Análise de DNA antigo mostra que os gatos se domesticaram sozinhos

Pesquisa voltada a compreender os genes dos gatos sugere que, mesmo depois de os felinos participarem da nossa vida, seu comportamento se manteve praticamente inalterado por milhares de anos. Bem ao estilo felino, os gatos levaram seu próprio tempo para decidir se cairiam no colo dos humanos.

Segundo uma nova pesquisa, voltada a compreender a distribuição dos gatos domésticos, estes animais viveram durante milhares de anos ao lado das pessoas antes de sua domesticação. Durante aquela época, seus genes se modificaram um pouco em relação aos gatos selvagens, além de terem manifestado uma mudança recente: as listras e pintas distintivas do gato malhado.

Pesquisadores estudaram o DNA de mais de 200 raças que viveram nos últimos 9 mil anos, incluindo vestígios dos animais romanos, felinos egípcios mumificados e espécies selvagens africanas, mais recentes.

Duas principais linhagens de gatos contribuíram para o surgimento do gato doméstico que hoje conhecemos, segundo o estudo publicado na Nature Ecology & Evolution.

Distribuição dos bichanos

Os antepassados mais antigos dos gatos domésticos de hoje já se espalhavam desde o sudoeste da Ásia até dentro da Europa em 4.400 a.C.. Os gatos provavelmente começaram a perambular em torno das comunidades agrícolas próximas ao Crescente Fértil há cerca de 8 mil anos, onde estabeleceram um relacionamento mutualmente benéfico com os seres humanos pelo hábito de caçar roedores.

“Provavelmente foi assim que o primeiro encontro entre gatos e humanos aconteceu”, diz o coautor do estudo, Claudio Ottoni, da Universidade de Leuven. “Não é que as pessoas os tenham capturado e mantido dentro de gaiolas; em vez disso, as pessoas meio que aceitaram que os gatos domesticassem a si mesmos”, conclui.

Uma segunda linhagem, constituída por gatos africanos que dominaram o Egito, espalhou-se pelo Mediterrâneo e na maior parte do Velho Mundo desde aproximadamente 1.500 a.C. Esse gato egípcio provavelmente tinha características sociáveis e mansas, criando afeto com os seres humanos.

Os resultados sugerem os povos humanos pré-históricos provavelmente começaram a carregar seus gatos ao longo de rotas comerciais e marítimas para controlar os roedores.

Prevalência dos malhados

Por meio da comparação de DNA de gatos ao longo da história, o estudo entrevê como o comportamento desses animais começou a se modificar antes mesmo que os humanos começassem a transportá-los consigo ao redor do Planeta, segundo Ottoni.

Surpreendentemente, não foram encontradas distinções significativas entre gatos selvagens e domésticos em termos de composição genética. Uma das poucas características que permitem distingui-los é a marca de malhagem em seus pelos.

O estudo ilumina a questão sobre o surgimento tardio das marcas listradas ou manchadas nos pelos, que começaram a aparecer em gatos domesticados durante a Idade Média. O gene de um gato malhado remonta ao Império Otomano, no sudoeste da Ásia, e mais tarde tornou-se comum na Europa e na África.

Foi apenas no século 18, no entanto, que as marcas se tornaram comuns o bastante para serem associadas aos gatos domésticos. No século 19, criadores de felinos começaram a selecionar animais com características particulares e únicas para desenvolver raças diferentes.

Fofura felina

Em geral, gatos se tornaram um companheiro doméstico aos humanos sem sofrer grandes modificações, informa a geneticista especializada em evolução e coautora do estudo, Eva-Maria Geigl. Os gatos domésticos pareceram semelhantes aos selvagens, embora não tenham comportamento solitário: lidam bem com humanos e também com outros gatos.

Isso contrasta com o comportamento dos cães, os primeiros animais domesticados, segundo Geigl. Os cachorros foram selecionados para desempenhar papéis específicos – o que nunca se aplicou aos gatos – e essa busca por traços particulares é o que levou à diversificação dos cães nas muitas raças que vemos hoje.

“Acredito que não houve necessidade de sujeitar os gatos a tal processo de seleção, uma vez que não era necessário modificar nada neles. Eles eram perfeitos em sua própria maneira de ser”, diz Geigl.

Embora nem todos os enxerguem com tamanho carinho, os felinos estão entre os animais de estimação mais populares do mundo hoje. Há 74 milhões de gatos vivendo em casas dos Estados Unidos.

“Começamos a descobrir informações incríveis a respeito de onde vieram, até onde caminharam e que tipo de impacto causaram nos seres humanos. Acho que estudar mais sobre essa espécie vai abrir ainda mais portas à pesquisa sobre os processos de domesticação”, destaca Oottoni.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bolsonaro chama manifestantes pró-democracia de "viciados" e "marginais"

Em live, presidente pede que seus apoiadores não participem de atos contra o governo, convocados por torcidas e movimentos sociais para o próximo domingo, e volta a classificar grupos "antifa" de terroristas. O presidente Jair Bolsonaro …

Mistério da química solucionado ao descobrir a estrutura do nitrogênio “negro”

Elementos leves da tabela periódica como carbono e oxigênio seguem a regra de ter estrutura similar aos elementos mais pesados da mesma família, quando em alta pressão. Mas, até agora, o hidrogênio tinha um comportamento …

SoftBank anuncia fundo voltado a empresas lideradas por negros

O SoftBank anunciou que fará um fundo de investimento voltado a empresas lideradas por negros. Segundo o TechCrunch, o comunicado foi feito em uma carta aos funcionários do banco de investimentos assinada pelo COO, Marcelo …

Madeleine McCann: a reviravolta que levou a polícia a crer que menina desaparecida há 13 anos está morta

A menina britânica Madeleine McCann, que desapareceu em Portugal em 2007 em um caso de grande repercussão na Europa, está provavelmente morta, segundo promotores alemães que investigam o caso. Um alemão de 43 anos está sendo …

Globonews escala só jornalistas negros em programa após críticas por representatividade

Após receber críticas justas nas redes sociais por debater a pauta do racismo e os protestos gerados após o assassinato de George Floyd pelo policial branco David Chauvin em Minneapolis, Minessota, sem a presença de …

Paleontologistas descobrem 'última refeição' de dinossauro que viveu há 110 milhões de anos

Uma equipe de pesquisadores do Canadá reconstituiu o estômago de um dinossauro herbívoro, o melhor preservado de sempre. Uma equipe de paleontologistas canadenses conseguiu reconstruir o conteúdo do estômago de um dinossauro herbívoro que viveu no …

Estudo que desencoraja uso de hidroxicloroquina é alvo de investigações

Nesta quarta-feira (3), a Organização Mundial da Saúde anunciou que vai retomar os testes com o medicamento hidroxicloroquina, um dos mais cotados atualmente como possível auxiliar na luta contra a COVID-19. A notícia pegou muita gente …

Donald Trump diz por que estava em bunker subterrâneo em meio a protestos

Em meio aos protestos violentos e pacíficos que têm varrido os EUA após a morte do afro-americano George Floyd, surgiram relatos de que Trump se escondeu dos manifestantes em um bunker. Donald Trump atacou como "falsa" …

EUA: 4 policiais são acusados pela morte de George Floyd

O policial de Minneapolis que se ajoelhou sobre o pescoço de George Floyd provocando sua morte será acusado de assassinato em segundo grau. Seus três colegas também serão julgados, disse a senadora americana Amy …

Governo destina verba publicitária a canais de conteúdo inadequado

Em apenas 38 dias, o governo de Jair Bolsonaro publicou mais de 2 milhões de anúncios em canais na internet com "conteúdos inadequados", segundo mostrou um relatório da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das …