Justiça italiana vai ouvir primeiro-ministro sobre gestão da crise do coronavírus

A Justiça italiana vai ouvir o primeiro-ministro Giuseppe Conte sobre a gestão, por parte do governo, da pandemia de coronavírus, que causou 34.000 mortes no país, informou a imprensa local. Grupo de familiares de vítimas na Itália apresentaram queixa na Justiça.

A Promotoria de Bérgamo, no norte da Itália, um dos principais focos da epidemia, também solicitou o depoimento da ministra do Interior, Luciana Lamorgese, do ministro da Saúde, Roberto Speranza, e do diretor do Instituto Superior de Saúde, Silvio Brusaferro. Segundo os jornais Il Corriere della Sera e Il Sole24Ore, os “interrogatórios” começarão nesta quarta-feira (10).

A Promotoria de Bérgamo abriu uma série de investigações sobre o caso e também recebeu cerca de 50 queixas nesta quarta de um grupo de familiares das vítimas por negligência e erros no manejo da pandemia. Ainda conforme Il Corriere della Sera, a Promotoria vai falar com o primeiro-ministro como uma “pessoa informada” dos eventos.

A investigação, pela qual os magistrados desejam ouvir Conte e seus dois ministros, refere-se à demora em declarar os municípios de Nembro e Alzano Lombardo, particularmente afetados, como “zona vermelha“.

A Promotoria de Bérgamo já havia aberto uma investigação sobre o caso e ouviu os depoimentos de políticos, incluindo o governador da Lombardia, Attilio Fontana, e seu consultor para a Saúde, Giulio Gallera.

O objetivo é estabelecer tecnicamente quem foi responsável por declarar as “zonas vermelhas” durante o início da crise, o que coloca o governo central contra as autoridades da região da Lombardia.

“Vou declarar tudo o que sei, com consciência. Estou calmo”, afirmou o primeiro-ministro, acrescentando que se encontrará com os promotores na sexta-feira (12). “Os cidadãos têm o direito de saber e nós temos a obrigação de responder”, acrescentou.

Parentes das vítimas

Um grupo de parentes de vítimas do coronavírus entrou nesta quarta-feira com uma queixa no tribunal de Bérgamo, no norte da Itália, por negligência e erros na gestão da pandemia que matou mais de 34.000 pessoas no país. É a primeira ação legal em grupo movida na península, que está entre os países mais atingidos pelo coronavírus.

Não queremos vingança, queremos justiça“, disse Stefano Fusco, 31 anos, um dos fundadores do grupo no Facebook “Verdade e justiça para as vítimas da COVID-19”, doença que matou seu avô em março em um asilo.

Acompanhados por advogados e membros do comitê, os parentes apresentaram 50 queixas ao Ministério Público em Bérgamo, a cidade mártir da pandemia, “porque se tornou o símbolo dessa tragédia”, explicou.

A página no Facebook, que em apenas dois meses teve mais de 50.000 adesões, tornou-se um comitê nacional, com advogados que estudam apresentar outras 150 queixas, explicou Fusco.

Os familiares acusam as autoridades de terem demorado a declarar a cidade como “zona vermelha”, algo que a associação, assim como alguns partidos e sindicatos, atribuem ao fato de que os interesses econômicos prevaleceram sobre os da saúde, por ser uma zona industrial próspera.

Os parentes das vítimas também questionam a política de cortes aplicada há anos ao sistema de saúde para favorecer uma privatização. Alguns familiares relataram as tragédias sofridas, devido à falta de informações ou à falta de cuidados durante a emergência de saúde.

O MP deve agora decidir se existem elementos para a abertura de um julgamento.

As vítimas

Cristina Longhini, farmacêutica que perdeu o pai Claudio, 65 anos, durante a pandemia espera descobrir a verdade sobre a morte de seu progenitor no hospital de Bergamo. “Meu pai havia acabado de se aposentar, estava em boas condições físicas, quando começou a apresentar sintomas, febre, disenteria e vômito”, disse ela à imprensa.

“Quando ele morreu, eles esqueceram de nos notificar“, lamenta Longhini, que mais tarde precisou identificar o corpo. “Ele estava irreconhecível, sua boca estava aberta, seus olhos estavam inchados, ele tinha lágrimas de sangue nas órbitas”, lembra Longhini.

“Eles me entregaram seus objetos pessoais em um saco de lixo, incluindo roupas manchadas de sangue, testemunho de seu sofrimento”, relata.

Como os cemitérios locais estavam cheios, o caixão foi transportado, juntamente com vários outros, em um caminhão militar para um destino desconhecido da família, que finalmente descobriu porque recebeu pelo correio a conta da funerária por sua cremação, a 200 km de distância.

“Queremos saber, ponto por ponto, como foi o tratamento na emergência, os erros, responsabilidades”, explicou à imprensa o presidente do comitê, Luca Fusco, pai de Stefano.

“Para o povo de Bergamo, para todos os que perderam um ente querido, pedimos justiça“, diz Laura Capella, 57 anos, membro do comitê que, como os outros parentes, não aspira a obter indenização.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …