Está provado: ninguém pode viver mais do que 122 anos

Ninguém é capaz de bater o recorde da pessoa que viveu mais tempo na história, 122 anos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira, que afirma ter encontrado um “teto” para o tempo máximo da vida humana.

Analisando dados demográficos de mais de 40 países ao redor do mundo, pesquisadores de Nova York descobriram que o limite para o aumento do tempo máximo de vida, em curso há vários anos, “já foi atingido” na década de 1990.

O estudo garante que, apesar de o limite matemático se situar nos 125 anos, será quase impossível ultrapassar o recorde fixado por Jeanne Calmen, que viveu até aos 122 anos e morreu em 1997.

“A tendência desde então para as pessoas mais velhas do mundo tem sido em torno de 115 anos de idade”, disse à AFP o coautor do estudo Brandon Milholland, do Albert Einstein College of Medicine.

Isto aconteceu apesar de a expectativa de vida média continuar aumentando, conforme a assistência médica, a nutrição e as condições de vida melhoram.

Em outras palavras, mais pessoas estão vivendo em idade avançada nos dias de hoje, mas os indivíduos com vidas excepcionalmente longas não estão envelhecendo tanto quanto antes.

“Prevemos que esta (tendência) permanecerá estável no futuro próximo”, disse Milholland.

“É possível que alguém possa ter uma vida ligeiramente mais longa (do que 115 anos), mas as chances de qualquer pessoa no mundo de sobreviver aos 125 em qualquer ano é menos de uma em 10.000”.

Segundo o estudo, publicado na Nature, tudo isso pode vir a ser alterado, é claro, por um importante avanço médico ou tecnológico – o tão procurado elixir da vida.

“Nós não podemos eliminar a possibilidade de um avanço que vai ampliar o tempo de vida mais para frente, mas este teria que ser diferente de tudo já visto antes”, disse Milholland.

Limite natural

“Os avanços médicos das últimas décadas podem ter aumentado a expectativa de vida e a qualidade de vida, mas não fez nada para aumentar o tempo de vida máximo”, acrescentou o pesquisador.

De acordo com cientistas, a expectativa de vida subiu quase continuamente em todo o mundo desde o século XIX.

Bebês nascidos nos Estados Unidos hoje, por exemplo, podem esperar viver até os 79 anos, contra os 47 para os americanos que nasceram em 1900.

Desde os anos 1970, a expectativa máxima de vida também aumentou, mas agora parece ter atingido um limite.

Isso sugere que pode haver um limite biológico para o tempo de vida humana – apesar da esperança que algumas pessoas podem ter de encontrar a fonte da juventude.

“Nossos resultados sugerem fortemente que o tempo de vida máximo de seres humanos é fixo e sujeito a condicionantes naturais”, escreveu a equipe.

Comentando o estudo, Stuart Jay Olshansky, da Universidade de Illinois, Chicago, escreveu na revista científica Nature que isto era um lembrete de que “a humanidade está se aproximando a um limite natural para a vida”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

“Bolsonaro não está dando os anéis, mas os dedos para tentar salvar o braço”, diz cientista política

O novo ministro super poderoso do governo de Jair Bolsonaro, Ciro Nogueira, nomeado para a Casa Civil, toma posse esta semana. Apesar de todo o fisiologismo, a analista Graziella Testa, da Escola de Políticas …

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …