Os oceanos do mundo estão passando por uma transformação perigosa. Cientistas detectaram vastas “zonas mortas”, nas quais a água hipóxica não tem o oxigênio necessário para a vida marinha sobreviver.

Essa metamorfose – que aumentou mais de dez vezes desde a década de 1950 – foi um dos principais mecanismos por trás da extinção em massa mais letal da história. E agora, revela um novo estudo, esse fenômeno não é exclusivo do mar, mas também está emergindo nas zonas urbanas de água doce nos Estados Unidos.

“Ficamos surpreendidos ao descobrir que essas zonas mortas estão acontecendo nos nossos próprios quintais, não apenas em rios e águas costeiras a jusante das principais fontes de poluição”, explicou a ecologista de ecossistemas Joanna Blaszczak, da Universidade Duke.

No estudo, publicado em 3 de dezembro na revista Limnology & Oceanography, Blaszczak e sua equipe monitoraram as concentrações de oxigênio gasoso em seis riachos urbanos na Carolina do Norte durante um período de 18 meses, também medindo os níveis de luz, química da água e fluxo.

O que descobriram foi que o impacto da atividade humana no ambiente natural ao redor de rios afeta o regime de fluxo desses cursos de água – graças aos processos de erosão, diminui o fluxo, levando ao aumento da estagnação da água.

“Os ribeiras que drenam as áreas desenvolvidas estão sujeitos a intensos fluxos erosivos quando as estradas e o conjunto de tubos de águas pluviais rapidamente encaminham o escoamento para os riachos durante as tempestades, sem permitir que a água se infiltre no solo”, disse Blaszczak.

“Descobrimos que a erosão causada por esses fluxos intensos mudou a forma de alguns canais de fluxo de tal maneira que a água essencialmente parou de fluir durante o final do verão”.

Quando a água deixa de fluir, um riacho pode efetivamente tornar-se como uma série de poças ligadas entre si de água quase sempre imóvel. Essa estagnação tem um preço: a acumulação de nutrientes e matéria orgânica.

Essa mistura pode não parecer saudável para os habitantes das ribeiras – e não é. Em metade dos riachos estudados, as condições cronicamente degradadas levaram a baixas concentrações de oxigênio.

Em um destes casos, a equipe observou peixes mortos. As zonas mortas também são uma ameaça à vida marinha que não conseguimos ver tão facilmente: bactérias e outros organismos pequenos que vivem nos ecossistemas e que dependem de uma fonte de oxigênio dissolvido na água para permanecerem vivos.

“Descobrimos que as taxas de crescimento de algas que suportam as cadeias alimentares de fluxo foram mais lentas”, diz Blaszczak. “Juntamente com a ocorrência de hipóxia, isso cria uma situação sombria e estressante para os organismos de água doce que estão tentam sobreviver nessas correntes urbanas”.

“Hipóxia não é comum em ribeiras e rios por causa do fluxo de corrente, que, normalmente, move a água rápido o suficiente para evitar a diminuição do oxigênio dissolvido por bactérias em níveis hipóxicos”, diz Blaszczak.

“No entanto, a construção de barragens e outras alterações humanas que impedem o fluxo de água tornam esses ecossistemas de água doce particularmente vulneráveis ​​à hipóxia, com implicações negativas para a biodiversidade, especialmente em rios já sobrecarregados com alta poluição nutricional”.

É muito cedo para dizer se esses resultados seriam replicados em rios maiores que atravessam os EUA. Mas os pesquisadores dizem que é mais do que provável. 

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Apple quer proibir lançamento de livro que revela segredos comerciais da empresa

O livro alemão App Store Confidential, de Tom Sadowski, é uma publicação temida pela Apple. Isso porque o autor foi o líder de desenvolvimento da loja de aplicativos da Gigante de Cupertino na Alemanha, Áustria …

Chineses acusam governo de usar epidemia de coronavírus para prender dissidentes

No momento em que a China enfrenta a epidemia do COVID-19 que já causou 2 mil mortes e infectou 74 mil pessoas no país, o mundo se pergunta se a crise reforça ou, pelo …

Suíça quer devolver dinheiro ganho com tráfico de escravizados para as Américas

O horror do tráfico de pessoas escravizadas entre os séculos XVI e XIX para os EUA, Caribe, América Latina e principalmente o Brasil teve mais responsáveis do que nos dita a história. E a Suíça …

Reino Unido pós-Brexit fecha portas para imigrantes pouco qualificados

No Reino Unido pós-Brexit, os estrangeiros que quiserem obter um visto de trabalho no país vão ter que provar muitas habilidades. Os candidatos receberão pontos de acordo com seu nível de inglês, diploma e profissão …

Síria realiza primeiro voo comercial entre Damasco e Aleppo desde 2013

Diretores de aeroportos da Síria mencionam o trabalho realizado no aeroporto de Aleppo para permitir o feito, realizado graças à vitória do Exército sírio e esforço dos operários. A Síria realizou seu primeiro voo comercial em …

Mudanças climáticas ameaçam futuro das crianças do mundo, diz ONU

Estudo de Nações Unidas, Unicef e revista 'The Lancet' aponta ações de sustentabilidade insuficientes. Países ricos fracassam em prover meio ambiente favorável, apesar de melhor ponto de partida. Países de todo o mundo estão fracassando em …

Bug no sistema do McDonald's forneceu lanches de graça sem limite de quantidade

Imagine você poder realizar quantos pedidos quiser no McDonald's e não ter que arcar com um só centavo para isso. Bem, essa mamata virtual era o que vinha acontecendo no sistema da multinacional de fast-food …

Governo chinês está até "queimando" dinheiro para combater o coronavírus

A briga do governo chinês contra o Covid-19 (também conhecido como "novo coronavírus") tem colocado diversos órgãos governamentais em alerta, e o governo da China parece não poupar esforços para conter a proliferação da doença …

Maior organização de escoteiros dos EUA declara falência após processos de abuso sexual

O grupo Boys Scouts of America, principal movimento de escoteiros dos Estados Unidos, apresentou um pedido de falência nesta terça-feira (18), em um esforço para salvaguardar as indenizações às vítimas de abuso sexual, afirma um …

Ações humanas alteram dispersão de sementes na Amazônia, aponta estudo

Análise de mais de 26 mil árvores demonstra que atividades como queimadas e desmatamento abalam o equilíbrio entre fauna e flora. Com degradação, restam animais pequenos na floresta, que espalham sementes menores. Quando se fala em …