Caçador encontra primo do monstro do lago Ness em uma montanha

uaf.edu

Ilustração da vida marinha no Cretáceo criada pelo artista James Havens, de Amchorage, que trabalha com Pat Druckenmiller para interpretar realisticamente as formas de vida antigas. Ao centro, um elasmosaurus.

Ilustração da vida marinha no Cretáceo criada pelo artista James Havens, de Amchorage, que trabalha com Pat Druckenmiller para interpretar realisticamente as formas de vida antigas. Ao centro, um elasmosaurus.

Um caçador encontrou por acaso, nos montes do estado de Montana, os restos de um réptil extraordinário, que viveu há 70 milhões de anos numa região marítima onde hoje está localizada a América do Norte.

“Os representantes desta espécie de répteis são conhecidos por ter pescoço extremamente longo, que chega a possuir até 76 vértebras. Quando desenterramos esse esqueleto, ficamos muito surpresos — no seu pescoço havia 40 vértebras aproximadamente”, conta Patrick Druckenmiller, cientista da Universidade do Alasca.

Segundo descreve Druckenmiller em um artigo publicado esta quarta-feira (12) no Journal of Vertebrate Paleontology, trata-se de um parente do mítico monstro do lago Ness.

Enquanto estava caçando nas montanhas do estado de Montana em novembro de 2010, o caçador David Bradt encontrou os fósseis da criatura gigantesca, revelou o cientista.  Após horas caçando, Bradt, cansado, encontrou um ribeiro e desceu para pegar água. Ele notou algo parecido com tronco de árvore afundado e tentou tirá-lo.

Mas não se tratava de um tronco, e sim dos fósseis de um enorme réptil. Ao estimar o tamanho da criatura, Bradt pensou que poderia ter encontrado o esqueleto de um tricerátopo, pois estes dinossauros são geralmente encontrados no nordeste dos EUA, e enviou a foto de sua descoberta a paleontólogos da Universidade do Alasca.

A extração dos fósseis durou três dias e, após sua conclusão, ficou claro que essa “caça” não vivia na terra e sim no mar.

O animal é um representante da espécie do elasmossauro, ou seja, um réptil pré-histórico da ordem Plesiosauria, que faz parte de uma época longínqua da nossa: do período Cretáceo.

Quando o ‘primo’ do monstro do lago Ness era vivo, o continente americano era uma região marinha, completamente diferente da atual. Na região onde viveu a criatura misteriosa está localizada agora a América do Norte.

Duas ilhas gigantescas ocupavam a região — Laramidia e Appalachia. A linha de divisão entre elas alcançava centenas de quilômetros, onde hoje são encontrados Montana, outros estados centrais dos EUA e províncias canadenses.

O número pequeno de vértebras do réptil, que recebeu o nome Nakonanectes bradti em homenagem a Bardt e aos índios locais, surpreendeu os cientistas, pois significa que no fim do período Cretáceo existiam répteis com pescoços tanto longos como curtos. No entanto, esse fato contradiz a principal teoria de sua evolução.

A descoberta significa, de acordo com Druckenmiller, que os elasmossauros poderiam ter existido em etapas diferentes da evolução devido às condições climáticas do seu ambiente.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

COVID-19 deve ter pico no Brasil em abril e maio, dizem Mandetta e especialistas

A previsão de disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no país não é nada animadora para os próximos meses. Isso porque ainda estamos em uma fase intermediária da infecção, que deve ter seus momentos de pico em …

Esse novo tratamento alivia a depressão em 90% dos pacientes

De acordo com uma nova pesquisa americana, um tratamento com estimulação magnética transcraniana pode ser muito eficaz para pessoas com depressão severa: em um experimento, foi capaz de aliviar os sintomas em 90% dos pacientes. Normalmente, …

Israel: ministro que definiu Covid-19 como ‘castigo divino a gays’ está com coronavírus

Aos 71 anos, Yaakov Litzman, ministro da Saúde de Israel e também líder do partido ultra-ortodoxo “Judaísmo Unido da Torá”, testou positivo para Covid-19. O diagnóstico foi divulgado nesta terça-feira (7) pela imprensa local e chamou …

Saúde de Boris Johnson preocupa britânicos, mas governo garante que premiê passa bem

O Reino Unido acompanha com preocupação a degradação do estado de saúde do primeiro-ministro Boris Johnson, que anunciou publicamente ter sido contaminado pelo novo coronavírus há dez dias. Depois de ser hospitalizado no domingo (5), …

Cortes na ciência comprometem resposta à covid-19 no Brasil

A fila de 16 mil testes para covid-19 no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, expõe a vulnerabilidade de um país que escolheu não investir em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos últimos anos. A …

Organismo marinho de 47 metros de comprimento descoberto na Austrália

Pesquisadores conseguiram captar imagens de vídeo fascinantes de um organismo "de outro mundo" nas águas ao largo da costa ocidental da Austrália. Segundo comunica a Newsweek, uma equipe a bordo do RV Falkor, o principal navio …

Detectadas pela 1º vez estrelas binárias capazes de produzir ondas gravitacionais

Astrônomos do Centro de Astrofísica de Harvard & Smithsonian detectaram pela primeira vez anãs brancas compostas por duas estrelas binárias. As anãs brancas compostas por duas estrelas binárias possuem um núcleo orbital capaz de gerar uma …

Epidemia do coronavírus ainda não chegou ao pico e se agrava na França, diz ministro

O pico da epidemia do novo coronavírus ainda não foi atingido na França, disse nesta terça-feira (7) o ministro da Saúde, Olivier Véran. Devido ao número significativo de pacientes que ainda são hospitalizados diariamente …

Superlua Rosa: satélite atinge proximidade máxima com a Terra

Na próxima terça-feira (7), os entusiastas da astronomia vão poder testemunhar um conhecido e belo fenômeno dos céus que acontece anualmente. A Superlua Rosa é o momento em que o satélite atinge proximidade máxima com a …

Empresas brasileiras lançam manifesto contra demissões

Dezenas de empresas assinam texto pedindo que companhias se comprometam a não demitir nos próximos dois meses, mesmo diante dos impactos econômicos provocados pelas medidas de isolamento para conter o coronavírus. Um grupo de 41 empresas …