Existe uma bomba atômica perdida no fundo do mar há 50 anos perto da costa dos EUA

Em 5 de fevereiro de 1958 um caça F-86 da Força Aérea dos EUA se chocou com um B-47, avião bombardeiro fabricado pela Boeing, nos céus da cidade de Savannah, no estado da Georgia, nos EUA.

O acidente aconteceu durante um treinamento, e com a batida o piloto do F-86 perdeu o controle da nave e ejetou: o impacto sobre o bombardeiro foi considerável mas não o suficiente para explodir ou derrubar o avião, e após uma intensa perda de altitude o piloto do B-47, Coronel Howard Richardson, conseguiu retomar o controle da aeronave e estabilizá-la para o pouso.

Seria portanto, um incidente grave porém sem maiores consequências, não fosse o nada discreto detalhe que o bombardeiro estadunidense carregava: uma bomba atômica modelo Mk 15 pesando 3.400 quilos e recheada de material radiativo.

Após o impacto, a possibilidade de ter de realizar um pouso emergencial com o bombardeiro era imensa e, a fim de reduzir o peso do avião e principalmente evitar uma possível explosão no caso do choque com o solo, ao piloto foi autorizado lançar a bomba no mar, a leste da Ilha Tybee, localizada nas águas do estado da Georgia.

Richardson conseguiu lançar a bomba sem explodi-la, e pousar a nave – o inacreditável acidente terminou sem maiores consequências diretas, mas sem identificar também a posição da Mk 15 jogada no mar.

Passados mais de 60 anos, porém, a bomba segue perdida, e junto com ela, as tantas toneladas de urânio e plutônio contidas em seu interior.

Segundo os relatos da época, o piloto do caça F-86, Lt. Clarence Stewart, não viu o avião de Richardson em seu radar e foi direto ao encontro do bombardeiro – perdendo, com isso, sua asa esquerda e danificando severamente os tanques de combustível do avião. No B-47, viajavam com Richardson outros dois oficiais como sua equipe.

Ao longo de dois meses a bomba foi procurada por toda a região pela marinha dos EUA, mas sem sucesso: depois de mais de seis décadas do ocorrido, especialistas hoje confirmam que, caso esteja intacta no fundo do mar, a bomba oferece risco consideravelmente baixo – e que é melhor deixá-la intacta do que tentar o resgate, esse sim perigoso.

Ainda que as Forças Armadas estadunidenses tenham cessados as buscas e que relatórios confirmem que o artefato provavelmente se tornou inofensivo, nada disso tranquiliza os brios ou mesmo a curiosidade dos moradores da região – que seguem em busca da bomba perdida.

Em 2004 um piloto aposentado detectou índices de radiação em uma área da região próxima à ilha Tybee que poderia sugerir a presença da arma, mas especialistas investigaram a suspeita e concluíram se tratar de índices normais.

O mistério, portanto, permanece no fundo do mar, carregando o peso da leviandade com que a humanidade fabrica e se descuida de artefatos capazes de arruinar nosso planeta e nossas vidas em um segundo.

//

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

As vovós que lutam pela democracia na Polônia

Idosas polonesas organizam protestos regulares contra erosão da democracia no país, governado por partido ultraconservador. "Não sou capaz de ficar tranquila em casa, cada violação dos direitos me dói", diz aposentada. Clima de fim de expediente …

Coruja super rara dá o ar da graça depois de 125 anos

A coruja rajá de Bornéu (Otus brookii brookii) é uma espécie tão pequena que apenas seu tamanho já tornaria sua identificação mais complexa. Nativa do Sudeste da Ásia e com peso médio de apenas 100 gramas, …

Nintendo bate todos os recordes de lucros com videogames durante a pandemia

A Nintendo apresentou resultados recordes para o ano fiscal de 2020/21 encerrado em 31 de março, impulsionada pela mania global dos videogames em tempos de pandemia, mas o grupo japonês não espera repetir essa …

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

Médicos no Canadá têm deparado com pacientes que apresentam sintomas semelhantes aos da doença de Creutzfeldt-Jakob, um mal raro e fatal que ataca o cérebro. Mas quando resolveram investigar o mal em mais detalhe, o …

Governador do Rio diz que operação que terminou com 25 mortos foi ação de 'inteligência'

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou que a operação da Polícia Civil realizada no Jacarezinho foi "ação pautada e orientada por longo e detalhado trabalho de inteligência e investigação".  A operação terminou com …

Butantan diz que ataques de Bolsonaro à China afetam vacinas

Presidente insinuou que chineses, principais fornecedores de matéria-prima para imunizantes ao Brasil, criaram vírus como parte de "guerra química". "Essas declarações têm impacto", diz diretor do Instituto Butantan. A direção do Instituto Butantan e o governador …

Fotos da última sessão de Kurt Cobain são vendidas como NFT

As imagens da última sessão de fotos da vida do compositor e cantor Kurt Cobain irão a leilão em formato de token não-fungível, os célebres NFTs. O anúncio foi feito por Jesse Frohman, fotógrafo por trás …

EUA, França e Rússia apoiam quebra de patentes contra a Covid-19, mas laboratórios resistem

A ideia de suspender as patentes da fabricação de vacinas contra a Covid-19 continuou a ganhar apoio em todo o mundo nesta quinta-feira, após o impulso inicial dado Estados Unidos. Porém, os laboratórios resistem, …

Descoberta a evidência mais antiga de atividade humana

Uma das atividades mais antigas de humanos foi identificada em uma caverna na África do Sul. Uma equipe de geólogos e arqueólogos encontrou evidências de que nossos ancestrais estavam fazendo fogo e ferramentas na Caverna …

Jeff Bezos: os planos do homem mais rico do mundo para voo espacial turístico

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, afirma que está pronto para levar pessoas ao espaço. A empresa Blue Origin, do empresário americano detentor de uma fortuna estimada em R$ 1 trilhão, diz que lançará uma tripulação …