Cientistas descobrem por que alguns tsunamis desaparecem misteriosamente

Escavações no local dos mais antigos e potentes deslizamentos de terras submarinos levaram geólogos noruegueses a descobrir a razão pela qual alguns poderosíssimos cataclismos submarinos acabam não provocando tsunamis gigantes.

“O mecanismo e a natureza dos tsunamis estão ainda pouco estudados. Uma catástrofe igual à de Fukushima nos faz pensar sobre as forças que geram as ondas gigantes e por que esses fenômenos nem sempre causam poderosas inundações”, segundo explica o geólogo Finn Lovholt e seus colegas do Instituto Geotécnico da Noruega em Oslo.

A descoberta foi avançada num artigo publicado na revista Geophysical Research Letters.

De acordo com os cientistas, há atualmente dois mecanismos principais que originam tsunamis: os terremotos fortíssimos no fundo do oceano, como os que causaram as cheias de 2004 e 2011 na Indonésia e no Japão, e os deslizamentos de terras enormes, um dos quais, o Storegga, teria provocado um dos maiores dilúvios na história.

O Storegga, que ocorreu há cerca de 8 mil anos, teria sido causada por um deslizamento fortíssimo no fundo do Oceano Atlântico. Ele provocou cheias gigantescas próximo às costas de toda a Escandinávia e da Grã-Bretanha, e deveria ter causado um colapso da população paleolítica local.

A forma como os tsunamis surgem durante os terremotos está bastante estudada pelos geólogos, contudo o papel dos deslizamentos nesse processo está ainda muito pouco estudado. A título de exemplo, Lovholt indica um outro deslizamento forte que se deu há aproximadamente 6 mil anos, o Trenadjupet, que não chegou a causar efeitos visíveis.

O problema é que de momento os cientistas não conseguem explicar completamente por que as grandes camadas de solo no fundo do mar começam deslizando pelos seus declives, perdendo a estabilidade.

A razão para tal pode ser tanto a mudança das correntes, quanto a flutuação das temperaturas, além de explosões submarinas de metano, cujas moléculas vêm se acumulando no permafrost no fundo do mar da Noruega.

Lovholt e seus colegas encontraram a resposta à última pergunta após terem analisado amostras dos estratos de rocha formados pelos dois deslizamentos, o Sturegga (do tipo “terremotos fortíssimos no fundo do oceano”) e o Trenadjupet (do tipo “deslizamentos de terra enormes”).

Conforme os cálculos feitos através de modelagem por computador, o deslizamento de lama se deslocava de modo totalmente diferente em cada um dos casos.

Sturegga, o deslizamento mais antigo, conseguiu gerar um tsunami por seus estratos de rocha terem desmoronado quase simultaneamente, para o fundo do oceano, com a velocidade de 35 metros por segundo.

Consequentemente, se deslocaram quase três mil quilômetros cúbicos de solo submarino, o que provocou uma onda potente, cujos vestígios foram encontrados na Escócia a 80 km da costa marinha.

O caso de Trenadjupet foi diferente – aconteceu uma série de várias dezenas de desmoronamentos separados, cada um dos quais ia provocando um deslizamento ainda maior do que o anterior.

De acordo com os cálculos, a magnitude de um tsunami causado por deslizamentos depende não do tamanho do deslizamento, mas do relevo do fundo do mar, cuja forma pode causar um complexo “deslizamento retrogressivo” das camadas geológicas – que, em alguns casos, elimina o efeito do tsunami.

O estudo dos cientistas noruegueses, que estudou vários modelos de deslizamentos submarinos com esse efeito “retrogressivo”, mostrou que o principal fator que importa estudar no futuro para se fazer uma projeção da magnitude dos tsunamis e construir proteções não é a magnitude dos deslizamentos, mas o relevo do fundo do mar.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …

Pesquisadores portugueses revelam que os neandertais foram pioneiros na exploração de recursos marinhos

Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Lisboa (Portugal) descobriu que a familiaridade dos hominídeos com o mar e os seus recursos é muito mais antiga do que se pensava – ao que …

Filipinas: presidente Duterte diz que polícia deve matar quem perturbar confinamento

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, disse que as forças de ordem podem abater qualquer pessoa que provoque “transtornos” nas regiões onde o confinamento da população foi decretado. As autoridades do país tentaram minimizar as declarações …

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …

'Estamos em guerra': França confiscou 1 milhão de máscaras destinadas à Espanha e Itália

Os dois países se envolveram em uma disputa diplomática depois que parte das máscaras com destino a outros países vindas da China foram retidas em cidades francesas. As autoridades francesas apreenderam milhões de máscaras que uma …

Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Depois da Segunda Guerra Mundial e da pandemia de gripe espanhola, a nova inimiga do soldado aposentado William ‘Bill’ Lapschies, nascido em Salem em 1916, foi a Covid-19 – e ele venceu a batalha! Aos 104 …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

UE teme que política autoritária adotada na Hungria por causa do coronavírus tenha efeito dominó no bloco

Em nome da luta contra o novo coronavírus, a Hungria estabeleceu estado de emergência e concedeu poderes ilimitados ao governo de Viktor Orbán. A Europa condena o uso político da pandemia da Covid-19 e …

Grécia põe campo de refugiados em quarentena após infeção

Autoridades confirmam ao menos 20 infecções, todas sem sintomas. Exames foram feitos após uma mulher que deu à luz ter testado positivo para o novo coronavírus no hospital. A Grécia colocou em quarentena o campo de …

Bactérias em rochas a 6 km de profundidade no Pacífico reacendem esperanças de vida em Marte

Bactérias unicelulares recém-descobertas nas profundezas marinhas deram aos investigadores pistas sobre como podem encontrar vida em Marte. A novidade científica foi anunciada hoje (2) no portal SciTechDaily em um artigo da Universidade de Tóquio, Japão. Estas …