Quase 40 anos depois, a Arábia Saudita voltou a ter cinema

Majed Al-Malki / EPA

Arábia Saudita inaugurou o primeiro cinema comercial, pondo fim a uma proibição de quase 40 anos

A Arábia Saudita inaugurou nesta quarta-feira (18) o primeiro cinema comercial, pondo fim a uma proibição de quase 40 anos, em um esforço do príncipe saudita para modernizar o reino conservador.

Segundo a Reuters, o novo cinema, construído em uma antiga sala de concertos em Ríade, foi inaugurado com pompas em um evento VIP e com direito a tapete vermelho. Membros do governo e autoridades estrangeiras assistiram ao filme da Marvel “Black Panther” (Pantera Negra) em uma tela de quase 14 metros.

O diretor executivo da AMC Enternainment Holding, Adam Aron, disse que os bilhetes estão à venda a partir desta quinta-feira (19) e as primeiras projeções começam na sexta. “Os sauditas vão agora poder ir a um cinema lindo e ver filmes na forma como é suposto serem vistos: na telona”, disse à agência.

A inauguração do cinema comercial marca mais um passo nas reformas iniciadas pelo príncipe Mohammed bin Salman, que pretende abrir o país culturalmente e diversificar a economia.

Nos últimos dois anos, o príncipe saudita de 32 anos já revogou algumas proibições, incluindo shows públicos e autorizou que mulheres possam dirigir e assistir a jogos nos estádios de futebol.

Segundo a Reuters, muitos sauditas elogiaram a reintrodução do cinema no país, uma proibição com quase 40 anos, e compartilharam elogios ao príncipe nas redes sociais. Outros expressaram confusão com a medida, considerando-a uma mudança radical.

Os cinemas foram proibidos na década de 80, sob pressão dos islamitas, numa época em que a sociedade abraçou uma severa versão conservadora do Islã. Porém, a cultura ocidental nunca deixou de estar presente no país, com os filmes de Hollywood e as séries sendo vistos em casa (projeções de filmes privadas já eram toleradas há muitos anos).

Em 2017, o governo saudita informou que iria revogar a proibição, em parte para manter o dinheiro que muitos sauditas gastam em entretenimento em outros países como, por exemplo, Dubai e Bahrain.

Para servir uma população com mais de 32 milhões de pessoas, a maioria com menos de 30 anos, as autoridades planejam construir cerca de 350 cinemas com mais de 2.500 telas até 2030, esperando atrair bilhões de dólares só na venda anual de bilhetes.

No mês passado, uma fonte confirmou à agência Reuters que não haverá segregação nos cinemas, assim como ainda acontece na maioria dos espaços públicos.

Embora não seja ainda claro como será aplicada a censura, fontes oficiais indicaram que as versões dos filmes que passam em Dubai ou no Kuwait serão readequadas. Por exemplo, duas cenas de beijos que aparecem em Pantera Negra foram cortadas.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …