Caçador encontra primo do monstro do lago Ness em uma montanha

uaf.edu

Ilustração da vida marinha no Cretáceo criada pelo artista James Havens, de Amchorage, que trabalha com Pat Druckenmiller para interpretar realisticamente as formas de vida antigas. Ao centro, um elasmosaurus.

Ilustração da vida marinha no Cretáceo criada pelo artista James Havens, de Amchorage, que trabalha com Pat Druckenmiller para interpretar realisticamente as formas de vida antigas. Ao centro, um elasmosaurus.

Um caçador encontrou por acaso, nos montes do estado de Montana, os restos de um réptil extraordinário, que viveu há 70 milhões de anos numa região marítima onde hoje está localizada a América do Norte.

“Os representantes desta espécie de répteis são conhecidos por ter pescoço extremamente longo, que chega a possuir até 76 vértebras. Quando desenterramos esse esqueleto, ficamos muito surpresos — no seu pescoço havia 40 vértebras aproximadamente”, conta Patrick Druckenmiller, cientista da Universidade do Alasca.

Segundo descreve Druckenmiller em um artigo publicado esta quarta-feira (12) no Journal of Vertebrate Paleontology, trata-se de um parente do mítico monstro do lago Ness.

Enquanto estava caçando nas montanhas do estado de Montana em novembro de 2010, o caçador David Bradt encontrou os fósseis da criatura gigantesca, revelou o cientista.  Após horas caçando, Bradt, cansado, encontrou um ribeiro e desceu para pegar água. Ele notou algo parecido com tronco de árvore afundado e tentou tirá-lo.

Mas não se tratava de um tronco, e sim dos fósseis de um enorme réptil. Ao estimar o tamanho da criatura, Bradt pensou que poderia ter encontrado o esqueleto de um tricerátopo, pois estes dinossauros são geralmente encontrados no nordeste dos EUA, e enviou a foto de sua descoberta a paleontólogos da Universidade do Alasca.

A extração dos fósseis durou três dias e, após sua conclusão, ficou claro que essa “caça” não vivia na terra e sim no mar.

O animal é um representante da espécie do elasmossauro, ou seja, um réptil pré-histórico da ordem Plesiosauria, que faz parte de uma época longínqua da nossa: do período Cretáceo.

Quando o ‘primo’ do monstro do lago Ness era vivo, o continente americano era uma região marinha, completamente diferente da atual. Na região onde viveu a criatura misteriosa está localizada agora a América do Norte.

Duas ilhas gigantescas ocupavam a região — Laramidia e Appalachia. A linha de divisão entre elas alcançava centenas de quilômetros, onde hoje são encontrados Montana, outros estados centrais dos EUA e províncias canadenses.

O número pequeno de vértebras do réptil, que recebeu o nome Nakonanectes bradti em homenagem a Bardt e aos índios locais, surpreendeu os cientistas, pois significa que no fim do período Cretáceo existiam répteis com pescoços tanto longos como curtos. No entanto, esse fato contradiz a principal teoria de sua evolução.

A descoberta significa, de acordo com Druckenmiller, que os elasmossauros poderiam ter existido em etapas diferentes da evolução devido às condições climáticas do seu ambiente.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China revela análise de substância estranha encontrada na Lua em 2019

Em julho de 2019, a equipe da missão chinesa Chang'e 4 encontrou uma substância estranha na Lua. A descoberta foi anunciada em agosto do mesmo ano, chamando a atenção da comunidade científica, mas nada foi …

Cientistas alertam OMS para transmissão aérea do coronavírus além de dois metros

A transmissão aérea do novo coronavírus interpela os especialistas desde o início da pandemia. Nessa segunda-feira, um grupo de 239 cientistas alertou as autoridades de saúde do mundo inteiro, e em particular a OMS, …

Governo tem que tirar garimpeiros de terras yanomami em 15 dias para começar a enfrentar covid-19 em áreas indígenas

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o Governo Federal deveria retirar os garimpeiros das terras yanomami de Roraima como medida para conter o avanço do novo coronavírus nos territórios indígenas. A decisão liminar …

Encontrada a origem da vida no universo

Uma estrela morre por segundo no universo. Mas esses objetos estelares não somem totalmente, algo sempre fica para trás. Certas estrelas entram em supernova, que geram um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, enquanto a …

Bolsonaro afirma que está com covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (07/07) que seu exame para detectar a covid-19 teve resultado positivo. Bolsonaro, de 65 anos, se submeteu ao exame na segunda-feira, após dizer que estava sentindo sintomas leves da …

Caso de peste bubônica é confirmado na China

Enquanto o mundo vem buscando tratamentos para a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), antigas doenças e ameças podem ressurgir, como um sinal de alerta para a sociedade. É esse o caso relatado pelas autoridades da saúde …

Petição que substituir estátua de Cristóvão Colombo por uma do músico Prince

O histórico processo de revisão das estátuas, nomes de rua e outras homenagens a personagens ligados ao racismo ou outros massacres étnicos prevê a retirada de tais homenagens, mas não somente: figuras efetivamente merecedoras dos …

EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado

Mike Pompeo já acolheu uma medida semelhante da Índia, que emitiu uma ordem provisória bloqueando o TikTok e outros 58 aplicativos ligados à China em meio ao primeiro choque fronteiriço mortal em décadas. O secretário de …

Brasil tem mais de 65 mil mortes por covid-19

O Brasil superou a marca de 65 mil mortos por covid-19 nesta segunda-feira (06/07), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde. Foram 620 óbitos registrados nas últimas …

Homem cria uma "cadeira de rodas" off-road para que sua esposa possa ir a lugares que ela nunca imaginou

Quem precisa de uma cadeira de rodas para se locomover sabe que não é nada fácil percorrer certos terrenos. Viagens a lugares nevados, trilhas tropicais, montanhas… Tudo isso parece impossível. Mas não deveria ser. Aliás, …