Cardeais e bispos tratam freiras como escravas

Servem na casa dos bispos e dos cardeais e trabalham em cozinhas sem remuneração. Na sua edição de março, a revista do Vaticano Women Church World expôs a forma como são tratadas algumas freiras pelos cardeais e bispos da Igreja Católica.

O artigo central da revista Women Church World, intitulado “O trabalho (quase) gratuito das freiras” e publicado pelo jornal oficial do Vaticano Osservatore Romano, denuncia a forma como são tratadas as freiras no seio da Igreja Católica. A revista está sendo cada vez mais encarada como a versão da Igreja Católica do movimento #MeToo.

“Algumas delas servem nas casas de bispos e cardeais, outras trabalham nas cozinhas das instituições católicas ou ensinam. Há quem, para servir os homens da Igreja, se levante de manhã para fazer o café da manhã e só se deite quando estiver tudo limpo, a roupa lavada e passada”, diz a irmã Maria, nome fictício.

Além de raramente serem convidadas a se sentar às mesas que servem, é realçada a falta de salários dignos e a falta de contratos das mulheres que vão para os prelados. Quando adoecem, conta o Público, as trabalhadoras são enviadas de novo para a congregação e substituídas por outras.

A editora quer dar voz a essas irmãs, através de uma revista que sobrevive pela boa vontade e esforço gratuito dos editores. Muitas vezes, o silêncio de muitas freiras está relacionado com o fato de virem de longe (África, Ásia ou América) e fazerem seus estudos religiosos no Vaticano pagos pelas congregações.

Elas se sentem em dívida, amarradas, e por isso se mantêm caladas”, disse a irmã Maria, que também foi da África para Roma para prosseguir os estudos religiosos.

Além disso, a edição deste mês destaca ainda o fato de muitas freiras terem intelectos brilhantes, mas que não podem pô-los em prática, pelo fato de seu avanço intelectual ser fortemente desencorajado pela Igreja. “Por trás está sempre a ideia infeliz de que as mulheres valem menos do que os homens, de que os padres são tudo na Igreja e de que as irmãs não são nada”, acrescentou a irmã Maria.

Mas as opções editoriais da revista estão constantemente em alta. Em março de 2016, a revista expôs um artigo no qual defendia que as freiras deviam poder dar homilias. A autora teve que se defender publicamente e dizer que não teve nenhuma intenção de sugerir uma mudança na doutrina nem na prática.

A edição deste mês de março explora temas como as diferenças salariais de gênero e a falta de mulheres em posições de chefia.

“As mulheres são pessoal de segunda para a Igreja”

Para Maria João Sande Lemos, fundadora do movimento de leigos da Igreja Católica “Nós Somos Igreja”, que luta pela ordenação das mulheres a sacerdotes, “é um grande progresso uma revista que sai com o jornal do Vaticano reconhecer uma evidência, porque isso é o que acontece dentro da Igreja”.

Na opinião da fundadora do movimento, as mulheres “são pessoal de segunda para a Igreja Católica”. Por isso, Maria João defende que já deviam ter sido tomadas medidas em relação a essa fragilidade, como fazer com que as freiras “participem nas conferências episcopais, nos conselhos diocesanos ou tenham acesso aos ministérios ordenados”.

Destaca ainda o fato de o celibato das freiras ser imposto por razões econômicas, mas também pela perspectiva de que “as mulheres são um perigo“.

No entanto, para Maria João a revista é uma autêntica vitória. Ao Diário de Notícias, a fundadora do movimento “Nós Somos Igreja” desabafou: “Finalmente, que se comece a falar desse assunto. Nos EUA, o conselho geral das freiras foi perseguido e sujeito a investigação assim que começou a enfrentar os poderes romanos”, contou.

O Papa Francisco tenta mudar disto“, disse, lembrando que em um prefácio que assinou para um livro sobre assuntos femininos, o papa reconheceu que estava preocupado com muitos casos em que o trabalho das mulheres na Igreja “por vezes é mais servidão do que verdadeiro serviço”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. No dia 27 de fevereiro de 2018,saiu uma notícia deque cientistas dos EUA estariam implantando células tronco da pele para doenças incuráveis. Gostaria do e-mail da faculdade do Colorado sobre o assunto e o nome do responsável.

    • Olá, Anne!
      O artigo a que se refere é este aqui.
      Uma das cientistas responsáveis pela pesquisa se chama Ganna Bilousova, do Centro Gates de Medicina Regenerativa, do campus médico Anschutz. Infelizmente, não temos o e-mail dela, mas, caso queira, pode acessar o site da Universidade do Colorado aqui (em inglês) e encontrar informações de contato.
      Esperamos tê-la ajudado!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Nova descoberta pode nos ajudar a colonizar Marte (e a encontrar extraterrestres)

Cientistas conseguiram descobrir uma bactéria que seria capaz de sobreviver em Marte, e potencialmente também em outros planetas. A descoberta abre a porta à colonização de Marte e até pode facilitar a busca por sinais …

Há uma estranha relação entre o racismo e a negação das mudanças climáticas

Os motivos que estão por trás da negação das mudanças climáticas parecem ser ainda mais complexos do que pensávamos. Um estudo concluiu que há uma ligação entre atitudes racistas e o ceticismo no que toca …

Fóssil com 500 milhões de anos intriga os cientistas

Foi descoberto na China um fóssil de uma estranha criatura marinha com 500 milhões de anos, e os cientistas não sabem onde encaixá-la na “árvore da vida”. Uma equipe de cientistas descobriu um fóssil de uma …

Inteligência Artificial do Google já consegue prever quando os pacientes vão morrer

O Google tem expandido seus serviços médicos e treinado algoritmos para prever quanto tempo de vida resta a um paciente, informação que pode ajudar a salvar vidas. A rede neural do Google pode ser considerada única …

Desempenho positivo na Copa do Mundo diminui polarização política e até violência

Basta acompanhar uma Copa do Mundo para rapidamente perceber que a coisa vai muito além de uma simples competição de futebol: para além das tramoias e das negociatas que infelizmente contaminam esse evento, trata-se de …

Maduro anuncia aumento de 103% no salário mínimo da Venezuela, que agora chega R$ 250

Nicolás Maduro vai aumentar o salário mínimo em 103,7% na Venezuela, naquele que é o quarto aumento salarial este ano. No entanto, os preços dos produtos aumentam diariamente cerca de 2,4%. O presidente da Venezuela, Nicolás …

Trump impede (temporariamente) a separação de famílias imigrantes

O presidente dos EUA assinou, nesta quarta-feira (20), uma Ordem Executiva que permite resolver temporariamente o problema das famílias imigrantes no país, que foram separadas dos filhos na fronteira com o México. No entanto, ressalvou …

Portaria determina emissão de carteira de trabalho para imigrantes no Brasil

Em meio à crise migratória que atinge diversos países e a crescente entrada de venezuelanos no Brasil com o estado de Roraima, o Ministério do Trabalho publicou portaria que trata dos procedimentos para a emissão …

Temer vai cortar R$ 1 bilhão do Fies para financiar segurança pública

O governo do presidente Michel Temer deve passar parte do investimento em educação à manutenção do Fundo Nacional da Segurança Pública (FNSP). A medida provisória que destina recursos das loterias federais para o fundo representa …

49 crianças brasileiras foram separadas dos pais e enviadas a abrigos nos EUA

Quarenta e nove crianças brasileiras estão em abrigos e foram separadas dos pais ao ingressarem ilegalmente nos Estados Unidos. A informação é do cônsul-geral adjunto do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, que concedeu entrevista à …