Cabral teria financiado dossiês contra Bretas de dentro da cadeia; ele nega e pede desculpas ao juiz

Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral

Mesmo dentro do presídio, o ex-governador Sérgio Cabral estaria financiando a montagem de dossiês contra o juiz Marcelo Bretas, da Operação Lava Jato no Rio. As informações são de uma investigação sigilosa da Polícia Federal (PF), a que os repórteres Paulo Renato Soares, Arthur Guimarães e Leslie Leitão tiveram acesso, com exclusividade.

Segundo o portal de notícias da Globo, a informação de que o grupo do ex-governador passou a montar dossiês contra os investigadores partiu de dentro do presídio onde Sérgio Cabral está preso, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Segundo a denúncia, o ex-governador teria um fundo milionário para financiar uma devassa na vida dos integrantes da força-tarefa da Lava Jato no estado.

A polícia já sabe que o grupo chegou a acessar registros de ocorrência em três delegacias: 22ª DP, 35ª DP e 105ª DP. Todos os acessos foram feitos depois que Cabral já tinha sido preso, em novembro do ano passado.

A polícia já sabe em nome de quais funcionários os acessos foram feitos. No dia 26 de setembro – 6 dias depois de o ex-governador receber a sentença na Operação Calicute – houve 8 acessos pra pesquisar registros de ocorrência sobre o juiz Marcelo Bretas e a mulher dele, que também é juíza.

A investigação da Polícia Federal está em andamento, mas é sigilosa porque envolve a segurança dos integrantes da Lava Jato no Rio, do Ministério Público Federal e da Justiça. A polícia federal quer saber de onde vem o dinheiro para financiar a montagem de dossiês, quem está envolvido e qual é o objetivo do ex-governador. A equipe da Lava Jato no Rio está com a segurança reforçada desde que as investigações começaram.

O documento foi uma resposta a um questionamento da força tarefa da Lava Jato, que pediu uma auditoria sobre todas as consultas feitas aos nomes do juiz e de parentes dele. No dia 23 de outubro, Cabral citou informações sobre a família de Bretas, da 7ª vara federal criminal, durante uma audiência.

Ao ser questionado sobre a compra de joias pra lavar dinheiro, o ex-governador disse que o juiz devia entender do assunto porque a família do magistrado trabalha com bijuterias.

No fim de outubro, o Ministério Público pediu a transferência de Sérgio Cabral para um presídio federal de segurança máxima por causa do comportamento do ex-governador, e porque ele teria acesso a informações privilegiadas dentro da cadeia.

O Departamento Penitenciário Nacional definiu que o ex-governador iria para o presídio federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, mas uma liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal impediu a transferência.

Ex-governador nega montagem de dossiês

O ex-governador e negou ter participado da montagem dos supostos dossiês para prejudicar o juiz. Cabral depôs nesta quarta-feira (8), em audiência da Operação Fatura Exposta, que investiga pagamentos de propinas de empresas do setor de saúde a políticos e integrantes do governo de Cabral.

“Eu até me exaltei, e o senhor me desculpa, naquela situação. Não há nada meu pessoal contra o senhor. Estão falando aí de um dossiê. Imagina, eu jamais faria. Eu nunca fiz isso com ninguém, ainda mais preso. Não é da minha índole, eu jamais agiria dessa maneira”, disse Cabral, em referência à denúncia de que ele teria mandado levantar informações sobre Bretas e sua esposa na Polícia Civil.

Ao final do interrogatório, que durou cerca de 45 minutos, Cabral apertou a mão de Bretas. Por causa de desavença na última audiência, quando Cabral revelou conhecer detalhes da vida da família de Bretas, o juiz chegou a pedir sua transferência para um presídio federal, o que só não ocorreu pela concessão de um habeas corpus pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ciberia // GNI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …

Covid-19: Médicos pressionam governo francês para aumentar controles de pessoas vindas do Brasil

Especialistas acreditam que medidas do governo francês para frear entrada de variante P1 no país são insuficientes e pressionam para aumento de controles de passageiros provenientes do Brasil nos aeroportos ou pela suspensão dos …