Descobertos esqueletos que podem revelar quem escreveu os Manuscritos do Mar Morto

Adam Fagen / Flickr

Ninguém sabe quem escreveu e guardou os Manuscritos do Mar Morto

Esqueletos recentemente desenterrados poderiam ajudar a revelar quem escreveu ou guardou os rolos encontrados entre 1947 e 1956 nas cavernas de Qumran, na Cisjordânia.

Os famosos Manuscritos do Mar Morto das cavernas de Qumran são considerados uma das descobertas arqueológicas mais importantes de todos os tempos.  Os rolos contêm mais de 800 documentos que compõem as primeiras páginas da Bíblia e os ensinamentos do cristianismo, incluindo os Dez Mandamentos.

Os pergaminhos, descobertos entre 1947 e 1956 em 11 cavernas de Qumran, na costa do mar Morto, na Cisjordânia, causaram um sério debate sobre quem ocupou a região. Em 2017, os cientistas encontraram outra caverna na mesma zona na margem do Mar Morto, onde havia rolos ou pedaços de papiro e couro para escrever.

Agora, poderia haver uma forma cientifica de descobrir quem ocupou o assentamento localizado perto das cavernas onde foram encontrados os manuscritos.

Segundo a análise de 33 esqueletos agora descobertos em Qumran, a antiga comunidade desta área consistiria em uma seita religiosa de homens celibatários, informa a Science News.

A datação por radiocarbono dos ossos encontrados em Qumran, apresentada pelo antropólogo Yossi Nagar, da Autoridade de Antiguidades de Israel, revelou que os corpos tinham cerca de 2.200 anos de antiguidade desde que foram enterrados. Esta é uma idade muito próxima da estimada dos textos antigos: considera-se que eles foram escritos entre 150 a.C. e 70 d.C.

(dr) The Israel Museum

Detalhe do primeiro dos Manuscritos do Mar Morto, encontrado em 1947

Outras descobertas surpreendentes dissiparam as noções anteriormente existentes que sete dos corpos encontrados na zona pertenciam a mulheres.

Segundo Nagar, depois de reexaminar os ossos, que se encontram agora na França, os pesquisadores chegaram à conclusão que seis dos sete indivíduos anteriormente rotulados como mulheres eram realmente homens. Também foram desenterrados os restos de várias crianças em Qumran.

O especialista israelense identificou 30 dos indivíduos encontrados como definitivamente ou provavelmente homens, de acordo com fatores tais como a forma pélvica e o tamanho do corpo. No momento da sua morte, teriam entre 20 e 50 anos ou mais, estimou Nagar.

Uma das teorias conspirativas mais antigas afirma que membros de uma antiga seita judaica celibatária, os essênios, viveram em Qumran e escreveram os Manuscritos do Mar Morto, escritos em hebraico, aramaico e grego, ou que cuidavam desses documentos religiosos, legais e filosóficos.

No entanto, nos últimos 30 anos, foram propostas outras teorias que sugerem que pastores beduínos, artesãos e soldados romanos foram possíveis habitantes de Qumran e que teriam escrito os pergaminhos.

Não sei se essas foram as pessoas que escreveram os rolos do Mar Morto”, disse Nagar. “Mas a grande concentração de homens adultos de diferentes idades no grupo de esqueletos enterrados em Qumran é semelhante à que foi encontrada nos cemitérios ligados aos mosteiros bizantinos.”

Os cientistas vão agora analisar o DNA dos esqueletos encontrados, para tentar encontrar pistas sobre quem escreveu e guardou os famosos Manuscritos do Mar Morto – após o que irão sepultar de novo as ossadas, para que possam descansar em Paz.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …