Israa pode ser a primeira ativista saudita condenada à morte

Cinco ativistas dos direitos humanos estão sendo julgados na Arábia Saudita, incluindo uma mulher que pode vir a ser a primeira condenada à morte no país por ativismo.

Segundo o The Guardian, os procuradores sauditas querem a pena de morte para os cinco ativistas, incluindo uma mulher que se pensa ser a primeira no país a enfrentar este tipo de condenação.

Israa al-Ghomgham, ativista xiita que foi detida juntamente com o marido em 2015, será julgada no tribunal de terrorismo da Arábia Saudita, apesar das acusações que enfrenta estarem ligadas a ações de ativismo pacífico, explica a Human Rights Watch.

“Qualquer sentença é chocante, mas pedir a pena de morte para ativistas como a Israa al-Ghomgham, que nem sequer são acusados de comportamento violento, é monstruoso“, afirma Sarah Leah Whitson, diretora da HRW no Oriente Médio.

Juntamente com o marido, Moussa al-Hashem, e outros três ativistas, al-Ghomgham enfrenta acusações que “não se assemelham a crimes reconhecíveis”, explica a HRW.

Em questão está a participação em protestos, entoar slogans hostis ao regime, tentar inflamar a opinião pública e filmar protestos e publicar nas redes sociais, escreve o jornal.

Os cidadãos xiitas sauditas são sistematicamente discriminados em uma nação de maioria sunita, sofrendo diversos obstáculos no mercado de trabalho e na educação, assim como várias restrições à prática religiosa. Ghomgahm tinha se unido e documentado grandes protestos pelos direitos xiitas, que começaram em 2011, quando a Primavera Árabe varreu a região.

Israa al-Ghomgham / Twitter

Israa al-Ghomgham criança. Esta é a única fotografia tornada pública da ativista saudita

A ativista será a próxima a ser julgada, no dia 28 de outubro, e o julgamento lançará mais uma sombra sobre os esforços do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para se promover como um reformador liberal.

Lembre-se que o príncipe saudita tem promovido algumas alterações no regime como, por exemplo, quando deixou que as mulheres sauditas pudessem dirigir ou quando voltou a abrir salas de cinema no país.

Antes de acabar com a proibição de as mulheres não poderem dirigir, as autoridades sauditas prenderam mais de uma dúzia de ativistas que tinham precisamente feito campanha pela mudança. Vários estão agora há quase 100 dias na prisão, sem representação legal, e são rotulados de “traidores” pela mídia local, informa o jornal.

“Se o príncipe quer ser verdadeiramente sério na sua reforma, devia imediatamente tentar garantir que nenhum ativista é injustamente preso pelo seu trabalho na defesa dos direitos humanos”, acrescenta Whitson.

Esta não é a primeira vez que uma mulher é condenada à morte na Arábia Saudita, aliás, este é um país com uma das mais altas taxas de execução: suspeitas de terrorismo, homicídio, estupro, assalto à mão armada e tráfico de drogas são alguns dos casos.

No entanto, no caso de al-Ghomgham, esta é a primeira vez que uma mulher enfrenta a pena de morte por ser ativista e, por isso, outros ativistas temem que seu julgamento possa levantar um precedente perigoso.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Máscara com nariz de fora rende eliminação de exame e prisão de candidato

Um homem de 49 anos foi preso no Japão após se recusar a utilizar corretamente uma máscara facial durante um exame de admissão para faculdade. Ele foi desqualificado da prova e acabou tomando as notícias …

Esconderijo moedas de ouro medievais são descobertas em uma fazenda na Hungria

No século XVI, um ataque do Império Otomano pode ter levado húngaros em pânico a enterrar um estoque de valiosas moedas de prata e ouro. Agora, arqueólogos descobriram este tesouro enterrado em uma fazenda moderna …

Vacina covid-19. As respostas para as 10 perguntas mais procuradas sobre vacinação nas últimas 24 horas

A aprovação da CoronaVac (Sinovac/Instituto Butantan) e da CoviShield (FioCruz/Universidade de Oxford/AstraZeneca) representou um enorme avanço para conter a pandemia de covid-19, que já vitimou quase 210 mil brasileiros. Essas duas vacinas são as primeiras …

Satélites Starlink agora são invisíveis a olho nu, mas não para telescópios

Quando a SpaceX lançou as primeiras 60 unidades da rede Starlink em maio de 2019, a comunidade científica expressou preocupações, prevendo que as observações astronômicas seriam afetadas pelo brilho das unidades que compõe a constelação …

Sites de Apostas Legalizados no Brasil: fique atento

Com o crescimento dos sites de apostas esportivas, é preciso ficar atento a quais deles atuam de maneira legal no mercado e quais estão trabalhando ilegalmente. Infelizmente, os novatos no mundo das apostas podem acabar tendo …

Europa e EUA exigem que Rússia liberte Alexei Navalny

Detenção do ativista russo gera onda de condenações no Ocidente, sendo classificada como tentativa inaceitável de silenciar o crítico de Putin que foi alvo de envenenamento. Juiz determina prisão preventiva por 30 dias. A União Europeia, …

"O que vai curar a economia é a vacinação", diz economista do setor de comércio brasileiro

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) reduziu a previsão de crescimento do setor mesmo com o início da vacinação. Para discutir a questão, a Sputnik Brasil conversou com Fábio Bentes, …

Covid-19: Austrália não deve reabrir fronteiras antes de 2022

A Austrália não deve reabrir suas fronteiras para viajantes estrangeiros em 2021, apesar do avanço das campanhas de vacinação em todo o mundo. A afirmação é do secretário da Saúde, Brendan Murphy, um dos …

Burger King revela seu 1º sanduíche 100% vegano

As lojas britânicas do Burger King agora têm um sanduíche inteiramente vegano. Desde o último dia 11 de janeiro a rede de fast food disponibiliza em seu cardápio no país o Vegan Bean Burger, um …

Novo implante controla fome e pode substituir cirurgia bariátrica

Um implante simples de um dispositivo sem fio, que controla o apetite, pode substituir a cirurgia bariátrica. Ele foi criado por médicos e pesquisadores da Universidade A&M do Texas, EUA e pode ajudar na perda de …