Gêmeos semi-idênticos nascem na Austrália; só há quatro em todo o Mundo

Nele Caluwé / Flickr

Médicos registraram na Austrália o que dizem ser o segundo caso conhecido de gêmeos “semi-idênticos” no mundo.

O menino e a menina, hoje com quatro anos, são idênticos por parte de mãe. Mas compartilham apenas uma parte do DNA do pai – o que coloca eles, geneticamente, em algum lugar entre gêmeos fraternos (dizigóticos ou bivitelinos) e gêmeos idênticos (monozigóticos ou univitelinos).

Os especialistas afirmam que esse fenômeno é extremamente raro – embriões deste tipo geralmente não sobrevivem. O professor Nicholas Fisk, que liderou a equipe que cuidou da mãe e dos gêmeos no Royal Brisbane and Women’s Hospital, em 2014, contou que a descoberta foi feita por meio de um exame pré-natal de rotina.

É a primeira vez que gêmeos semi-idênticos são identificados durante a gravidez. A mãe de primeira viagem tinha 28 anos na época e havia engravidado naturalmente, segundo os médicos. O caso foi publicado na revista científica The New England Journal of Medicine.

“A ultrassonografia feita com seis semanas de gestação mostrou uma placenta única e o posicionamento das bolsas amnióticas indicava que ela estava esperando gêmeos idênticos”, afirmou Fisk. “No entanto, uma ultrassonografia realizada com 14 semanas mostrou que os gêmeos eram do sexo masculino e feminino, o que não é possível no caso de gêmeos idênticos.”

Gêmeos idênticos são gerados quando um único óvulo, fecundado por um único espermatozoide, se divide e forma dois bebês. Esses gêmeos são do mesmo sexo e compartilham os mesmos genes e características físicas.

Os gêmeos não-idênticos são formados, por sua vez, quando dois óvulos distintos são fecundados, cada um por um espermatozoide diferente, e se desenvolvem no útero ao mesmo tempo. Sendo assim, podem não ser do mesmo sexo e se parecem tanto quanto qualquer irmão ou irmã, apesar de terem nascido juntos.

No caso de gêmeos semi-idênticos (ou sesquizigóticos), acredita-se que o óvulo tenha sido fecundado simultaneamente por dois espermatozoides antes de ser dividido.

Se um óvulo é fecundado por dois espermatozoides, resulta em três conjuntos de cromossomos, em vez de dois – um da mãe e dois do pai.  E, de acordo com os pesquisadores, três conjuntos de cromossomos são “tipicamente incompatíveis com a vida, e os embriões não costumam sobreviver”.

A identidade dos gêmeos não foi revelada.

Quais as chances de ter gêmeos?

Gêmeos não-idênticos são mais comuns em algumas famílias. Mulheres mais velhas também são mais propensas a engravidar de gêmeos fraternos, porque têm mais chance de liberar mais de um óvulo durante a ovulação. Já os gêmeos idênticos não estão relacionados à herança genética.

Técnicas para tratamento da infertilidade – como Fertilização in Vitro (FIV) – podem aumentar a chance de gêmeos, pois mais de um embrião pode ser implantado no útero. O primeiro caso de gêmeos semi-idênticos foi registrado nos EUA em 2007.

Fisk disse que uma análise das bases de dados de gêmeos em todo o mundo mostrou o quão raros eram os gêmeos sesquizigóticos.

Ele e seus colegas examinaram dados genéticos de 968 gêmeos fraternos, assim como uma série de grandes estudos globais – mas não encontraram nenhum outro caso de gêmeos semi-idênticos. “Sabemos que este é um caso excepcional de gêmeos semi-idênticos”, acrescentou o pesquisador.

// BBC

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …