Animais domésticos ou silvestres não transmitem Covid-19 na França, diz agência sanitária

Jlantzy (Jamie Lantzy) / Wikimedia

Após a análise de novos dados científicos, a agência nacional de segurança sanitária da França (ANSES) atualizou nesta quinta-feira (19) o relatório publicado em abril de 2020 sobre o potencial de transmissão da Covid-19 por meio de animais.

A agência confirma que, até o momento, nem animais domésticos, nem silvestres, desempenham um papel epidemiológico na propagação do SARS-CoV-2 na França. A transmissão do vírus para humanos é hoje exclusivamente o resultado de um transmissão respiratória entre duas pessoas.
Publicidade

Certas situações específicas em algumas espécies animais, como uma alta receptividade ao SARS-CoV-2, porém, requerem vigilância para não constituírem, no futuro, um reservatório animal favorável à disseminação do vírus, como em criações de animais silvestres para consumo humano.

Receptividade animal ao SARS-CoV-2

No que diz respeito aos animais de companhia, recomenda-se que as pessoas contaminadas pela Covid-19 respeitem um período de distanciamento de seus pets, para limitar os riscos de infecção de humanos para os animais domésticos, mesmo que isso não comprometa o seu bem-estar.

A receptividade ao SARS-CoV-2 é a capacidade de uma espécie animal de abrigar o vírus sem necessariamente desenvolver sintomas. A sensibilidade é a capacidade da espécie animal de expressar sinais clínicos e/ou lesões devido ao vírus. Os dados disponíveis para definir se uma espécie animal é receptiva ou sensível ao vírus SARS-CoV-2 vêm de infecções experimentais ou de infecções naturais observadas no campo.

Sensibilidades diferentes entre espécies animais

Nenhuma infecção experimental ainda mostrou que galinhas, perus e patos sejam receptivos ou sensíveis ao SARS-CoV-2, segundo o estudo da ANSES. Além disso, nenhum dado sobre infecção natural foi registrado até o momento entre estas espécies.

Em relação a bovinos e suínos, estudos adicionais são necessários para confirmar ou negar sua receptividade ao SARS-CoV-2, mas estudos previamente publicados mostram que esses animais não são sensíveis ao vírus.

Este tipo de sensibilidade ainda precisa ser confirmada entre coelhos e cães, para saber se estes animais são receptivos ao SARS-CoV-2. Muito poucos cães desenvolveram sinais clínicos em condições naturais devido aos níveis muito elevados de exposição ao vírus [milhares de pessoas infectadas com Covid-19 estiveram em contato próximo com seus cães].

Além disso, os testes realizados entre cães não conseguiram demonstrar a transmissão do vírus entre eles. Finalmente, não há atualmente dados científicos mostrando a transmissão do SARS-CoV-2 de cães para outra espécie.

Os gatos são receptivos e sensíveis ao SARS-CoV-2 com transmissão apenas entre indivíduos da mesma espécie, nunca para humanos. Não há dados científicos mostrando a transmissão do SARS-CoV-2 de gatos para outra espécie animal. Tal como acontece com os cães, a ocorrência de infecções naturais em gatos com SARS-CoV-2 ocorre em um contexto de alta pressão viral, através do contato próximo com seus proprietários afetados pela Covid-19.

Furões e hamsters são receptivos e sensíveis ao vírus SARS-CoV-2, com transmissão intraespécie comprovada. No entanto, nesta fase não existem dados científicos que mostrem a transmissão da SARS-CoV-2 destes animais para outras espécies, nem qualquer infecção natural.

Animais domésticos não transmitem Covid-19

Em relação ao vison, dados de infecções naturais relatados na Holanda, Dinamarca, Espanha e Estados Unidos mostram que esta espécie é receptiva e sensível ao SARS-CoV-2, com transmissão interespécies comprovada.

Eventos na Holanda, e mais recentemente na Dinamarca, apóiam a retransmissão do vírus de visons infectados para humanos, mas a ANSES enfatiza que a ocorrência desses eventos está ligada ao contexto de alta pressão viral devido à alta densidade da população animal dentro dessas fazendas de criação de visons.

Tigres, leões e pumas em cativeiro em zoológicos são espécies receptivas e sensíveis ao SARS-CoV-2, mas não transmitem o vírus para humanos. Até o momento e à luz das evidências científicas atualmente disponíveis, a agência francesa confirma que os animais domésticos e selvagens não desempenham um papel epidemiológico na manutenção e propagação da SARS-CoV-2.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …