Abortos seletivos são responsáveis pela ausência de 23,1 milhões de mulheres no mundo

Um novo estudo aponta que o desequilíbrio demográfico entre homens e mulheres se perpetua no mundo desde os anos 1970. A principal causa: abortos seletivos em países asiáticos, onde as famílias dão prioridade ao nascimento de bebês do sexo masculino.

23,1 milhões de mulheres não puderam nascer desde os anos 1970. O motivo: a preferência das famílias por filhos homens. Essa é a conclusão de um estudo realizado na Universidade Nacional de Singapura, publicado neste mês pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

A equipe dirigida pela pesquisadora Fengqing Chao contabilizou as diferenças entre o número de nascimentos de homens e mulheres no mundo, comparando-os às médias de referência. No total, doze países eliminaram milhões de suas cidadãs através de abortos seletivos.

As nações onde o fenômeno é mais frequente são a China e a Índia, onde faltam, respectivamente 11,9 milhões e 10,6 milhões de mulheres, segundo o estudo da Universidade Nacional de Singapura, que listou e comparou estatísticas de 1970 a 2017. Considerando que esses dois países concentram 38% da população mundial e um terço dos nascimentos no planeta, eles são os principais responsáveis pelo desequilíbrio demográfico.

Depois de China e a Índia, chegam Vietnã, onde faltam 254 mil mulheres, Coreia do Sul (155 mil), Azerbaijão (72 mil) e Taiwan (47 mil). Eles são seguidos por Tunísia (37 mil), Armênia (19 mil), Geórgia (12 mil), Albânia (11 mil), Hong Kong (7 mil) e Montenegro (2 mil).

Popularização de métodos para descobrir o sexo

Para Christophe Z. Guilmoto, pesquisador em demografia no Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento da França (IRD), esse número seria ainda maior e cerca de 45 milhões de mulheres podem ter deixado de nascer desde os anos 1970. Segundo ele, a tendência começa a ser observada com a popularização da amniocentese – coleta do líquido amniótico – seguida pelo desenvolvimento da ecografia, nos anos 1970, métodos para descobrir o sexo dos bebês durante a gravidez.

À RFI, o especialista explicou que o nascimento de homens e mulheres no mundo segue uma regra biológica estável há milhares de anos. “Na maior parte do mundo, 105 meninos nascem a cada 100 meninas, em média. A principal exceção acontece na África, onde, em média, 103 meninos nascem a cada 100 meninas. Por isso sabemos que, desde que há uma diferença, acontece algo que não pode ser justificado por fenômenos naturais ou biológicos”, afirma.

É o que mostra o estudo coordenado por Fengqing Chao. Através de estatísticas, a pesquisa prova que doze países recorrem a abortos seletivos de bebês meninas, sobretudo nações onde há controle de natalidade.

No caso da Coreia do Sul e de Taiwan, estudos demográficos mostram que, nos casais que têm mais de um filho, bebês do sexo feminino só podem nascer caso já tenham um irmão do sexo masculino. As famílias desses países onde esse desequilíbrio demográfico foi verificado têm preferência por filhos homens.

Consequências morais e práticas

Para Guilmoto, há duas principais perspectivas em relação ao fenômeno. A primeira, segundo ele, é a manifestação de uma discriminação pré-natal e irreversível. “Na Europa, o fato de decidir deliberadamente que meninas não podem nascer é visto como um ataque aos direitos das mulheres de virem ao mundo e à igualdade de sexos”, observa.

Na prática, os abortos seletivos têm consequência para os países onde são praticados, já que os homens estarão em maior quantidade que as mulheres e não poderão formar família. “Há um risco de frustração social com uma população masculina que será superior de 5% a 10% em algumas regiões. Ou seja, o sistema matrimonial será diretamente afetado”, reitera. O fenômeno é irreversível, “a menos que haja movimentos migratórios, mas, nesse caso, muito grandes” para corrigir a diferença.

Por outro lado, o especialista avalia que a sociedade pode se ajustar. “Os homens indianos podem se casar com mulheres do Nepal ou de Bangladesh. Ou os homens chineses podem imigrar e se casar na Europa. Outra solução ainda é considerar que esses indivíduos não se casarão e ficarão solteiros, o que nem sempre é bem visto nas sociedades asiáticas tradicionais”, afirma.

Equilíbrio demográfico no Brasil

De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), realizado em 2017 no Brasil, o número de mulheres é superior no país. O país conta atualmente com quase 208 milhões de habitantes: as brasileiras representam 51,6% da população contra 48,4% de brasileiros.

Entretanto, entre as faixas etárias, o equilíbrio corrige a diferença. Até os 24 anos de idade, ela chega a ser inversa, com 18,6% de homens e 17,8% de mulheres. O maior desequilíbrio está a partir dos 60 anos de idade, quando os homens são 6,4% e as mulheres representam 8,2% da população, devido à maior expectativa de vida das brasileiras.

Guilmoto também observa que em toda a América Latina não há uma preferência acentuada por um sexo específico. A prática de abortos seletivos não é realizada na região “por um lado, porque a interrupção voluntária da gravidez é proibida por lei na maioria dos países da América Latina, mas principalmente porque não há uma preferência por bebês meninos”.

O pesquisador lembra que, apesar de as mulheres latino-americanas serem discriminadas por um sistema tradicionalmente patriarcal, “o machismo na América Latina não chega a influenciar a preferência de bebês por sexo”. O que é um ponto positivo na demografia em relação à Ásia. “Nos países asiáticos também há discriminação das mulheres na sociedade, mas, além disso, há essa prioridade das famílias ao nascimento de meninos”, conclui.

// RFI BR

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Príncipe Andrew vira centro de escândalo sexual

O príncipe Andrew do Reino Unido comunicou nesta quarta-feira (20/11) que decidiu se afastar da vida pública após o agravamento da controvérsia em torno de seu envolvimento com o milionário americano Jeffrey Epstein, acusado de …

Brasil é o maior hub de fintech da América Latina

O Brasil é o maior país da América Latina — tanto em massa quanto em população — e ocupa uma posição influente no cenário global. Depois dos Estados Unidos, o Brasil lidera a lista do …

Entomólogo dos EUA acredita ter identificado fósseis de insetos em Marte

O entomólogo William Romoser, professor emérito da Universidade de Ohio (EUA), analisou fotos captadas por rovers da NASA em Marte e afirma ter achado nelas fósseis de insetos. Romoser analisou detalhadamente estruturas parecidas a abelhas, bem …

China se irrita com decisão americana sobre Hong Kong e convoca diplomata

Pequim convocou nesta quarta-feira (20) um diplomata do alto escalão dos Estados Unidos após a adoção na terça-feira (19), pelo Senado americano, de um texto que apoia os "direitos humanos e democracia" em Hong Kong. Os …

Porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle recua em novo depoimento

O porteiro que citou o presidente Jair Bolsonaro nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco e do motorista, Anderson Gomes, depôs nesta terça-feira (19/11) à Polícia Federal e recuou da versão que havia …

Anistia Internacional denuncia mais de 100 mortes em protestos no Irã

ONG relata uso de munição real contra manifestantes e diz que total de mortos pode ser ainda maior. Presidente e líder supremo dizem que país teve êxito ao lidar com distúrbios provocados por inimigos externos. A …

Áustria decide sobre polêmica do destino da casa onde nasceu Hitler

Por enquanto, parece ter se encerrado a polêmica sobre qual destino dar à residência onde nasceu Adolf Hitler. O edifício, que fica na Áustria, se tornará uma delegacia de polícia, segundo anunciou o governo austríaco …

Satélites Starlink já estão atrapalhando observações astronômicas

Em maio, Elon Musk garantiu que seus satélites Starlink não causariam impactos nas observações astronômicas — declaração dada pelo Twitter logo após o lançamento dos primeiros 60 satélites do projeto que visa pelo menos 12 …

As celebridades no esporte que adoram poker - 7 esportistas que jogam poker por lazer!

O poker está cada dia mais alcançando um status como esporte e poderá até mesmo se tornar um esporte olímpico. Desde 2009, o poker é considerado mundialmente como um esporte da mente pela International Mind Sports …

Tiro de PM causou morte da menina Ágatha no Rio, aponta inquérito

A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou nesta terça-feira (19/11) que um cabo da Polícia Militar foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar) pela morte de Ágatha Vitória Sales Félix, de …