Império Britânico tentou proibir o ‘terceiro gênero’ na Índia

Em agosto de 1852, um eunuco que se chamava Bhoorah foi encontrado morto brutalmente no distrito de Mainpuri, no norte da Índia.

Assim como muitos eunucos do país, Bhoorah se vestia como mulher e vivia com discípulos e um amante do sexo masculino. Ele se apresentava, e recebia presentes, em “ocasiões auspiciosas”, como nascimentos de crianças, em casamentos e em público.

Bhoorah havia deixado seu amante por outro homem antes de ser morto. Os juízes britânicos estavam convencidos de que seu ex-amante o havia matado em um ataque de raiva.

Durante o julgamento, eunucos foram descritos como travestis, mendigos e prostitutos não naturais. Um juiz disse que estas pessoas eram uma “grande desonra para o domínio colonial”. Outro afirmou que sua existência era um sinal de “reprovação” ao governo britânico.

A reação foi estranha, considerando que um eunuco foi a vítima do crime. O assassinato, segundo a historiadora Jessica Hinchy, provocou curiosamente entre os britânicos um “pânico moral sobre os eunucos”, ou hijras, como são chamados no sul da Ásia. “Ela foi vítima do crime, mas sua morte foi interpretada como evidência de criminalidade e imoralidade dos eunucos“, diz Hinchy.

Autoridades britânicas começaram a considerar eunucos “ingovernáveis”. Eles evocariam imagens de “sujeira, doença, contágio e contaminação”. Eles foram retratados como pessoas que eram “viciadas em sexo com homens”. Autoridades coloniais disseram que eram não são apenas um perigo para a “moral pública”, mas também uma “ameaça à autoridade política colonial”.

Por quase uma década, Hinchy, professora de história na Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura, vasculhou os arquivos coloniais sobre eunucos, que forneceram uma visão detalhada sobre o impacto das leis coloniais sobre estes indianos marginalizados.

O resultado deste trabalho é o livro Governing Gender and Sexuality in Colonial India (Governando o Gênero e a Sexualidade na Índia Colonial, 2019), possivelmente o primeiro relato aprofundado sobre eunucos nesta época do país.

Os eunucos formam uma comunidade baseada em relações entre mestres e discípulos. São pessoas que tem papéis importantes em muitas culturas, atuando como guardiões de haréns ou cantores e dançarinos, por exemplo.

Nas culturas do sul da Ásia, acredita-se que tenham o poder de abençoar ou amaldiçoar a fertilidade. Moram com filhos adotivos e parceiros do sexo masculino.

Hoje, muitos consideram eunucos transgêneros, embora o termo também inclua pessoas intersexuais. Em 2014, a Suprema Corte da Índia reconheceu oficialmente um terceiro gênero – e os eunucos (ou hijras) são vistos como pertencentes a essa categoria.

Os eunucos não podiam usar roupas femininas e jóias, nem se apresentar em público, sendo ameaçados com multas ou prisão se não obedecessem. A polícia cortaria seus longos cabelos e os despiriam se usassem trajes de mulheres e ornamentos no corpo. “Sofriam intimidação e coerção da polícia, embora os padrões desta violência policial não sejam claros”, diz Hinchy.

A comunidade reagiu pedindo o direito de dançar e tocar instrumentos em público e se apresentar em feiras. As petições, diz Hinchy, apontam para a devastação econômica causada pela proibição de danças e performances. Em meados da década de 1870, eunucos reclamaram que estavam morrendo de fome.

Um dos movimentos mais chocantes das autoridades foi tirar as crianças que viviam com eunucos para “resgatá-las de uma vida de infâmia”. Se os eunucos viviam com um menino, eles se arriscavam a serem punidos com multas e prisão.

Muitas dessas crianças eram realmente seus discípulos. Outras pareciam ter sido órfãs, adotadas ou escravizadas quando crianças. Havia também filhos de músicos que se apresentavam com eunucos e que pareciam ter vivido ao lado deles com suas famílias. Alguns eunucos até viviam com viúvas que tinham filhos. Autoridades britânicas viram as crianças como “agentes de contágio e uma fonte de perigo moral”.

De acordo com os registros, foram encontradas entre 90 e 100 crianças do sexo masculino morando com eunucos registrados entre 1860 e 1880. Poucas delas haviam sido emasculadas, e a maioria vivia com seus pais biológicos.

No entanto, apesar dessa história sombria, os eunucos sobreviveram a essas tentativas de eliminá-los e continuaram a ter uma presença pública visível ao planejar estratégias de sobrevivência.

Hinchy escreve que eles se tornaram habilidosos na violação das leis, evitando a polícia e mantendo-se sempre em movimento. Eles também mantiveram suas práticas culturais vivas dentro de suas comunidades e em lugares privados, o que não era ilegal. Eles também ocultaram suas propriedades, de modo que a polícia não conseguia registrá-los.

Seu sucesso fica evidente pelo fato de que, apesar de serem frequentemente definidos como desviantes e desordeiros, os eunucos “continuam tendo uma presença visível no espaço público, cultura pública, ativismo e política no sul da Ásia”, diz Hinchy.

Na Índia, eles continuam ganhando a vida dançando em casamentos e outras cerimônias, apesar de enfrentarem discriminação e viverem à margem da sociedade, em uma história emocionante de resiliência e sobrevivência.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

NVIDIA e Stefanini anunciam que desenvolverão Inteligência Artificial no Brasil

A Nvidia Enterprise e a Woopi, empresa do Grupo Stefanini focada em Inteligência Artificial (IA) anunciaram nesta quarta-feira (24) uma parceria para desenvolver soluções de IA e processamento de linguagem natural. E o primeiro projeto …

250 mil mortos por covid no Brasil: o que significa esse número

O Brasil acumula um quarto de milhão de mortes por covid-19, às vésperas de se completar um ano desde o primeiro caso de coronavírus ter sido identificado no país. Segundo as contas do consórcio de imprensa …

Na diplomacia das vacinas, Israel troca imunizante por reconhecimento de Jerusalém como capital

No combate à Covid-19, Israel é exemplo mundial. A metade da população do Estado hebreu já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra o coronavírus e um terço está completamente imunizada, com as …

"Subestimar Rússia de Putin é sempre um erro", diz indicado de Biden para chefiar CIA

Nesta quarta-feira (24), William Burns, o indicado do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o cargo de diretor da CIA, disse que subestimar a Rússia é sempre um erro e acusou a China de …

Chinês é condenado a pagar indemnização à ex-mulher por trabalho doméstico

Um tribunal na China ordenou um homem a pagar compensações a sua ex-esposa pelo trabalho doméstico realizados por ela durante os cinco anos em que estiveram casados, segundo divulgou a imprensa chinesa nesta quarta-feira (24/02). O …

Oceano Atlântico cresce e Pacífico encolhe. Ciência tem nova resposta para fenômeno

Durante a era paleozoica, entre 200 a 540 milhões de anos atrás, o planeta Terra possuía somente um único e imenso continente – a Pangeia, rodeada por um único oceano, intitulado Pantalassa. Depois de uma série …

Um acelerador de partículas cósmico, muito mais poderoso do que o LHC foi descoberto no espaço

Cientistas rastrearam uma partícula fantasma para uma estrela despedaçada e descobriram um gigantesco acelerador de partículas cósmico. A partícula subatômica, chamada de neutrino, foi lançada em direção à Terra depois que a estrela condenada chegou muito …

Mulher de 'El Chapo' Guzmán é presa nos EUA acusada por narcotráfico

Foi presa nesta segunda-feira (22/02) nos Estados Unidos Emma Coronel Aispuro, 31, mulher de Joaquín "El Chapo" Guzmán, ex-líder do cartel de drogas mexicano Sinaloa. Aispuro, que tem cidadania mexicana e americana, foi presa no aeroporto …

Gana é o primeiro país do mundo a receber vacinas do programa Covax, da OMS

Gana recebeu nesta quarta-feira o primeiro lote mundial de vacinas financiadas pelo programa Covax, que proporciona aos países de renda baixa e média as primeiras doses de fármacos antiCovid. Os imunizantes foram enviados de …

Variante da Califórnia parece ser mais contagiosa e resistente a vacinas, aponta estudo

Um novo estudo confirma que a mutação do SARS-CoV-2 na Califórnia, EUA, é mais contagiosa e mais resistente a vacinas, embora a escala de sua ameaça ainda não esteja clara. Uma variante descoberta pela primeira vez …