Fígados humanos foram criados em laboratórios e transplantados em ratos com sucesso

UPMC

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores do Departamento de Patologia da Universidade de Pittsburgh (EUA) criou pequenos fígados através de engenharia genética utilizando células da pele humanas, e em seguida os transplantaram com sucesso em ratos.

Os cientistas ainda têm um longo caminho a percorrer antes de poder usar essa técnica para ajudar diretamente seres humanos, mas este estudo é uma prova de conceito essencial para uma futura alternativa a transplantes de fígado, um procedimento caro e restrito pelo número de doadores disponível.

De acordo com o último Registro Brasileiro de Transplantes, veículo oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, entre janeiro e março de 2020, 592 transplantes de fígado foram realizados, enquanto 1.105 pacientes brasileiros continuaram à espera de um órgão. Destes últimos, 796 ingressaram na lista de espera durante o próprio primeiro trimestre de 2020, e 205 faleceram.

Em uma entrevista realizada em 2012 pelo Infonet, Henrique Sérgio de Morais Coelho, então presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia, afirmou que há uma grande incidência de doenças hepáticas no Brasil, enquanto ao mesmo tempo há uma carência de especialistas e de doadores que possam contribuir para aumentar as estatísticas de transplante de fígado.

Para criar os fígados minúsculos, os pesquisadores utilizaram células da pele doadas por voluntários humanos. Elas foram revertidas a um estado de célula-tronco conhecido como “célula-tronco pluripotente induzida”. A partir dele, qualquer tipo de célula humana pode ser criado.

Para que se tornassem células de fígado, os cientistas induziram a diferenciação das células com a ajuda de hormônios e outras substâncias químicas.

Por fim, essas células foram cultivadas em uma estrutura de fígado de rato. Esse enxerto não possuía células dos roedores; foram as células-tronco humanas que preencheram o tecido funcional do fígado, juntamente com seu sistema vascular e rede de ductos biliares.

Enquanto demora cerca de dois anos para um fígado humano amadurecer desde o nascimento, os pesquisadores foram capazes de cultivar o órgão minúsculo em laboratório apenas algumas semanas.

Os órgãos amadurecidos foram transplantados em cinco ratos com sucesso. Por um breve período, os animais viveram com fígados humanos minúsculos em seus corpos, algo até então inédito.

Enquanto transplantados, os “mini fígados” pareceram funcionais. Depois de quatro dias, os ratos foram sacrificados e dissecados, e os pesquisadores confirmaram que órgãos estavam de fato funcionando.

Testes revelaram, por exemplo, que eles secretaram ácidos biliares e ureia, além de os pesquisadores terem encontrado proteínas hepáticas humanas no sangue dos animais. Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Cell Reports.

Isso não quer dizer que os transplantes funcionaram perfeitamente; os pesquisadores também encontraram evidências de fluxo sanguíneo deficiente, trombose e isquemia, o que aponta para as dificuldades em conectar adequadamente enxertos como esse à rede vascular de um animal, um problema que ainda tem de ser superado.

Os pesquisadores estimam que ainda levará pelo menos uma década até que esse tipo de procedimento possa ser realizado em seres humanos, algo que dependerá dos resultados de futuros experimentos, incluindo testes de segurança.

Enquanto isso, o método desenvolvido pela equipe pode ser utilizado em novos estudos para simular doenças em diferentes órgãos e testar tratamentos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Um traumatizado veterano SEAL da Marinha dos EUA disse que uma viagem "mágica" de cogumelo pôs fim à sua depressão

Antes de sua primeira viagem guiada de cogumelos “mágicos”, Chad Kuske era prisioneiro de sua própria raiva no trânsito. Se um carro parasse na frente dele, ele ficava consumido pela raiva, ultrapassando todos os veículos em …

Esta espécie rara de uva é maior que um ovo de galinha

Não, as fotos de uvas gigantes (do tamanho de ovos de galinha) não são falsas. Se você passa um tempo considerável na internet, deve ter visto imagens dessas frutas atípicas por aqui. Para a surpresa …

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …

Cientistas explicam por que não se consegue parar a pandemia

Cientistas turcos descobriram que a quantidade de vírus SARS-CoV-2 no organismo de pacientes assintomáticos é mais alta do que nos que apresentam sintomas, o que diferencia radicalmente o novo coronavírus de outros patógenos e explica …

Al-Ahly venceu Liga dos Campeões da CAF

A equipa egípcia do Al-Ahly arrecadou o troféu da Liga dos Campeões da Confederação Africana de futebol pela nona vez ao derrotar o outro clube egípcio, o Zamalek, por 1-2. A final 100% egípcia decorreu no …