Cem militares e policiais venezuelanos desertam e vão para a Colômbia

(h) Alexander Gomez

Um pouco mais de cem membros das forças armadas e de segurança da Venezuela desertaram desde sábado (23) e foram para a Colômbia, segundo informações do serviço de migrações colombiano.

O movimento de dispersão acontece em meio ao conflito em torno da entrada da ajuda humanitária no país em crise, bloqueada pelo presidente venezuelano Nicolás Maduro.

“Até agora, o serviço de migrações da Colômbia recebeu um pouco mais de cem membros das forças armadas da Venezuela, que saíram de seu país para fugir da ditadura de Nicolás Maduro”, disse o órgão neste domingo (24) em um comunicado.

Os militares e policiais foram em sua maioria para o departamento Norte de Santander, na fronteira do estado venezuelano de Tachira.

Juan Guaidó, presidente interino autoproclamado e apoiado por diversos chefes de Estado, prometeu anistia aos membros das forças de segurança que rompessem com o governo de Maduro.

As primeiras deserções ocorreram no sábado pela manhã. Maduro, acusado por seus adversários de fraudar a eleição à presidência, ainda tem o apoio do Exército, um dos pilares do poder no país.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, fez um apelo neste domingo para que a “calma” seja estabelecida na Venezuela, pedindo a todos os atores sociais que reduzam as tensões e que façam de tudo para evitar uma situação ainda pior.

Guterres ressalta a necessidade de não se render à violência e à força letal, não importa as circunstâncias. Ele também se disse “chocado e triste de saber que vários civis perderam a vida” no sábado, durante os confrontos com o Exército venezuelano.

A União Europeia também condenou neste domingo os atos de violência e o uso de “grupos armados” na Venezuela pelo governo de Nicolás Maduro para impedir a entrada de ajuda humanitária no país.

“A recusa do regime em reconhecer a urgência humanitária conduz a uma escalada das tensões”, lamentou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, em um comunicado em nome dos 28 membros do bloco. Mogherini também disse que a UE está pronta para aumentar sua ajuda humanitária e para o desenvolvimento na Venezuela, com a intenção de acabar com o sofrimento dos mais vulneráveis.

O governo brasileiro também criticou os ataques e chamou Maduro de “ditador”. Neste domingo, dois militares venezuelanos pediram asilo no Brasil.

Outro que condenou a violência na Venezuela foi o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmando que os Estados Unidos partiriam para a ação. Pompeo também disse acreditar que os dias de Maduro no poder estão contados.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Maduro envia carta ao povo dos EUA pedindo "cessação das sanções"

Nicolás Maduro enviou uma carta ao povo dos Estados Unidos expressando uma mensagem de solidariedade e paz, e pedindo fim das ameaças militares e das sanções contra Venezuela. No documento, o chefe de Estado venezuelano exprime …

Governo dos EUA alerta população para novo "11 de Setembro" devido à covid-19

Chefe da Saúde Pública do país prevê que próxima semana será "a mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos". Ele compara repercussão a dois dos maiores traumas da história dos Estados …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

IA sincronizada com música cria rostos falsos, o resultado pode se aterrorizante

As pessoas ainda aprendem a melhor forma de empregar as redes neurais artificiais, aprendizado de máquina e avanços em inteligência artificial. Entre as pesquisas práticas há a busca por empregar essas técnicas de forma a …

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento

"Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já …

Dois anos após mortes de Marielle e Anderson, Anistia Internacional cobra identificação de mandantes

Dois anos após os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018, o crime permanece sem solução e ilustra a impunidade no combate à violência …

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …

Pesquisadores portugueses revelam que os neandertais foram pioneiros na exploração de recursos marinhos

Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Lisboa (Portugal) descobriu que a familiaridade dos hominídeos com o mar e os seus recursos é muito mais antiga do que se pensava – ao que …

Filipinas: presidente Duterte diz que polícia deve matar quem perturbar confinamento

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, disse que as forças de ordem podem abater qualquer pessoa que provoque “transtornos” nas regiões onde o confinamento da população foi decretado. As autoridades do país tentaram minimizar as declarações …

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …