Governo dos EUA alerta população para novo “11 de Setembro” devido à covid-19

Simone Venezia / EPA

Chefe da Saúde Pública do país prevê que próxima semana será “a mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos”. Ele compara repercussão a dois dos maiores traumas da história dos Estados Unidos.

O chefe da Saúde Pública dos EUA, o vice-almirante Jerome Adams, afirmou neste domingo (05/04) que os próximos dias serão “a semana mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos” devido à pandemia do novo coronavírus, tecendo um paralelo com alguns dos momentos mais traumáticos da história do país.

“Será nosso momento Pearl Harbor, nosso 11 de Setembro”, disse Adams, comparando a crise de covid-19 ao ataque japonês contra a base naval de Pearl Harbor durante a Segunda Guerra Mundial e ao atentado contra o World Trade Center, em 11 de setembro de 2001. “Vai acontecer isso tudo sobre o país. E quero que os Estados Unidos entendam isso”, acrescentou o oficial, que exerce na administração americana um cargo similar ao do ministro da Saúde no Brasil.

Adams ressaltou ser importante o isolamento social para evitar que o sistema de saúde americano entre em colapso. Ele também enviou uma mensagem aos governadores americanos que ainda não impuseram medidas de isolamento social em seus estados. “Se vocês não puderem nos dar um mês, nos deem o que puderem. Nos deem uma semana. Qualquer coisa que puderem, nesse momento particularmente difícil, quando estaremos alcançando nosso pico nos próximos sete a dez dias“, pediu.

Mais de 2.400 americanos morreram no ataque surpresa japonês à base militar de Pearl Harbor, no Havaí, em 1941, e outros 2.996 perderam a vida nos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 contra as Torres Gêmeas, em Nova York, o Pentágono e contra um avião que caiu na Pensilvânia.

As mortes por covid-19 nos Estados Unidos já superaram ambos os números, com mais de 9 mil até este domingo. O número de pessoas infectadas no país passou de 321 mil.

Mas a aceleração de contágios e óbitos nos últimos dias gerou previsões pessimistas para os próximos dias. “Esta vai ser uma semana ruim”, afirmou a referência em epidemiologia no país, Anthony Fauci, durante outra entrevista neste domingo na cadeia de televisão CBS News. “Vamos seguir vendo uma escalada. Mas esperamos que no prazo de uma semana, quem sabe um pouco mais, comecemos a ver um achatamento da curva e um declínio”, acrescentou.

Fauci esclareceu que não se pode dizer que os Estados Unidos estejam mantendo a crise “sob controle, porque isso seria uma afirmação falsa”, mas ele disse que as medidas para conter o contágio, com mais de 90% da população sob ordens de permanecer em casa, “estão claramente funcionando”.

Para o estado de Nova York, que concentra mais de um terço das infecções do país, Fauci previu que a próxima semana será difícil porque, segundo ele, o pico de contágios ainda não foi alcançado. “Em uma semana, oito ou nove dias, esperamos começar a ver as coisas mudarem”, acrescentou.

O epidemiologista também lançou uma crítica velada aos governadores – todos republicanos – dos únicos nove estados nos EUA que ainda não determinaram medidas de isolamento social: Arkansas, Oklahoma, Utah, Carolina do Sul, Iowa, Nebraska, Wyoming, Dakota do Norte e Dakota do Sul. “Não é que eles estejam colocando em risco o resto do país, é que eles estão colocando em risco a si mesmos”, disse Fauci, que dirige o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (NIAID, em inglês).

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …