Israa pode ser a primeira ativista saudita condenada à morte

Cinco ativistas dos direitos humanos estão sendo julgados na Arábia Saudita, incluindo uma mulher que pode vir a ser a primeira condenada à morte no país por ativismo.

Segundo o The Guardian, os procuradores sauditas querem a pena de morte para os cinco ativistas, incluindo uma mulher que se pensa ser a primeira no país a enfrentar este tipo de condenação.

Israa al-Ghomgham, ativista xiita que foi detida juntamente com o marido em 2015, será julgada no tribunal de terrorismo da Arábia Saudita, apesar das acusações que enfrenta estarem ligadas a ações de ativismo pacífico, explica a Human Rights Watch.

“Qualquer sentença é chocante, mas pedir a pena de morte para ativistas como a Israa al-Ghomgham, que nem sequer são acusados de comportamento violento, é monstruoso“, afirma Sarah Leah Whitson, diretora da HRW no Oriente Médio.

Juntamente com o marido, Moussa al-Hashem, e outros três ativistas, al-Ghomgham enfrenta acusações que “não se assemelham a crimes reconhecíveis”, explica a HRW.

Em questão está a participação em protestos, entoar slogans hostis ao regime, tentar inflamar a opinião pública e filmar protestos e publicar nas redes sociais, escreve o jornal.

Os cidadãos xiitas sauditas são sistematicamente discriminados em uma nação de maioria sunita, sofrendo diversos obstáculos no mercado de trabalho e na educação, assim como várias restrições à prática religiosa. Ghomgahm tinha se unido e documentado grandes protestos pelos direitos xiitas, que começaram em 2011, quando a Primavera Árabe varreu a região.

Israa al-Ghomgham / Twitter

Israa al-Ghomgham criança. Esta é a única fotografia tornada pública da ativista saudita

A ativista será a próxima a ser julgada, no dia 28 de outubro, e o julgamento lançará mais uma sombra sobre os esforços do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para se promover como um reformador liberal.

Lembre-se que o príncipe saudita tem promovido algumas alterações no regime como, por exemplo, quando deixou que as mulheres sauditas pudessem dirigir ou quando voltou a abrir salas de cinema no país.

Antes de acabar com a proibição de as mulheres não poderem dirigir, as autoridades sauditas prenderam mais de uma dúzia de ativistas que tinham precisamente feito campanha pela mudança. Vários estão agora há quase 100 dias na prisão, sem representação legal, e são rotulados de “traidores” pela mídia local, informa o jornal.

“Se o príncipe quer ser verdadeiramente sério na sua reforma, devia imediatamente tentar garantir que nenhum ativista é injustamente preso pelo seu trabalho na defesa dos direitos humanos”, acrescenta Whitson.

Esta não é a primeira vez que uma mulher é condenada à morte na Arábia Saudita, aliás, este é um país com uma das mais altas taxas de execução: suspeitas de terrorismo, homicídio, estupro, assalto à mão armada e tráfico de drogas são alguns dos casos.

No entanto, no caso de al-Ghomgham, esta é a primeira vez que uma mulher enfrenta a pena de morte por ser ativista e, por isso, outros ativistas temem que seu julgamento possa levantar um precedente perigoso.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Suécia vai abrir “CPI da Covid-19” para saber se governo fez bem ao não isolar a população

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Suécia tem ido na contramão de seus vizinhos. O país escandinavo preferiu manter um ritmo quase normal em suas atividades e não impôs o confinamento …

Uber testa modalidade que permite ao usuário reservar carro por hora

Na tentativa de achar novas fontes de receita para seu negócio de corridas compartilhadas, seriamente afetado pela COVID-19, a Uber está testando uma nova modalidade, focada nos passageiros que precisam fazer viagens mais longas e …

Revelada razão de comportamento instável de estrelas perto dos centros galácticos

Estrelas de ramo horizontal extremo são mais brilhantes e têm um ciclo de vida inferior ao das estrelas comuns, de acordo com um novo estudo. Os astrônomos estudaram o comportamento de um tipo especial de estrelas, …

Trump ameaça acionar Forças Armadas para conter protestos

No 7.º dia de manifestações antirracismo, Presidente dos EUA critica inação de governadores e promete enviar milhares de soldados para pôr fim a distúrbios. Visita de Trump a igreja é criticada como tentativa de autopromoção. O …

Não é apenas o coronavírus: surto de ebola retorna ao Congo

Foi confirmada, pelo ministro da Saúde do Congo, a descoberta de novos casos de Ebola na província de Équateur. O último surto do vírus altamente mortal ocorreu em 2018 e matou 33 pessoas no país. O …

Coronavírus: São Paulo se prepara para reabertura com 70% de leitos ocupados

O governo estadual de São Paulo ordenou a reabertura gradual dos estabelecimentos comerciais a partir dessa terça-feira (2). A gestão diz se basear no índice de infecções do novo coronavírus por cidade. Mesmo com 70% …

Júpiter é tão grande que quase virou um sol

Júpiter é o maior planeta do sistema solar. Assim, bem maior mesmo. Do tipo se você pegar todos os outros planetas e juntar suas massas, não chega nem aos pés dele. Nem mesmo metadinha. Esse gigante …

União Europeia pede que EUA reconsiderem sua decisão de cortar relações com a OMS

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o chefe de relações internacionais da União Europeia, Josep Borrell, pediram neste sábado (30) que os Estados Unidos “reconsiderem a decisão anunciada” de romper …

Astronautas da NASA chegam à ISS em nave da SpaceX e entram para a história

Depois de viajarem pelo espaço por 19 horas, os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley chegaram à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave Crew Dragon alguns minutos antes do previsto. O lançamento histórico aconteceu …

Nova Zelândia se encontra em cima de enorme bolha de lava, segundo pesquisa

Durante os anos 70, pesquisadores propuseram a teoria de que o interior do planeta se agita lentamente como uma bolha de lava. Estas bolhas flutuantes surgem como plumas do manto derretido do centro da Terra, onde …