Google, Facebook e Microsoft propõem que Pentágono controle inteligência artificial

Microsoft, Google e Facebook estão pedindo para que Washington assuma controle sobre o desenvolvimento da inteligência artificial.

Dois gigantes do Vale do Silício do GAFAM, Google e Facebook, juntos com a Microsoft, exortam, através de seu segmento no Conselho de Inovação da Defesa (DIB em inglês) presidido por Joshua Marcuse, que o Pentágono controle a inteligência artificial.

Em meio aos temores angustiantes sobre a militarização da IA já iniciada pelo Pentágono, o DIB publicou um extenso conjunto de princípios e recomendações para o seu “uso ético”. O DIB teme a ascensão da China, que anunciou que será o “líder mundial em IA em 2030”, uma área em que investe fortemente.

DIB acrescenta que “da mesma forma, a Rússia investe pesadamente em aplicações de IA e experimenta tais sistemas em ‘cenários de combate ao vivo'”. O DIB reconhece que as “características e fragilidades únicas da IA requerem novas maneiras de vislumbrar suas possíveis consequências negativas e indesejáveis”.

O conselho “reafirma que a utilização da IA deve ter lugar no contexto da estrutura ética existente no Pentágono”. O DIB fica assim integrado em pleno na conduta do Pentágono em suas recentes guerras do Vietnam à Líbia.

O Pentágono defende cinco princípios éticos na IA:

Responsabilidade: exercer níveis adequados de julgamento e permanecer responsável pelo desenvolvimento, implantação, utilização e resultados dos sistemas de IA.

Equitativo: o Pentágono deve tomar medidas deliberadas para evitar preconceitos involuntários no desenvolvimento e implementação de sistemas de IA em combate e fora de combate que inadvertidamente causariam danos às pessoas.

Rastreabilidade: a disciplina de engenharia de IA deve ser suficientemente avançada para que os especialistas técnicos possuam uma compreensão adequada da tecnologia, dos processos de desenvolvimento e métodos operacionais dos seus sistemas de IA, incluindo metodologias transparentes e auditáveis, fontes de dados e concepção de documentação e procedimentos.

Confiabilidade: os sistemas IA devem ter um domínio de utilização explícito e bem definido, e a segurança e robustez de tais sistemas devem ser testadas e garantidas ao longo de todo o seu ciclo de vida.

Governabilidade: deve ser projetada e alcançada para cumprir o objetivo de sua função enquanto possui a capacidade de detectar e evitar danos ou perturbações não intencionais, e para a remoção humana ou automática ou desativação de sistemas implantados que demonstrem uma escalada não intencional ou outro comportamento.

Mecanismo de aplicação da inteligência artificialial

Como podem estes cinco princípios éticos etéreos ser aplicados em um campo de batalha real ou em exercícios militares?

O DIB propõe então 12 “recomendações” a fim de articular e implementar seus princípios controversos, incluindo: formalizar os princípios éticos através de canais oficiais do Pentágono, especificamente o recém-criado Centro Conjunto de IA (JAIC, na sigla em inglês), estabelecer um amplo comitê de IA, cultivar e expandir o campo da engenharia de IA, em uníssono com o Escritório do Subsecretário de Pesquisa e Engenharia e os Laboratórios de Serviço.

No entanto, os princípios DIB não são vinculativos e omitem o escrutínio da militarização em curso da IA pelo Pentágono, desde tanques a mísseis, quando os seus respectivos algoritmos irão definir o curso da batalha com sua pré-programação.

Plano de ação

A militarização da IA já começou: em 2018 o Pentágono inaugurou o Centro Conjunto de Inteligência Artificial, embora seu diretor, o tenente-general Jack Shanahan, tenha prometido dar “mais clareza e transparência” diante da onda de protestos.

Um grupo de funcionários da Google se demitiu para protestar contra as ligações do Pentágono ao Vale do Silício, especificamente no Projeto Maven, que usa IA da Google para montar os drones do Exército dos EUA. Shanahan celebra a militarização da saúde preditiva que a IA usará para “análise de histórias clínicas, classificação de imagens, mitigação da síndrome de estresse pós-traumático e prevenção de suicídio”.

A militarização, aberta ou oculta, da IA logo cria controversa. A questão da bioética da IA é objeto de debate na China e na Câmara dos Lordes no Reino Unido.

No Reino Unido, o Comitê Seleto da IA da Câmara dos Lordes publicou um relatório onde não aborda explicitamente a militarização da IA, mas alerta para “nunca conceder poder autônomo para prejudicar, destruir ou enganar humanos”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …