Ainda há esperança: o genoma do coala pode ser crucial na salvação da espécie

Uma equipe internacional de cientistas identificou mais de 26 mil genes do coala que podem se transformar em pistas preciosas para o desenvolvimento de vacinas e outras soluções que ajudem a salvar a espécie.

Os pesquisadores, que fazem parte do Koala Genome Consortium, sequenciaram mais de 3,4 bilhões de pares de bases do DNA e mais de 26 mil genes no genoma do coala. Essa espécie foi classificada pelo governo australiano como “vulnerável” em 2012 em várias regiões do país, onde a sua sobrevivência era ameaçada pela urbanização e doenças.

O trabalho, publicado recentemente na Nature Genetics, pode ajudar os cientistas a evitar procedimentos invasivos na pesquisa da biologia dos marsupiais. “Estamos agora em uma ótima posição para desenvolver vacinas melhores para tratar os animais” disse à Reuters Katherine Belov, professora na Universidade de Sydney e uma das autoras do artigo.

Segundo o jornal Público, uma das aplicações imediatas desse estudo poderia ser uma vacina para a clamídia, uma doença sexualmente transmissível que tem afetado esses marsupiais, em muitos casos de forma fatal.

Quando o problema da clamídia não é tratado, os coalas podem ficar cegos, desenvolver inflamações graves na bexiga, ficar inférteis e até mesmo morrer. Por sua vez, o tratamento com antibióticos torna muito difícil a digestão das folhas de eucalipto, essenciais na dieta desses animais.

A pesquisa permitiu identificar detalhadamente os genes do sistema imunológico dos coalas, reunindo informação que seria útil para atacar o problema com novas estratégias, como vacinas.

Além da clamídia, o retrovírus do coala (KoRV) é também uma preocupação, mas, por enquanto, sabe-se muito pouco sobre a enfermidade.

“O genoma completo do coala tem sido fundamental para mostrar que um só coala pode ter muitas (mais de uma centena) inserções do KoRV no seu genoma, incluindo muitas versões do KoRV”, explica Peter Timms, da Universidade de Sunshine Coast, em Queensland, citado pelo jornal.

As informações que estão agora nas mãos dos cientistas permitirão determinar quais as estirpes do KoRV que são mais perigosas e ajudar no desenvolvimento de uma vacina.

A sequência do genoma do coala é um passo significativo na ciência na medida em que representa o mais completo genoma marsupial até o momento. Além disso, fornece ainda dados sobre a biologia única do coala que podem ajudar no tratamento de doenças e melhorar os esforços de conservação dessa espécie.

O genoma dos coalas também pode ser a chave para programas de reprodução.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Quantos anos de vida saudável os ricos ganham em relação aos pobres?

Um novo estudo europeu e americano descobriu que os ricos possuem cerca de nove anos de vida saudável a mais do que os pobres. A pesquisa foi bastante abrangente – os cientistas analisaram dados de mais …

O país sul-americano que deve crescer 14 vezes mais que a China neste ano

A Guiana ganhou na loteria e está prestes a resgatar o prêmio. Seus vizinhos, especialmente a Venezuela, aguardam intrigados para saber em que ela vai gastar. De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia …

Portugal supera marca histórica de 500 mil imigrantes residindo no país; brasileiros são a maioria

Portugal atingiu um número recorde de imigrantes vivendo no país. O anúncio foi feito pelo governo nesta quarta-feira (15), durante debate no Parlamento sobre o Orçamento de Estado para 2020. "Os dados preliminares levam a dizer …

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano

Pela primeira vez, uma mulher ocupará um cargo de alto nível no Vaticano. O Papa Francisco nomeou Francesca Di Giovanni para a função de vice-ministra da Secretaria de Estado da Santa Sé, órgão equivalente ao …

Khamenei chama Trump de "palhaço" e exalta ataque a bases dos EUA

Em primeiro sermão desde 2012, líder supremo do Irã afirma que Trump finge apoio ao povo iraniano e pede união após dizer que queda de avião foi "acidente trágico". EUA admitem que militares ficaram feridos. O …

Uma desconhecida explosão de ondas gravitacionais foi detectada na Terra

Os detectores de ondas gravitacionais da Terra, os observatórios LIGO e Virgo, identificaram uma misteriosa “explosão” de ondas gravitacionais não prevista na última terça-feira, 14 de janeiro. As ondas gravitacionais detectadas até hoje foram resultado de …

Twitter pede desculpas por permitir anúncios direcionados a neonazistas

O Twitter emitiu hoje (16), um pedido de desculpas público, logo após a BBC fazer uma denúncia de que a plataforma de anúncios da empresa estava permitindo o direcionamento de conteúdo para neonazistas e outros …

SP quer lei para incentivar uso de veículos híbridos e elétricos

Um novo projeto de lei apresentado em São Paulo pretende combater os problemas ambientais provocados pelos carros à combustão, que utilizam os tão poluentes combustíveis fósseis, através do incentivo ao uso de veículos elétricos ou …

Ataques iranianos teriam deixado 11 militares dos EUA feridos

Ao menos 11 militares norte-americanos foram retirados do Iraque para receberem tratamento médico em decorrência dos ataques iranianos contra as bases dos EUA. "Quando ficarem aptos para o serviço, estes militares regressarão ao Iraque", declarou à …

Evo recua e diz que não pretende mais criar milícias

Em carta pública divulgada nesta quinta-feira (16/01), o ex-presidente da Bolívia Evo Morales, que está refugiado na Argentina há mais de um mês, recuou da ideia de promover a formação de milícias no país. "Há alguns …