Estudo indica que bactérias podem sobreviver — e bastante! — no espaço

A panspermia é uma teoria que levanta a possibilidade de seres microscópicos migrarem pelo espaço e, assim, espalharem vida pelo universo.

Agora, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Tóquio observou a sobrevivência de bactérias em aglomerados, o que levantou a possibilidade da existência da “panspermia em massa”. O estudo foi publicado na revista Frontiers in Microbiology.

Akihiko Yamagishi, professor da Universidade de Tóquio e investigador principal da missão Tanpopo, junto da equipe da missão e outras instituições, realizou um experimento para testar como bactérias Deinococcus se sairiam sobrevivendo no espaço.

Estes microrganismos são conhecidos por formar grandes colônias e serem resistentes às condições do ambiente, como à radiação UV. Assim, eles distribuíram as bactérias em painéis de exposição do lado externo da Estação Espacial Internacional (ISS). As amostras de diferentes espessuras foram expostas ao ambiente espacial por períodos que variaram de um a três anos.

Depois de três anos, os pesquisadores observaram que os aglomerados de bactérias com espessura superior a 0,5 milímetros sobreviveram parcialmente às condições espaciais. Esses dados sugerem que, enquanto as bactérias na superfície dos aglomerados morreram, elas criaram uma espécie de camada protetora para aquelas que estavam mais abaixo para garantir a sobrevivência da colônia.

Com estes dados, os pesquisadores estimam que um aglomerado com espessura maior do que 0,5 milímetros poderia sobreviver até 45 anos na ISS e, em ao extrapolar, é possível considerar que uma colônia de apenas 1 milímetro de diâmetro poderia sobreviver até oito anos em condições espaciais externas.

Para Yamagishi, a origem da vida na Terra é um dos mistérios mais intrigantes para a humanidade, e os cientistas costumam ter diferentes pontos de vista sobre essa questão.

“Alguns acreditam que a vida é muito rara e ocorreu apenas uma vez no universo, enquanto outros consideram que a vida pode acontecer em qualquer planeta que tenha as condições necessárias”, comenta. Assim, se a panspermia realmente for possível, a vida pode existir com muito mais frequência do que pensamos.

Em um experimento anterior, Yamagishi e sua equipe encontraram essas mesmas bactérias a 12 km de altitude da superfície do nosso planeta.

Até o momento, este estudo trouxe a melhor estimativa da sobrevivência das bactérias no espaço. Outros experimentos já provaram que, se conseguirem se abrigar em rochas, esses microrganismos são capazes de sobreviver durante longos períodos no espaço.

Entretanto, o estudo de Yamagishi é o primeiro feito a longo-prazo que levanta a possibilidade de as bactérias sobreviverem nestes aglomerados, o que indica um conceito que pode ser traduzido como “panspermia em massa”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …

Planetas semelhantes à Terra parecem ser "protegidos" por gigantes como Júpiter

A organização dos planetas rochosos não é aleatória e, ainda, parece depender de algumas condições iniciais — é o que indica um novo estudo feito por uma equipe internacional de astrônomos e liderado por Martin …

1º parque temático da Nintendo será inaugurado em 2021 com área dedicada a Super Mario

“It’s me, Mario!” O encanador mais famoso do mundo vai trazer seus tubos verdes e aventuras para o mundo real. O Universal Studios do Japão inaugura, em 2021, o Super Nintendo World, o primeiro parque de …

Na TV, Biden volta a mencionar Amazônia

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu rival democrata na corrida à Casa Branca, Joe Biden, responderam a perguntas do público em canais de televisão concorrentes na noite desta quinta-feira (15/10). Pela segunda vez …