Armagedon climático: América Latina pode estar com dias contados

As anomalias climáticas registradas ultimamente levantaram preocupações sobre o aquecimento global e a ameaça que isso representa para todo o nosso planeta.

Em meados deste mês, os termômetros de vastas áreas da Europa Ocidental registraram temperaturas que atingiram quase 45 graus Celsius — fator que causou grande preocupação tanto para a população quanto para os cientistas.

Uma das consequências do aumento das temperaturas médias é a mudança das condições em algumas áreas, particularmente na zona intertropical – entre os Trópicos de Câncer e Capricórnio – que inclui a maior parte da América Latina, centro e sul do México, e partes do norte da Argentina e do Chile.

Migrantes climáticos

A intensificação dos fenômenos extremos, junto com a alteração das condições climáticas, está provocando a migração de pessoas dos seus países de origem para lugares onde encontram condições melhores.

Em alguns casos, a migração pode ser interna, mas em outros os cidadãos de países relativamente pequenos não têm outra opção senão deixar seus países de origem, disse à Sputnik Mundo o membro do Grupo de Mudança Climática e Radiação Solar da Universidade Nacional Autônoma do México, Dr. Carlos Gay García.

“Se os meios de produção e a terra não te alimentam, então tens de ir embora. De fato, na América do Sul e Central já existem pesquisas que indicam que há muita migração para os Estados Unidos através do México” por causa disso, enfatizou o analista.

De acordo com García, no caso da América Latina os migrantes climáticos podem migrar para o sul do continente americano, para áreas da Argentina e do Chile, particularmente para regiões como a Patagônia.

A migração será para latitudes onde as temperaturas permanecem relativamente mais baixas, destacou o especialista.

Risco potencial

Para García, os países mais afetados pelo aquecimento global são aqueles em desenvolvimento ou que estão localizados próximos dos trópicos, pois estes Estados não dispõem dos recursos necessários para enfrentar os impactos do fenômeno climático.

“Quando não temos os recursos necessários, tornamo-nos mais sensíveis às alterações climáticas. Então, é verdade que as zonas intertropicais, nas quais está localizada a maior parte das Américas, seriam muito afetadas pela mudança climática“, disse Gay.

Em caso de aumento das temperaturas, a face da América Latina mudaria em termos de dificuldade em lidar, por exemplo, com a potencial escassez de alimentos. A segurança alimentar e a gestão da água ficariam comprometidas pelo aquecimento global e pelas alterações climáticas, além do efeito sobre as questões de saúde.

Outro fator da consequência das alterações climáticas são os deslizamentos de terras, causados pelas chuvas torrenciais, que são propensos a atingir com mais frequência áreas nas latitudes da América tropical, complementa o especialista. A questão é que o risco de mais mortes por esses fenômenos em países intertropicais é maior do que o risco em outros países.

Aqui a diferença entre o tipo de riscos que as pessoas enfrentam em zonas intertropicais e aqueles que enfrentam em latitudes mais elevadas tem a ver com uma maior exposição em termos de perda de vidas humanas, explicou Gay.

“Não medimos o risco em termos de quantos edifícios vão cair ou ser destruídos. Medimos em termos de quantas pessoas serão afetadas e isso é diferente no norte e no sul”, salientou.

Frequência e intensidade dos fenômenos

Na opinião do professor do Departamento de Geografia da Universidade Nacional da Colômbia, José Daniel Pabón Caicedo, a situação não é tão grave, especialmente em comparação com outras áreas do planeta.

Inicialmente, as alterações climáticas provocariam um aumento da frequência e da intensidade dos eventos extremos, mas estes não aumentam necessariamente em todos os lugares.

“Se olharmos para as temperaturas médias, o aquecimento não é tão severo na zona tropical ou equatorial em comparação com as latitudes médias, por exemplo, na Rússia, a parte da Sibéria. Ali, o aquecimento seria maior, segundo vários modelos e cenários”, afirmou o especialista.

Caicedo esclarece que para os países das Américas localizados entre os trópicos (cujo aumento de temperatura média está estimado entre dois e quatro graus no final do século), há alguns cenários que assumem que o aquecimento não será tão forte quanto na América do Norte ou no Norte da Europa.

A situação é semelhante no caso de fenômenos extremos, como tempestades intensas: em algumas áreas elas aumentarão e em outras diminuirão. Não vão necessariamente aumentar em todo o lado.

Segundo Pabón, se falamos do aumento das zonas áridas e semiáridas, então poderia haver um aumento de migrações dessas zonas para as outras em busca de melhores condições. Da mesma forma, uma das maiores e mais claras manifestações das migrações não se deve tanto ao aquecimento, mas sim ao aumento do nível da água dos rios e do mar.

“Olhando aqui na América Latina, seria necessário olhar para quais regiões, vamos supor, se houvesse inundações mais frequentes, as pessoas tenderiam a abandoná-las. No entanto, tanto quanto sei, não temos um grau estabelecido de certeza se há áreas com esse grau de problema”, concluiu.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

NASA descobre água congelada bem debaixo da superfície de Marte

A agência espacial norte-americana lançou um mapa mostrando onde há depósitos de água congelada no Planeta Vermelho. De acordo com a NASA, a água está localizada tão próximo da superfície que os astronautas poderiam cavá-la com …

Essa é a primeira instalação de compostagem humana do mundo

Uma empresa chamada Recompose está prestes a se tornar a primeira instalação de compostagem humana do mundo, projetada para começar suas operações em 2021 na cidade de Seattle, nos EUA. Graças a uma nova lei que …

Zapata 'gay': pintura de herói revolucionário mexicano nu em pose sensual gera invasão de museu

Manifestantes invadiram o Palácio das Belas Artes na Cidade do México na terça-feira em protesto contra uma pintura que mostra o herói revolucionário Emiliano Zapata fazendo uma pose "não convencional". A multidão pediu que a obra …

Companhia aérea cria rede de restaurantes de ‘comida de avião’ em terra firme

Em princípio a comida de avião não lembra o sabor e a qualidade de nossos restaurantes preferidos, muito menos a delícia de uma boa comida caseira – a não ser, é claro, para aqueles que …

Forças Armadas alemãs voltarão a empregar rabinos como capelães militares

As Forças Armadas da Alemanha (Bundeswehr) vão empregar rabinos como capelães militares. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (11/12) pela ministra da Defesa do país, Annegret Kramp-Karrenbauer. As dezenas de milhares de católicos e protestantes em …

Plantas dão gritos ultrassônicos quando estressadas, e podemos até dizer por que

Uma nova pesquisa da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriu que plantações de tomate e tabaco podem falar. Infelizmente, nós não conseguimos escutar. Usando gravações, os cientistas concluíram que as plantas fazem sons ultrassônicos …

Fones inteligentes que alertam pedestres sobre perigos já estão sendo testados

Um impressionante dado levantado somente nos EUA diz muito sobre o efeito da tecnologia sobre nosso comportamento mais cotidiano – e, com isso, sobre nossas vidas e, pasmem, nossas mortes: nos últimos sete anos, o …

Evo Morales vai fazer da Argentina o seu comitê de campanha para as eleições na Bolívia

Em uma operação secreta, o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou à Argentina de onde vai comandar a campanha do seu partido para as próximas eleições. Depois de passar quase um mês no México, Evo …

Vespas insaciáveis: outro desastre provocado pela radiação de Chernobyl?

A radiação de Chernobyl intensificaria o metabolismo e o consumo de néctar em vespas se comparadas com as de outras regiões. A intensificação pode ter maiores consequências ecológicas. A mudança poderia estar relacionada à constante exposição …

Maioria considera justa a soltura de Lula, mostra Datafolha

Uma pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (09/12) sugere que a maioria da população brasileira considera justa a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrida em novembro após ele cumprir um ano …