Dentro de semanas, a estação espacial chinesa cairá na Terra

(dr) Xinhua

Estação Espacial Tiangong-1

O norte da Espanha é uma das zonas previstas para o impacto, mas a “probabilidade de alguém ser atingido por destroços da Tiangong-1 é um milhão de vezes menor do que a probabilidade de ganhar na loteria”.

Nas duas primeiras semanas de abril, a estação espacial enviada ao espaço pela China, Tiangong-1, entra em rota de colisão com a Terra, podendo atingir o norte da Espanha, de acordo com a Aerospace Corporation.

Por outro lado, a Agência Espacial Europeia aponta para 24 de março a 19 de abril.

De acordo com o relatório da Aerospace Corporation, um instituto sem fins lucrativos financiado pelos EUA para fiscalizar atividades espaciais, “a probabilidade de uma pessoa específica ser atingida por destroços da Tiangong-1 é cerca de um milhão de vezes menor que as probabilidades de ganhar na loteria”.

“Na história dos voos espaciais não se tem conhecimento de qualquer pessoa que algum dia tenha ficado ferida na sequência da reentrada de detritos espaciais na atmosfera. Até hoje, só houve registro de uma pessoa atingida por um desses detritos e, felizmente, não ficou ferida”, destaca o relatório.

No entanto, o mapa que o acompanha traça as potenciais zonas de impacto do módulo que pesa 8,5 toneladas. Felizmente para nós, há a probabilidade de, ao entrar na atmosfera, a Estação Espacial chinesa se deteriorar, ainda que os especialistas não estejam muito convencidos disso.

Entre as possíveis zonas de impacto estão o norte da China, o Oriente Médio, o centro da Itália ou o norte da Espanha, a par da Nova Zelândia, Tasmânia, algumas partes da América do Sul e o sul da África.

A Tiangong-1 foi lançada ao espaço em 2011 e foi a primeira estação enviada por aquele país para explorar o espaço.

Analistas dentro e fora do país a descreverem como um “símbolo político potente” da China moderna numa altura em que está cada vez mais investida em se tornar uma superpotência espacial. Em 2012, foi visitada pela primeira mulher astronauta da China, Liu Yang. Antes e depois disso, foi alvo de uma série de missões com e sem tripulação.

Em setembro de 2016, a China admitiu que tinha perdido o controle da estação e que não seria capaz de controlar sua reentrada na atmosfera. Ou prever onde iria cair.

De acordo com as declarações de Jonathan McDowell ao The Guardian “a Tiangong-1 é grande e densa e portanto é preciso manter isso debaixo de olho” – sobretudo considerando que a trajetória descendente da Tiangong-1 tem aumentado de velocidade nos últimos meses, tendo passado de uma queda a 1,5 quilômetro por semana em outubro para os 6 quilômetros por semana registrados no último mês.

Por causa disto e também por causa das constantes alterações meteorológicas no espaço, é difícil antever onde o módulo chinês poderá cair. “Só na semana final do percurso descendente é que vamos conseguir falar sobre isso com maior confiança”, refere McDowell. “Diria que vários pedaços vão sobreviver à reentrada, mas só saberemos onde vão cair depois da reentrada.”

Essa não é a primeira vez que algo do gênero acontece. Em 1991, a Salyut 7, estação espacial da União Soviética com 20 toneladas, caiu na Terra, na época ainda com a nave Cosmos 1686 acoplada a ela. Os destroços caíram sobre a Argentina, atingindo em particular uma pequena localidade chamada Capitán Bermúdez.

Antes disso, em 1979, uma estação espacial da NASA com 77 toneladas, a Skylab, já tinha entrado em uma rota descendente descontrolada em direção à Terra, com algumas partes da nave caindo nos arredores de Perth, no oeste da Austrália.

Além da possibilidade de seus destroços atingirem alguém, a Tiangong-1 representa ainda outro problema. De acordo com o CanalTech, a Estação Espacial está repleta de substâncias tóxicas, como a hidrazina, altamente cancerígena, que podem se espalhar pelo planeta, assim que a Tiangong-1 entre em contato com a Terra.

De forma a evitar danos físicos e químicos, um grupo de cientistas chineses considera explodir a nave com raios laser antes de ela entrar na atmosfera terrestre.

Normalmente, satélites entram em combustão assim que chegam à atmosfera, mas, para desespero dos cientistas, essa não é a situação da Tiangong-1. Os chineses acreditam que, por ser tão grande, a nave chegará intacta ao solo ou a algum oceano da Terra.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Aquecimento global afetará saúde das novas gerações, diz relatório

Um relatório publicado nesta quinta-feira na revista científica The Lancet, a poucas semanas da conferência internacional para o clima (COP25), alerta para os riscos sanitários relacionados ao aquecimento global e às emissões de gás carbônico. O …

Estudante abre fogo em escola na Califórnia

Ao menos duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas depois que um aluno abriu fogo nesta quinta-feira (14/11) numa escola secundária no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, causando pânico entre estudantes e funcionários. …

Governo italiano deve decretar estado de catástrofe natural em Veneza

Metade da cidade está debaixo d’água, atingida pela pior cheia em 53 anos. O nível subiu 187 cm na terça-feira (12), o segundo mais alto desde 1966. A situação levou o governo a decidir decretar …

Oxigênio descoberto em Marte intriga cientistas da NASA

Padrão de comportamento do oxigênio recém-descoberto pelo rover Curiosity, da NASA, é tão diferente que os cientistas não conseguem desvendá-lo através dos processos químicos conhecidos pela ciência. A agência espacial norte-americana divulgou os resultados da análise …

O misterioso "Monstro Tully" acaba de ficar ainda mais esquisito

Um fóssil de 300 mil anos descoberto na década de 1950 no estado de Illinois (EUA) tem gerado muitas discussões entre cientistas. Batizado de Tullimonstrum, ou Monstro Tully, ele se parece com uma lesma. Mas …

Com asilo a Evo Morales, diplomacia mexicana dá passo à esquerda

México assume liderança esquerdista na América Latina ao receber o ex-presidente boliviano. Para analistas, medida desvia atenção de problemas internos, mas é jogo perigoso diante da dependência econômica dos EUA. A viagem de Evo Morales ao …

Incêndios florestais matam quatro pessoas e centenas de cangurus na Austrália

O número de vítimas pelos incêndios no leste da Austrália, onde 140 focos ainda continuam ativos, subiu para quatro nesta quinta-feira (14), com a descoberta de um cadáver perto da cidade de Kempsey, em Nova …

Holanda reduzirá limite de velocidade para combater poluição

O governo da Holanda reduzirá o limite máximo de velocidade nas rodovias do país como parte de uma série de medidas para combater as emissões de óxido de nitrogênio, geradas em grande parte por veículos …

A polêmica sobre campos de extermínio nazistas que opôs a Polônia ao Netflix

O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, enviou uma carta ao Netflix insistindo em mudanças no documentário The Devil Next Door (o diabo ao lado), sobre campos de extermínio nazistas. Na carta enviada no domingo, 10, e …

O único problema de ser filho único é o estigma

Filhos únicos possuem uma péssima reputação. Quantas vezes você não observou algum pai ser criticado por escolher ter apenas um pimpolho? “Ele vai ficar mimado, muito sozinho, egoísta, etc. etc. etc”. É um senso comum. Parece, …