Israa pode ser a primeira ativista saudita condenada à morte

Cinco ativistas dos direitos humanos estão sendo julgados na Arábia Saudita, incluindo uma mulher que pode vir a ser a primeira condenada à morte no país por ativismo.

Segundo o The Guardian, os procuradores sauditas querem a pena de morte para os cinco ativistas, incluindo uma mulher que se pensa ser a primeira no país a enfrentar este tipo de condenação.

Israa al-Ghomgham, ativista xiita que foi detida juntamente com o marido em 2015, será julgada no tribunal de terrorismo da Arábia Saudita, apesar das acusações que enfrenta estarem ligadas a ações de ativismo pacífico, explica a Human Rights Watch.

“Qualquer sentença é chocante, mas pedir a pena de morte para ativistas como a Israa al-Ghomgham, que nem sequer são acusados de comportamento violento, é monstruoso“, afirma Sarah Leah Whitson, diretora da HRW no Oriente Médio.

Juntamente com o marido, Moussa al-Hashem, e outros três ativistas, al-Ghomgham enfrenta acusações que “não se assemelham a crimes reconhecíveis”, explica a HRW.

Em questão está a participação em protestos, entoar slogans hostis ao regime, tentar inflamar a opinião pública e filmar protestos e publicar nas redes sociais, escreve o jornal.

Os cidadãos xiitas sauditas são sistematicamente discriminados em uma nação de maioria sunita, sofrendo diversos obstáculos no mercado de trabalho e na educação, assim como várias restrições à prática religiosa. Ghomgahm tinha se unido e documentado grandes protestos pelos direitos xiitas, que começaram em 2011, quando a Primavera Árabe varreu a região.

Israa al-Ghomgham / Twitter

Israa al-Ghomgham criança. Esta é a única fotografia tornada pública da ativista saudita

A ativista será a próxima a ser julgada, no dia 28 de outubro, e o julgamento lançará mais uma sombra sobre os esforços do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para se promover como um reformador liberal.

Lembre-se que o príncipe saudita tem promovido algumas alterações no regime como, por exemplo, quando deixou que as mulheres sauditas pudessem dirigir ou quando voltou a abrir salas de cinema no país.

Antes de acabar com a proibição de as mulheres não poderem dirigir, as autoridades sauditas prenderam mais de uma dúzia de ativistas que tinham precisamente feito campanha pela mudança. Vários estão agora há quase 100 dias na prisão, sem representação legal, e são rotulados de “traidores” pela mídia local, informa o jornal.

“Se o príncipe quer ser verdadeiramente sério na sua reforma, devia imediatamente tentar garantir que nenhum ativista é injustamente preso pelo seu trabalho na defesa dos direitos humanos”, acrescenta Whitson.

Esta não é a primeira vez que uma mulher é condenada à morte na Arábia Saudita, aliás, este é um país com uma das mais altas taxas de execução: suspeitas de terrorismo, homicídio, estupro, assalto à mão armada e tráfico de drogas são alguns dos casos.

No entanto, no caso de al-Ghomgham, esta é a primeira vez que uma mulher enfrenta a pena de morte por ser ativista e, por isso, outros ativistas temem que seu julgamento possa levantar um precedente perigoso.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cidade na Itália proíbe Google Maps porque pessoas 'se perdem' o tempo todo

Serviços de emergência de Baunei já tiveram que resgatar 144 perdidos em dois anos devido ao Google Maps. O prefeito da cidade italiana de Baunei, Salvatore Corrias, proibiu o uso do aplicativo de localização geográfica Google …

Emma Watson lança consultoria jurídica gratuita para mulheres assediadas no local de trabalho

A atriz Emma Watson acaba de lançar uma consultoria jurídica gratuita para mulheres que sofreram assédio no local de trabalho. O serviço está disponível na Inglaterra e no País de Gales. De acordo com o texto …

Polícia do Rio perdeu imagens que poderiam identificar assassinos de Marielle

A Polícia Civil do Rio de Janeiro perdeu imagens do carro dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco gravadas no dia do homicídio, em 14 de março de 2018. A informação foi publicada neste domingo …

Protestos se espalham pela Catalunha após condenação de separatistas

Manifestantes bloqueiam principal aeroporto de Barcelona, além de ruas e uma via férrea, após nove líderes catalães serem condenados pela tentativa de independência da região. Confrontos com a polícia deixam feridos. A condenação de nove líderes …

Erdogan revela objetivos da operação turca na Síria

Nesta terça-feira (15), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que a operação militar no norte da Síria está progredindo com sucesso, tendo 1.000 km de território ao longo da fronteira sido libertados de terroristas. "Temos …

Cientista da NASA revela possível localização de vida extraterreste em Marte

Alfonso Davila, cientista da NASA, acredita que haja vida em Marte e afirma que a NASA elaborou um plano para realizar uma investigação do subsolo do planeta. O cientista também revela que há diversos desafios na …

Em contexto de tensão na Síria, diplomacia boicota jogo entre França e Turquia

A polícia reforçou suas equipes nos arredores do estádio. Já os responsáveis pela segurança dentro do Stade France passarão dos 1.200 habituais para 1.400 homens. Há temores de que torcedores turcos e militantes pró-curdos se enfrentem …

Enterros verdes: Paris inova e inaugura seu primeiro cemitério sustentável

O cemitério de Ivry-sur-Seine, no subúrbio de Paris, reservou uma área de 1.560 metros quadrados para enterros sustentáveis. A nova ala deverá ajudar a diminuir o impacto gerado pelos enterros tradicionais. A contaminação do solo e …

Microsoft quer levar internet a mais de 40 milhões de pessoas em 2022

A inicativa Airband, desenvolvida pela Microsoft, está sendo expandida com a meta de conectar mais de 40 milhões de pessoas à internet até julho de 2022. Lançado em 2017, o programa visa o aprimoramento da internet …

Abandonados, curdos encontram em inimigo dos EUA um aliado

Regime sírio, um aliado russo, desloca tropas para a fronteira em apoio a milícias curdas, que estão sendo atacadas pela Turquia desde que perderam apoio de Trump. Nova aliança representa reviravolta no conflito. As Forças Armadas …