Abortos seletivos são responsáveis pela ausência de 23,1 milhões de mulheres no mundo

Um novo estudo aponta que o desequilíbrio demográfico entre homens e mulheres se perpetua no mundo desde os anos 1970. A principal causa: abortos seletivos em países asiáticos, onde as famílias dão prioridade ao nascimento de bebês do sexo masculino.

23,1 milhões de mulheres não puderam nascer desde os anos 1970. O motivo: a preferência das famílias por filhos homens. Essa é a conclusão de um estudo realizado na Universidade Nacional de Singapura, publicado neste mês pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

A equipe dirigida pela pesquisadora Fengqing Chao contabilizou as diferenças entre o número de nascimentos de homens e mulheres no mundo, comparando-os às médias de referência. No total, doze países eliminaram milhões de suas cidadãs através de abortos seletivos.

As nações onde o fenômeno é mais frequente são a China e a Índia, onde faltam, respectivamente 11,9 milhões e 10,6 milhões de mulheres, segundo o estudo da Universidade Nacional de Singapura, que listou e comparou estatísticas de 1970 a 2017. Considerando que esses dois países concentram 38% da população mundial e um terço dos nascimentos no planeta, eles são os principais responsáveis pelo desequilíbrio demográfico.

Depois de China e a Índia, chegam Vietnã, onde faltam 254 mil mulheres, Coreia do Sul (155 mil), Azerbaijão (72 mil) e Taiwan (47 mil). Eles são seguidos por Tunísia (37 mil), Armênia (19 mil), Geórgia (12 mil), Albânia (11 mil), Hong Kong (7 mil) e Montenegro (2 mil).

Popularização de métodos para descobrir o sexo

Para Christophe Z. Guilmoto, pesquisador em demografia no Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento da França (IRD), esse número seria ainda maior e cerca de 45 milhões de mulheres podem ter deixado de nascer desde os anos 1970. Segundo ele, a tendência começa a ser observada com a popularização da amniocentese – coleta do líquido amniótico – seguida pelo desenvolvimento da ecografia, nos anos 1970, métodos para descobrir o sexo dos bebês durante a gravidez.

À RFI, o especialista explicou que o nascimento de homens e mulheres no mundo segue uma regra biológica estável há milhares de anos. “Na maior parte do mundo, 105 meninos nascem a cada 100 meninas, em média. A principal exceção acontece na África, onde, em média, 103 meninos nascem a cada 100 meninas. Por isso sabemos que, desde que há uma diferença, acontece algo que não pode ser justificado por fenômenos naturais ou biológicos”, afirma.

É o que mostra o estudo coordenado por Fengqing Chao. Através de estatísticas, a pesquisa prova que doze países recorrem a abortos seletivos de bebês meninas, sobretudo nações onde há controle de natalidade.

No caso da Coreia do Sul e de Taiwan, estudos demográficos mostram que, nos casais que têm mais de um filho, bebês do sexo feminino só podem nascer caso já tenham um irmão do sexo masculino. As famílias desses países onde esse desequilíbrio demográfico foi verificado têm preferência por filhos homens.

Consequências morais e práticas

Para Guilmoto, há duas principais perspectivas em relação ao fenômeno. A primeira, segundo ele, é a manifestação de uma discriminação pré-natal e irreversível. “Na Europa, o fato de decidir deliberadamente que meninas não podem nascer é visto como um ataque aos direitos das mulheres de virem ao mundo e à igualdade de sexos”, observa.

Na prática, os abortos seletivos têm consequência para os países onde são praticados, já que os homens estarão em maior quantidade que as mulheres e não poderão formar família. “Há um risco de frustração social com uma população masculina que será superior de 5% a 10% em algumas regiões. Ou seja, o sistema matrimonial será diretamente afetado”, reitera. O fenômeno é irreversível, “a menos que haja movimentos migratórios, mas, nesse caso, muito grandes” para corrigir a diferença.

Por outro lado, o especialista avalia que a sociedade pode se ajustar. “Os homens indianos podem se casar com mulheres do Nepal ou de Bangladesh. Ou os homens chineses podem imigrar e se casar na Europa. Outra solução ainda é considerar que esses indivíduos não se casarão e ficarão solteiros, o que nem sempre é bem visto nas sociedades asiáticas tradicionais”, afirma.

Equilíbrio demográfico no Brasil

De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), realizado em 2017 no Brasil, o número de mulheres é superior no país. O país conta atualmente com quase 208 milhões de habitantes: as brasileiras representam 51,6% da população contra 48,4% de brasileiros.

Entretanto, entre as faixas etárias, o equilíbrio corrige a diferença. Até os 24 anos de idade, ela chega a ser inversa, com 18,6% de homens e 17,8% de mulheres. O maior desequilíbrio está a partir dos 60 anos de idade, quando os homens são 6,4% e as mulheres representam 8,2% da população, devido à maior expectativa de vida das brasileiras.

Guilmoto também observa que em toda a América Latina não há uma preferência acentuada por um sexo específico. A prática de abortos seletivos não é realizada na região “por um lado, porque a interrupção voluntária da gravidez é proibida por lei na maioria dos países da América Latina, mas principalmente porque não há uma preferência por bebês meninos”.

O pesquisador lembra que, apesar de as mulheres latino-americanas serem discriminadas por um sistema tradicionalmente patriarcal, “o machismo na América Latina não chega a influenciar a preferência de bebês por sexo”. O que é um ponto positivo na demografia em relação à Ásia. “Nos países asiáticos também há discriminação das mulheres na sociedade, mas, além disso, há essa prioridade das famílias ao nascimento de meninos”, conclui.

// RFI BR

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Morra quem morrer', diz prefeito na Bahia ao decretar reabertura do comércio

O prefeito da cidade de Itabuna (BH), Fernando Gomes, declarou em vídeo divulgado nas redes sociais que autorizará reabertura de estabelecimentos comerciais em 9 de julho. Ao anunciar a implementação do decreto que autorizará reabertura do …

Édouard Philippe, premiê francês, pede demissão e deixa cargo após três anos

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, apresentou sua demissão nesta sexta-feira (3) ao presidente Emmanuel Macron, que aceitou o pedido. O anúncio foi feito nesta manhã pela assessoria do palácio do Eliseu, a sede da …

Crânio achado em tumba submarina revela aparência de homem da Idade da Pedra

Oscar Nilsson, um artista forense sueco, reconstruiu virtualmente a aparência de um homem da Idade da Pedra, cujo crânio sem mandíbula foi encontrado em uma estaca dentro de uma tumba submarina de aproximadamente oito mil …

Alemanha quer eliminar extremismo de direita de tropa de elite

Com reforma, Ministério da Defesa alemão pretende "apertar o botão de reset" no KSK, unidade de elite das Forças Armadas abalada por escândalos sobre envolvimento de seus membros com extremismo de direita. A ministra alemã da …

Putin, presidente "eterno"? Para mais de 75% dos russos, a resposta é sim

Vladimir Putin, presidente "vitalício"? Essa é uma das apostas da votação que termina hoje na Rússia, e que vem sendo apoiada por cerca de 73,55% dos eleitores, que até agora votaram “SIM” neste referendo. Se …

Funcionários da Tesla são demitidos por ficarem em casa

Quando a fábrica da Tesla na Califórnia (EUA) reabriu em meados de maio, o CEO, Elon Musk, tranquilizou os trabalhadores dizendo que não precisariam ir à fábrica se "se sentissem desconfortáveis". No entanto, apesar do comunicado, …

Brasil supera marca de 60 mil mortes por covid-19

Segundo dados das secretarias estaduais e do Ministério da Saúde, total acumulado de óbitos no país é de 60.632, com 1.448.753 infecções. Brasil tem ainda 826.866 pessoas recuperadas. O painel do Conselho Nacional de Secretários de …

Especialista pode ter encontrado a resposta para estátuas egípcias com nariz quebrado

Na arte e na simbologia religiosa do antigo Egito, a representação da figura humana era celebrada como possível receptáculo de nossas almas ou mesmo de um Deus, em estátuas que possuíam profunda função ritualística. Passados alguns …

Estrela massiva desapareceu sem deixar traços

Um objeto espacial integrante da galáxia anã Kinman desapareceu de nossas vistas, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. Essa estrela excepcionalmente grande foi descrita em 2001 …

Vacina da covid-19 produzida no Brasil será distribuída em dezembro, se aprovada

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pode começar a distribuir a vacina contra a COVID-19 em dezembro deste ano, caso os testes finais se mostrem efetivos para evitar a propagação da doença. A vacina vem sendo …